quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Sobre puxa-saco, tempo e coisas pra dizer antes de morrer

Eu espero pelo o dia em que o mundo
acorde com a sensação de que perdeu algo,
algo que encontraremos em você.
E como posso dizer?
Seja a simplicidade de ser real,
seja o dom de ser leal,
ou a dificuldade de fazer uma piada legal.
O mundo inteiro invejaria o que tens,
o mundo inteiro desejaria sua posição,
eu morreria mil vezes apenas pra ter um coração igual ao seu,
porque o mundo entende das coisas que passam,
e eu desejo horas medidas com o relógio da eternidade,
e seu coração é eterno.
Afinal a eternidade não aceita depósitos em conta,
ela aceita compreensão quando menos se espera,
não aceita contra-ordem,
ela aceita um sorriso de confiança,
a eternidade é a esperança do agora.
Me dói o peito, me inundam os olhos
que todo elogio não lhe sirva mais do que bajulação,
me dói porque cada pequeno detalhe sempre foi real,
porque a vida que vale a pena não é aquela feita de conselhos profissionais,
mas sim de ser um ser humano melhor,
e sim agradeço ao Deus que existe
a bondade de ter recebido um professor tão bom.
Antes que transpareça a perfeição,
ou vasos vazios em exposição...
Eu vejo seus defeitos,
suas dificuldades, suas desistências,
o seu dizer sim querendo dizer não,
e a pessoalidade de cada aperto de mão,
e sinceramente não sei se admiro ou odeio
essa sua disposição de não se importar
com as pessoas que confundem sua bondade com fraqueza,
sua paciência com desdém,
sua compreensão com falta de opinião.
Eu sempre pensei em loterias, milhões, mansões,
mas nada se compara com a sorte de encontrar alguém entre bilhões,
que seja tão parecido com Jesus,
e eu vejo isso,
sim eu vejo,
eu vejo no seu olhar,
em alguma ligação,
na resposta para o chefe,
no lidar com o piá,
no amor com a esposa,
e é obviamente antiquado,
mas esse ainda é o melhor elogio que possa existir,
e sim, mil vezes sim,
eu vejo Cristo em você.
Neste tempo tão fútil de coisas que passam sem razão,
pessoas que vivem sem se encontrar,
e dias que simplesmente se vão,
antes de morrer eu apenas quero que o mundo saiba
que se vale um elogio que este seja feito então,
e mesmo que o mundo duvide,
que se dane o mundo,
porque muitos se resumem em ascensão,
mas os que valem a pena
são aqueles que se importam com o legado que deixarão.

2 comentários:

Adilson Mittersteiner disse...

Sem comentários...fantástico...muito lindas suas palavras

Saulo nunes disse...

Simplesmente perfeito o texto... Parabéns.