segunda-feira, 2 de maio de 2016

Elefante

Hoje a noite eu não vou me preocupar com o que vou dizer,
pouco importa frases clichês,
flechas lançadas, palavras ditas ou oportunidades perdidas,
tudo tem volta nesse mundo de desculpas esfarrapadas.
Ninguém se importa com elefantes que voam
quando o centro do universo começa e termina no seu umbigo,
somos fabricados com defeito,
e seu tom de voz sorteia defeitos alheios,
quem consegue sair ileso no mundo dos perfeitos?
Você me fala como devo ser,
abençoada teimosia a minha,
não existe certo ou errado
em jogos feitos para um vencedor.
Você me diz onde tenho que chegar,
satisfeito estou por saber onde estou,
existem batalhas contadas
nas cicatrizes de quem já lutou
que quem nunca sangrou não consegue entender.
Tem gente sorrindo e morrendo por dentro,
a maquiagem do palhaço se desfaz após o show,
então segure a respiração,
porque embora minhas palavras se repitam,
essas provavelmente não irão,
pouco me importa o seu umbigo,
suas regras, seus mapas, seu jeito, sua perfeição,
enquanto as pessoas ao seu redor não superam sua expectativa,
eu vivo minha vida como uma criança que segura um balão.
Não se muda pra agradar os que dizem sim, sem desagradar aos que dizem não,
não existem mudanças necessárias que façam valer cada segundo sendo o que não se nasceu pra ser,
e pode parecer meio besta,
mas nesse mundo em que só notícias ruins chegam,
eu me distraio com elefantes que voam,
pois você espera que eu seja alguém que não sou,
e pra isso eu não tenho solução.


Nenhum comentário: