sexta-feira, 6 de junho de 2014

O Sol se foi



Ainda reflete na janela

quase dizendo adeus

se agarrando aos últimos instantes.

Essa é só a mesma cidade de sempre,

cheia de mentiras e vontades,

pessoas vazias com pensamentos

distantes.

Me conte uma verdade

me fale sobre os dias em que algo foi real.

Eu sou o mundo diante dos seus olhos,

morrendo devagar,

trocando a qualquer preço mil frases de amor

por um sentimento verdadeiro.

Ainda faço as mesmas promessas,

alguns ideais não morrem de frio,

e por mais que chegue a noite mais escura,

os sonhos não se perdem,

se guiam pelas estrelas.

Nenhum comentário: