sexta-feira, 6 de junho de 2014

Bagunça



Eu não acredito mais nas coisas que deixamos para depois,

sim, eu nunca fui bom em ouvir as palavras que você nunca falou,

mas também não precisava deixar a bagunça que você deixou.

A porta já não fecha e pouco importa,

o que era sopro se fez temporal,

arrancou as janelas

e fez o tempo passar sem pressa.

Ainda existem pedaços para juntar,

um quase silêncio precisando desabafar,

não escondo minhas dores,

mas não repare a bagunça ao entrar.

Eu não tenho mais a saudade das coisas que não vivemos,

sim, eu sou mais um cara errado com todos os defeitos

que sempre existem em uma história que acabou.

Nenhum comentário: