sexta-feira, 2 de março de 2012

Palavras da saudade


É só reparar nos olhos,
de quem ainda consegue enxergar,
e teremos o retrato do lar,
as palavras doces,
e a simplicidade de acreditar.
Meu coração distraído,
se fez aprendiz do desapego,
e dança com as dores do mundo,
com ar de tanto faz.

Seria tarde para um filho que se foi,
poder voltar atrás?
Seria pedir demais,
um abraço desse velho Pai?

Estou aqui,
e não mereço.
Estou aqui,
perdido, machucado.
Estou aqui,
porque já não consigo,
estar em qualquer lugar,
que não seja do seu lado.

Um comentário:

Baerdal disse...

Sempre bom conhecer novos ares, mesmo que estejamos distraídos, ou ate mesmo caídos...
Bela expressão de versos.
grande abraço do agora companheiro do teu blog.

Baerdal.