segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Conserta-me


Deixei cair chuva de pedras,
sobre meus sonhos de vidro,
um homem arrependido,
que corta as mãos,
ao juntar os cacos caídos.
Desconfio que as palavras que digo,
sejam minhas desculpas,
entorpecendo meu coração ferido.
Eu demorei pra chegar até aqui,
não deixarei nada escondido.

Me fale sobre meus defeitos,
sobre quem sou e finjo ser.
Me fale as palavras,
que só você pode dizer,
me fale o que preciso,
e conserta-me.

Tornei minha cidade um grande cemitério,
que ironia um enviado da vida,
se transformar em um ótimo coveiro.
Eu tinha todas as perguntas,
mas não aprendi a esperar,
o tempo certo que se leva para responder.

Nenhum comentário: