segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O Embarque


Não preciso das coisas que perdi,
para pintar o céu, das cores que desejo,
existem sim muitos motivos para relembrar,
mas levo comigo as lágrimas da despedida,
para transformar em sorrisos na chegada,
no fim dessa estrada que decidi caminhar.
Espero que fotografias sejam suficientes,
para te fazer esquecer as loucuras desse mundo,
e não se preocupe em corresponder as expectativas,
eu sempre acreditei que o final,
é um copo meio cheio,
é um novo começo,
é a última chance até termos a próxima.
Às perguntas nunca feitas,
respostas silenciosas,
como alguém que grita,
gotas de chuva no deserto.
Ao olhar que destila a história,
canções de como poderia ser,
esperando somente os ponteiros marcarem,
a hora de embarcar e ir embora.
Eu seguirei essa estrada aberta,
quem se importa com o que é seguro,
se a vida nada mais é que um tiro no escuro,
em alvos que se movem.

Nenhum comentário: