quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Insônia


Vai ser uma longa noite,
com o pensamento longe,
arrependimentos perto,
e muita coisa pra mudar.
Logo de manhã,
vai ser como uma brisa de domingo,
sem muito o que se preocupar,
sem muito assunto pra constar,
mas eu vou lembrar de tudo
que vale a pena,
e trarei uma âncora
pra presentear meu lado ranzinza,
ou como diriam,
meu lado frágil de ser rancoroso.
Mas vamos ver o lado bom
que todos têm,
todos, menos os que queremos que não tenham,
ou aqueles que nos fere o peito,
arranca os sonhos,
e levam embora toda paixão e amor dedicado.
Existe amor?
Mais certo que o calor do Sol,
ou tão certo como a saudade de quem perdeu quem tanto se amou!
Viva, sem precisar culpar alguém por não ter vivido,
porque a vida não aceita cheque pré-datado,
o pagamento é à vista,
e no final do prazo não existe saldo devedor.
Eu gosto dos que se misturam,
o puro é aquele iludido que acaba por se sentir superior,
te veio na lembrança tanta gente...
Eu sei...
Minha mente também vagou e numerou um tanto enorme de pessoas,
que não caberiam em um texto.
Eu gosto dos que não fazem sentido,
dos que correm atrás do sonho,
mesmo que sonhar seja pagar o preço de correr atrás,
sem nunca chegar em primeiro lugar.
Afinal estamos passeando
por essa vida cheia de futilidades e absurdos,
amores eternos e o que pensamos que vale a pena,
pensamos...
No final vendemos o que não tem preço,
já dizia meu favorito compositor,
por isso ao menos super valorize
o que você tem de bom,
e eu espero que o que você tenha de melhor
seja seu coração, seu sentimento,
e a vontade enorme de sonhar com um dia,
em que tudo será como um filme,
mesmo que esse filme seja um curta-metragem,
só por existir já vale o preço da entrada,
no cinema da sua vida.
Fico por aqui com minhas palavras repetidas,
sinônimos do que um dia já disse,
e cópias do que já disseram.

Nenhum comentário: