domingo, 21 de agosto de 2011

Um louco diz


Eu trago os sonhos no contra-tempo do meu peito,
aprendendo a resgatar memórias,
dos lugares onde nunca estive,
e dos momentos que nunca cheguei a viver.
Desacreditei nos passos que compõem a caminhada,
quando eles trouxeram câimbras à minha esperança.
Então paro meu pensamento enquanto minhas pernas se confudem,
na multidão do apressados,
na multidão dos atrasados,
eu deixo meu pensamento, suavemente parar,
como quem tenta se convencer que os vencedores,
são aqueles que conseguem levar a vida devagar.
Sigo admirando as palavras de um louco,
as histórias tristes de quem teve a convicção de desistir,
enquanto o mundo ergue apenas os que conseguem vencer,
mas de que importa a opinião de um mundo que não tem tempo pra si mesmo?
Durmo com minha consciência cantando no meu ouvido,
as palavras de tal louco que me diz,
que ter tempo é um dom,
e a vida é um aprendizado que ensina somente a aproveita-lo.