sexta-feira, 20 de maio de 2011

Eu não saberia o que dizer


Eu não estava lá,
pra segurar suas mãos frias,
Soube pelos outros,
da sua agonia,
eu não saberia o que dizer.

Não pude me despedir,
mas com esperança,
espero você voltar.
Meus olhos não viram você partir,
mas com uma saudade que não cabe em si,
espero você chegar.

Eu não pude evitar,
a dor que te afligiu.
Soube pelos outros,
você que escolheu,
eu não saberia o que dizer.

E foi tudo por você,
e por isso estou aqui,
te esperando voltar,
pra te dizer não sei o que.
Mas esperando por você

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Dias bem vividos


Lembra de quando tudo parecia impossível?
Não que tudo seja fácil,
cicatrizes na memória,
gritam como tudo foi difícil.
Lembra de tudo que nos prometeram?
Não que tenham cumprido,
as lacunas em branco,
silenciam o tempo,
que não foi tempo perdido.

Como nós crescemos com tudo isso,
uns sonhos deixados, alguns rounds vencidos.
Como nós crescemos com tudo isso,
a vida na estrada, dias bem vividos.

Lembra como o mundo era pequeno?
Se limitava entre o que nos diziam,
e todos os nossos medos.
A realidade era um segredo.
Lembra dos que não acreditavam?
Eles suportam suas vidas,
como um fardo,
com cores de pesadelo,
prometendo mudanças pra si mesmos.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O que sobrou de mim


Um brinde aos degraus,
que nos trouxeram até aqui,
é difícil se reconstruir,
recomeçar não apaga cicatriz.
Um sonho é só um sonho pra quem ouve falar,
mas real pra quem pode viver,
pedras no caminho sempre vão existir,
mas os castelos são construídos de que?

O que sobrou de mim,
grita que sobrevivi,
Pedaços pelo chão,
ainda tenho muito a aprender.
A diferença não está,
no que fizeram com você,
mas no que você vai fazer,
com o que restou de você.

Um passo na direção contrária,
um caminho e tantas portas erradas,
gente que finge feliz,
o peso de uma humanidade cansada.
Um sonho é só um sonho pra quem ouve falar,
mas real pra quem pode viver,
pedras no caminho sempre vão existir,
mas os castelos são construídos de quê?

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Imaginar minha vida sem Ti


Vou tentar, mas de antemão sei que não vou conseguir,
sim prometo que vou me esforçar,
mas friso bem que não vou conseguir imaginar...
Imaginar minha vida sem Ti.
Seria acordar em dias de inverno,
sem o Sol, sem as flores, sem sonhos,
sem música, sem momentos pra lembrar,
sem a paz, sem o conforto de poder pertencer a Ti.
Seria lutar por mil objetivos,
alcançar todos e mesmo assim não ser feliz,
quem sabe encontrar um grande amor,
e mesmo assim nunca descobrir o que realmente é amar.
Seria um retrato desfocado de como tudo poderia ser,
críticas que almejam construir grandes construções,
um vazio que consegue preencher por não ter nada melhor em si,
uma multidão de pessoas que viveriam suas vidas tentando convencer,
de suas certezas, suas convicções,
mas sem nada entender.
Ah como seria triste minha vida sem Ti,
o céu não me presentearia com estrelas ao anoitecer,
o sorriso de uma criança não faria mais qualquer um sorrir,
e o tempo seria um massacre ao passar sem razão pra existir.
Seria como folha seca que vara a primavera,
e escurece mais a cada estação,
até desaparecer.
Seria impossível, e por não haver possibilidades,
acho que o impossível seria uma palavra que não iria existir.
Enfim minha imaginação só consegue ir até aqui,
sem som, sem palavras, sem nada.
Disse antes que não iria conseguir,
então sem surpresa agora estou aqui perto fim,
só pra poder dizer,
que ainda que eu pudesse imaginar um mundo perfeito,
eu iria escolher viver as dificuldades desse mundo aqui,
as tristezas, os devaneios, as incompreensões,
desse mundo bem aqui,
talvez porque eu não saiba,
talvez porque eu não consiga,
talvez porque sem você seja tudo imaginação,
mas me apóio na idéia de que seja pelo fato,
de eu querer viver com você.