quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Tudo que preciso


Eu preciso de todo tempo do mundo,
pra viver cada instante com você,
preciso dessa saudade de chegar em casa e te ver,
preciso do seu cheiro no travesseiro,
que fica mesmo quando você se vai.
Eu preciso te ter por perto,
preciso do seu temperamento brando,
me dizendo que as coisas podem ter um outro jeito de se ver,
preciso das palavras que seus olhos dizem,
e só eu consigo ler.
Preciso cuidar de você,
te cobrir ou na maioria das vezes te descobrir,
te abraçar e quando você menos esperar te dizer o que sinto,
sem nem ao menos ensaiar.
Preciso inventar novas palavras,
que façam você entender novamente,
o significado de "pra sempre",
preciso te ligar todas as vezes que ligo,
só pra ouvir sua voz,
e assim ter a certeza que é um sonho,
mas que não deixa de ser real.
Preciso das suas surpresas,
sua paciência e toda sua atenção,
preciso de silêncio enquanto estou no fogão,
preciso também durante o almoço segurar suas mãos.
Preciso que você me beije e pare de me beliscar,
preciso ser seu amigo, amante e companheiro,
preciso estar perto mesmo longe,
ser visita constante no seu pensamento,
mesmo que isso não faça sentido.
Eu preciso ser isso tudo,
porque ao teu lado é fácil ser tudo que eu preciso.

Relativo


Somos seres pela metade,
buscamos algo que se encaixe,
e nossos olhos fixos no céu,
denunciam a esperança que temos,
de que haja mais que nuvens,
mais que essa chuva que não passa.
O caos só proporciona um momento de alívio,
mas só consegue sentir os que tem o dom do silêncio,
e enquanto os sábios de um mundo louco usam os pronomes pessoais me, mim, comigo,
os loucos de um mundo "são" continuam trocando verbos por ações.
Falham as segundas chances,
adormecem as boas inteções,
a fagulha de hoje nada mais é que o incêndio de amanhã,
e se existem coisas que o dinheiro não compra,
deixaram de nos mostrar.
O fim que antes era justificado pelos meios,
hoje já não precisa de justificativa,
nossos erros hasteiam a bandeira de tudo que é relativo,
logo nada é tão certo que não possa estar errado,
e nada é tão errado que não possa estar certo.
Segue sem titubear os ponteiros do relógio,
marcando as horas e minutos por anos à fio,
e nos falta mesmo assim, tempo para admitirmos,
que sentimos falta de viver cada momento,
isso mesmo... momento... aquela menor fração do tempo,
sentimos falta dos momentos em que o mais importante é não fazer nada,
mesmo que isso já seja fazer alguma coisa,
mas todos nós entendemos a indústria do consumismo,
que ter é mais importante do que ser,
isso é indubitavelmente indiscutível,
porém quando isso começou a acontecer,
isso eu não me lembro.
Uma bala deixa seu rastro no céu escuro,
que era palco das estrelas,
o sangue escorre no jardim,
que era palco das flores,
e o desconforto borra o papel,
que era palco da poesia,
tempos que mudam, seres que se adaptam,
valores que se perdem.
O tempo nos deixou escolher,
e fizemos as escolhas erradas,
mesmo tendo a justificativa do relativismo.
Resta-nos agora simplesmente aprender,
que entre ter e ser, devemos ser absolutos,
resta-nos acreditar que o mais simples é a escolha certa,
mesmo sendo um absurdo.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Contas à pagar


Tiro um dia da semana,
pra rasgar as contas à pagar,
não sei se visito minhas lembranças,
ou se deixo a bagunça por assim estar.
Eu empilhei minhas decepções,
e quase me soterrei,
a pior derrota é não ter a quem culpar,
e já vão pelo ralo vinte e poucos anos,
sem muito ter feito, sem muito o que dizer,
ouvindo promessas na tv,
ouvindo minha voz ecoando em minha mente,
dizendo que tudo um dia será como deveria ser.
Respiro o mesmo ar que assassinos e covardes,
rio das piadas de um estuprador,
olho no fundo dos olhos de um ladrão,
que amanhã pode me roubar,
e eu me pergunto o que é justo?
O que faz sentido nesse mundo de palavras pesadas,
e atitudes leves que evaporam no calor do momento?
Já não sei quem é mais covarde,
os que matam seus próprios sonhos por medo de viver,
ou os homicídas qualificados que mesmo na prisão,
não tendem a se arrepender,
talvez eu tire um dia da semana pra entender.
Encontrei na estante a resposta pra todas as perguntas,
incrível como o mais simples deixou de ser o mais importante,
e os dias felizes se tornaram feriados em um calendário,
e fomos escoando pela eternidade como perguntas retóricas,
por medo de descobrirmos a única resposta que vale a pena.
Mas vou tirar um dia da semana pra entender tudo isso,
mesmo que esse dia dure a vida inteira,
mesmo até que eu não consiga entender,
mas uma coisa eu tenho certeza...
Vou rasgar as contas à pagar,
afinal isso dura apenas algumas horas,
do dia da semana que irei tirar.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Nome sobre todo nome


Meus dias escuros,
foram interrompidos,
pela revelação da tua graça,
que pois em meus olhos um novo brilho,
em minha boca uma nova canção,
que trouxe vida onde havia morte e solidão,
o nome sobre todo nome, sobre todo nome.

Jesus o nome sobre todo nome,
rendido e sem saber o que dizer,
eu dou toda glória ao filho do homem.
Jesus o nome sobre todo nome,
o caminho, a verdade, a vida,
a graça e o amor que me alcançou.

Meus dias de silêncio,
foram interrompidos,
pela revelação do seu amor,
que estendeu a mão a um pecador,
sonhos ao meu mundo sem cor,
que trouxe esperança pra superar a dor,
o nome sobre todo nome, sobre todo nome.