terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Dançarina


Ela era tão linda dançando,
parecia que o mundo era um palco,
e as estrelas sorriam enquanto ela dançava,
mas hoje seus pés doem,
ela não dança mais.
O que era colorido ficou em tons cinzas,
e a flor em seu cabelo de tão triste secou,
as pessoas perguntam pela bela dançarina,
que recortou notícias suas de um jornal velho,
pegou seu baú e retirou fotografias,
e se lembrou do sentido que tudo fazia,
as lágrimas de todos em pé à aplaudir,
as crianças que imitavam cada passo da sua dança,
mas hoje sua memória falha,
e ela não dança mais.
Era pra ser um sonho realizado,
era pra ser a maior foto transformada em quadro,
e tudo se resume em lágrimas silenciosas,
que caem quando ela apaga a luz do quarto,
não existem culpados,
não existem motivos,
apenas uma dançarina que já não dança mais.
Ela tinha planos,
em seus ensaios sabia exatamente a ordem dos passos,
mas hoje não sabe caminhar,
percebeu que não tem forças para ensaiar,
por isso cabisbaixa diz que tudo está bem,
esconde o que não consegue explicar,
ou apenas tem fé pra acreditar,
que o pior pode ser também o maior motivo pra que as coisas possam melhorar.
Hoje é sua última noite,
e ela nem vai saber,
acho que se soubesse, voltaria a dançar,
dançaria na chuva, viveria o pouco que resta como uma louca,
dançaria simplesmente.
Sem palcos, nem ao menos aplausos no final,
mas dançaria apenas por ser a única coisa que ela saiba fazer,
apenas por ser uma dançarina que mesmo sem dançar,
nunca deixou de ser uma linda dançarina.

Um comentário:

Kiro Menezes disse...

Nossa... Queria saber poetar
e palavras tão doces fazer bailar
num palco de vidros e espelhos
para lhe homenagear

Já não se pode sorrir
que a lágrima não deixa enxergar
esse teu belo sentir
e a falta que nos faz dançar!

Não deixar-se iludir e parar
não deixar de amar
não deixar a vida passar
e viver
respirar
mil vezes crescer
e sorrir
e chorar
e cair
levantar
seguir
voltar
andar
correr
pedalar
descer
subir
VIVER!!!


Amei... é belíssima tua poesia!!!
Mesmo ♥