terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Filosofia imediata


Todos meus amigos,
já fizeram faculdade,
todos meus amigos,
tem carros, casas,
e um emprego de verdade.

Já que eles tem tudo,
e eu não tenho nada,
vou viver tudo de uma só vez,
filosofia imediata.
Viver todos os sonhos,
meter o pé na estrada.
Quem sabe encontrar,
um caminho pra felicidade.

Só de sacanagem,
hoje vou curtir minha liberdade.
E só pra me vingar,
amanhã vou acordar bem tarde.

Todos os meus amigos,
usam terno e gravata,
todos os meus amigos,
viajam pra Europa,
e tem casa de praia.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Guarde seus conselhos


O mundo se fez madrugada,
e são tantas opiniões,
que se unem no intuito,
de preencher o vazio.
É que eu não peço conselhos,
minhas escolhas refletem,
meus erros e acertos,
bom não precisar culpar ninguém.

Se perder não é estar perdido,
é reconhecer que em algum momento se perdeu,
resolver problemas alheios,
é a qualidade dos que não conseguem resolver os seus.

O mundo se fez colorido,
mas as pessoas são sem cor,
na dança dos valores invertidos,
o que era simples perdeu o valor.
É que poderíamos ser um livro,
mas somos um rascunho,
do que um dia alguém sonhou,
já que na hora de escrever o final feliz,
a tinta da caneta acabou.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

...


Pai, talvez essa carta demore pra chegar,
talvez chegue depois das datas importantes de fim do ano,
acho que as palavras não entendem o significado de urgência,
porém tudo aqui escrito diz respeito ao meu desespero e saudade,
algumas lembranças e muita dor.
Como faz tempo que não lhe falo, que não lhe escrevo,
queria dizer que voltei aos meu vícios,
estou sendo soberbo novamente,
estou me sentindo superior a todo mundo,
uma recaída tão forte, que só consigo pensar em mim.
Estou perdido, não sei como recomeçar,
não sei o que fazer, mas finjo estar tudo bem,
eu lembro de tudo que vivemos e me dói tanto,
joguei todos os meus dons fora,
pior que um filho pródigo que sente vontade de comer comida de porcos,
eu tenho habitado no lixo,
lixo de conceitos tão meus que parecem ter sentido,
mas não tem.
Faz tanto tempo que não digo a verdade...
Espera só um instante senão as lágrimas vão manchar o papel...
Pai...
Eu estou morto.
Não tenho sonhos reais...
Nem planos concretos...
Não tenho mais você por perto.
Pai, todos me dão conselhos, todos me dizem o que fazer,
mas eu não dou ouvidos,
tenho vivido pela minhas regras,
eu me lembro do violão quebrado,
dentro daquele quarto soando notas desafinadas,
era tão simples,
era apenas eu e você e tudo que eu queria te dizer.
Eu lembro de pessoas indo ao seu encontro,
de todas as horas dedicadas a você,
do coração agradecido,
mas nada disso restou.
Pai, eu não me suporto mais,
não agüento mais o mesmo teto,
a mesma vida, o mesmo jeito,
vivo sem nenhum fundamento,
sem nenhuma razão,
com o passar do tempo adquiri o dom de me decepcionar comigo mesmo,
e te escrevo hoje com a saudade de quem não vai viver muito tempo.
Pai, queria te ter por perto novamente,
queria não precisar escrever,
queria poder te dizer pessoalmente,
a falta que você tem me feito,
você me criou pra viver ao teu lado,
e hoje perto das festas em que tudo se torna bonito e falso,
eu não tenho palavras bonitas pra dizer,
nem grandes feitos pra te orgulhar,
só um pedido,
preciso de ajuda, a sua ajuda,
porque estou morto,
e só você pode me ajudar.

De seu filho.

Hoje, quase, amor


Hoje eu quase entendi o amor,
eu abri os olhos e pude ver,
que todos os sonhos são possíveis com você,
e por mais que eu pudesse viver mil anos,
e a cada instante me esforçasse para te felicitar,
seria ainda que insuficiente para alcançar seu jeito simples,
de fazer meu mundo girar.
Hoje eu quase entendi o amor,
é o cheiro de flor que exala seus cabelos,
sua cara amassada de quem dormiu bem a noite inteira,
minha vontade de te ter pra sempre,
enquanto você se sente completa enquanto é abraçada.
Hoje eu quase entendi o amor,
é uma certeza que se tem de tudo que para o mundo é incerto,
é cantar no seu ouvido músicas que você gosta de escutar,
e se sentir saudade de você a cada segundo for paixão,
só posso dizer que nunca foi tão bom se apaixonar,
e se precisarmos de palavras para expressar,
que nossos passos sigam sem definição,
afinal os poemas mais bonitos,
são aqueles ditos quando ficamos sem ter o que falar,
e por mais que pareça clichê,
que poesia poderia se comparar ao que dizemos com o olhar?
Hoje eu quase entendi o amor,
é ser plural sem precisar perder o que é singular,
é aproveitar que nada se repete e viver com a intensidade,
de poder dizer que viveria tudo novamente.
Hoje eu quase entendi o amor,
e não é diferente do que dizem por aí,
não se resume em dizer,
não se prende em apenas sentir,
não se define por fazer,
e nenhum dicionário é capaz de conte-lo,
talvez por ser imenso e simples ao mesmo tempo,
talvez por ser o que digo,
o que sentimos, o que fazemos,
talvez porque eu quase tenha entendido,
talvez porque quando entendemos,
não seja amor.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Dançarina


Ela era tão linda dançando,
parecia que o mundo era um palco,
e as estrelas sorriam enquanto ela dançava,
mas hoje seus pés doem,
ela não dança mais.
O que era colorido ficou em tons cinzas,
e a flor em seu cabelo de tão triste secou,
as pessoas perguntam pela bela dançarina,
que recortou notícias suas de um jornal velho,
pegou seu baú e retirou fotografias,
e se lembrou do sentido que tudo fazia,
as lágrimas de todos em pé à aplaudir,
as crianças que imitavam cada passo da sua dança,
mas hoje sua memória falha,
e ela não dança mais.
Era pra ser um sonho realizado,
era pra ser a maior foto transformada em quadro,
e tudo se resume em lágrimas silenciosas,
que caem quando ela apaga a luz do quarto,
não existem culpados,
não existem motivos,
apenas uma dançarina que já não dança mais.
Ela tinha planos,
em seus ensaios sabia exatamente a ordem dos passos,
mas hoje não sabe caminhar,
percebeu que não tem forças para ensaiar,
por isso cabisbaixa diz que tudo está bem,
esconde o que não consegue explicar,
ou apenas tem fé pra acreditar,
que o pior pode ser também o maior motivo pra que as coisas possam melhorar.
Hoje é sua última noite,
e ela nem vai saber,
acho que se soubesse, voltaria a dançar,
dançaria na chuva, viveria o pouco que resta como uma louca,
dançaria simplesmente.
Sem palcos, nem ao menos aplausos no final,
mas dançaria apenas por ser a única coisa que ela saiba fazer,
apenas por ser uma dançarina que mesmo sem dançar,
nunca deixou de ser uma linda dançarina.