segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Rosas e vinho tinto


Vai acabar...
E só eu me prendo ao não querer,
tudo que toco deixa de ser eterno,
como esse momento que não deveria existir,
ela teve o quis para uma noite,
e eu perdi o que queria para vida inteira.
Vai acabar...
Logo ao amanhecer ninguém lembrará de ninguém,
o vinho tinto na taça,
uma noite pra cair em seu esquecimento,
e uma dor sem sentido que não passa.
Vai acabar...
As lágrimas dela, meu abraço e tudo que ela fala sem pensar,
sobre esperar na estante,
sobre o egoísmo alheio,
sobre suas questões sobre si mesma.
Vai acabar...
Soluções imediatas que trarão problemas mais longos,
meus momentos que me flagro distraído,
com vontade de chorar,
não por mim, não por você,
mas por um "nós" que nunca existirá.
Vai acabar...
Essa é a parte mais difícil de esquecer,
seu jeito enquanto dorme,
sem se preocupar com os amores despedaçados,
sem se preocupar com os sentidos dos fatos tão incertos,
eu cobrindo as rosas em seu braço pra que você não sinta frio.
Já está quase acabando...
A sua ressaca vai doer mais em mim do que em você,
o seu mundo que gira vai bloquear a luz do Sol no meu,
e são as partes mais raras que você não vai lembrar,
como suas tentativas de se convencer das suas mentiras,
mentira ao dizer que você é uma qualquer,
mentira ao dizer que não se importar é normal,
mentira ao tentar me convencer que é amor,
quando ambos sabemos que amor não é um nome,
amor não é a poesia escrita na parede do seu quarto,
amor é um verbo que se conjuga sem saber muito bem o porque.
Antes que acabe...
São as últimas palavras que se afogam no alto teor alcoólico,
esperando algum pescador retirar o que for bom,
mas de bom só existe você,
e seu desabafo ao tentar entender tudo que ninguém nunca entende,
e uma delas é ser egoísta com quem não foi egoísta com você,
mas se existe um caminho a seguir e o mapa foi feito a seu bel-prazer,
então que seja o esquecimento,
já que isso é tão importante pra você,
como se erros e acertos não fizessem parte disso tudo,
como se você tivesse mais coragem de viver quando bebe,
e fosse fraca quando tenta esquecer.
Acabou e você me avisou que iria acabar.

Um comentário:

Symone disse...

Ola...Boa tarde!
Caramba, você escreve muito bem, adorei tudo no seu blog, sempre com muito sentido, expressivo e cheio de emoção....
Symone
http://www.llimiar.blogspot.com/