segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Abstrato (coisas sem sentido que tive vontade de falar)


São escolhas que definem o caminho,
a cura para nosso câncer no destino,
é entender que a vida se resume em decidir,
entre os outros e você.
Falaremos com a menina do cabelo de mil cores?
Ou deixaremos a festa acabar sem nem ao menos saber o nome dela?
O que os outros vão pensar ou o que você gostaria de viver?
É tão simples e certo dizer que são as questões que movem o mundo,
que as respostas só existem como reação,
como uma tentativa de dar continuidade ao que alguém causou.
As palavras hoje caem como quadros abstratos,
sem sentido algum, como se viessem a passeio e logo nos deixarão,
é que eu só queria viver essa noite sem me preocupar,
sem tentar me iludir, afinal deixar acontecer,
é dar um tiro para o alto esperando uma estrela atingir,
por isso não somos feitos do mesmo material que os sonhos,
somos feitos das escolhas que fazemos.
Pediremos o telefone da menina que usa blusa xadrez?
Contaremos alguma piada pra que ela deixe cair algum sorriso?
Ou ela vai sem nem saber que existimos?
Não existe um mundo lá fora,
somos apenas nós e os outros,
e por mais insignificante que seja, isso é o que mais importa,
afinal minhas decisões se constrangem ao ver que os outros podem não me entender,
agora pequena eu só penso em você,
como uma escolha feita a milhões de anos,
mas que escolheu esse momento para acontecer,
é abstrato me iludir e pensar que você pensa em mim,
porém o que torna real é viver intensamente tudo que tenho pra viver,
e eu escolhi fazer você sorrir,
ao te dar meu telefone,
ao te dizer que acho lindo seu all star,
ao me surpreender quando você retorna no meu celular.

Nenhum comentário: