domingo, 19 de setembro de 2010

Ela me faz acordar sorrindo


Me prendo aos detalhes,
porque seria difícil definir tudo que você é,
tudo que vejo quando olho você dormindo,
como se o mundo fosse azul,
como se a vida fosse feita apenas pra mim e pra você.
É por isso que me perco te olhando,
desenhando o verde dos seus olhos,
pra que nunca nada disso caia no esquecimento,
porque somos feitos de marcas eternas em um mundo passageiro,
e é triste saber que os dias sem você são lentos.
Invento o pretexto de mil filmes pra estar do seu lado,
andar de mãos dadas de noite e de dia,
ficar deitado fazendo você rir,
rir porque existem mil motivos,
rir porque se tudo foi feito pra não se repetir,
ao menos vivemos da melhor forma.
Com você eu estou exatamente onde eu queria estar,
e tudo acontece no momento certo,
como chuva que cai fininha fingindo não ter intenção de molhar,
como minha vontade de não deixar você levantar,
e ficar comigo até o dia dar lugar a outro dia.
Se nada foi feito pra durar pra sempre,
então vou guardar cada um desses momentos,
em algum lugar onde não exista tempo,
onde só exista tudo que estamos vivendo.
Me prendo aos detalhes, ao seu cheiro, seu gosto, seu beijo,
ao seu café da manhã com suco em pó e pão com queijo,
ao nosso almoço, nossa soneca,
e minha vontade de viver tudo de novo e novamente,
porque com você tudo se torna diferente,
porque não é a história de um só, mas é a história da gente,
e a nossa história a gente escreve com um final contente.
Me prendo a tudo isso,
porque é ao seu lado que acordo sorrindo,
mesmo numa madrugada que acabamos não dormindo,
o "todo" de toda arte é apenas parte do previsível,
os detalhes de cada vida é viver o que não foi planejado da melhor maneira possível,
porque quem não assume riscos nunca vai viver o que poetas chamariam de lindo,
e o que eu chamo de acordar sorrindo.

sábado, 18 de setembro de 2010

Um Deus, um bêbado e muitas coisas pra dizer numa madrugada qualquer


Se Você permitir,
então deixaremos marcas eternas nesse mundo passageiro,
falaremos das coisas que existem quando estamos em Ti,
viveremos a única razão de existir.
A essência sempre esteve aqui,
nas atitudes tortas de um imperfeito ser,
que se esquece de quem é,
e por isso vive uma vida como se não estivesse a viver.
São sonhos impossíveis,
mas é justamente quando o mundo não consegue alcançar,
que seu sorriso me convence,
que estaremos juntos até o final,
até o dia que seremos um.
Enquanto nossos ideais buscam finais felizes em filmes,
enquanto nosso fôlego se prende aos dias sem sentido,
nossos corações buscam por te conhecer mais de perto,
sem se importar com o que vem de fora,
mas nunca deixando poluir o que vem de dentro,
porque no final das contas,
existe além do dinheiro, das razões e das emoções,
existe além das influências, da tristeza e das preocupações,
um lugar que me convém adormecer,
e esse lugar é em Ti.
Sim, somos a escória tentando viver vida de reis,
pobres distribuindo riquezas,
mas quem encontra sentido nas coisas mais belas?
Quem consegue medir o amor?
Quem pode prever o futuro?
Quem ouviria as palavras de um bêbado sentado no chão da sala?
Pouco nos importa o que é tão valioso para todos aqui,
mas de tudo que foi criado e que um dia irá existir,
peço que a essência do que somos por Ti,
nunca se vá,
porque mil chances teremos,
mas em todas queremos te encontrar,
porque o mundo é um pequeno passo para conquistar,
mas de nada vale se perdermos a Ti.

A rosa depois do furacão (Parte final do adeus)


Estou aqui como alguém que veio dizer oi,
mas sabe que hoje é a parte final do adeus,
então não vou apressar os instantes,
talvez seja repetitivo dizer que eu tenho pensado tanto em você,
mesmo sem motivos, mesmo sem te conhecer,
mesmo tendo em mente que você existir é o único motivo que deveria existir,
mesmo tendo em mente que ninguém conhece alguém como deveria conhecer.
Eu não me prendo à beleza das flores,
porque sei que flores secam quando deixa de chover,
mas pra mim tem sido difícil me libertar,
do pensamento que adormece ao seu lado,
e acorda com o cheiro que me lembra você,
já não me importo em ser poesia,
são palavras caindo como tempestade que enche as ruas.
Não vamos ficar em silêncio,
esse é o último momento que temos,
pra falar sobre as coisas que poderiam acontecer,
e não se limitar ao que aconteceu,
porque das coisas que passam nada podemos mudar,
mas daqui pra frente podemos viver como nunca imaginamos que poderíamos viver,
e eu gosto tanto de você,
pintaria o mundo da cor do seu quarto,
o céu da cor que você mais gosta,
seria seu afago até você adormecer.
Tudo está tão quieto,
eu sei que você tem tanto pra falar,
te faço um jantar enquanto você me fala seus medos, manias e defeitos,
e assim seremos dois deitados no sofá com a barriga cheia,
rindo sem concordar dos nomes dos filhos que não temos,
rindo porque temos mais motivos pra ser felizes do que para chorar.
É engraçado como o mundo é imperfeito,
e mesmo assim a gente enche a estante de porta-retratos,
com fotos na praia, fotos em casa, fotos fazendo careta no espelho,
fotos dos amigos, nossa história sendo detalhada.
Porque existirá um dia que as lembranças boas,
serão a essência do que nos tornamos,
e os medos serão menores, as manias diferentes,
e os defeitos darão lugar a qualidades,
mas mesmo assim em meio a todos possíveis conflitos seremos um.
Mas esses são os planos que nunca se realizarão,
afinal eu vim dizer oi,
sabendo que hoje é a parte final do adeus,
e pouco importa se estou apaixonado ou não,
o que importa é dizer que você é tudo,
mas vai continuar sendo tratada por alguém como se fosse nada,
que você é um mundo raro,
mas vai ser apenas uma estrela apagada em algum lugar dos espaços que sobram.
Das coisas que fazem parte do adeus,
eu prometo me ater a não olhar pra trás,
só quero que você saiba que você sempre será mais,
mais do que você pensa que é, mais do que dizem que você é,
mas se mesmo assim você não quiser acreditar,
então releia essa carta que eu escrevi na intenção de você não ler,
e se prenda ao que poderia ser e simplesmente nem começou.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Rosas e vinho tinto


Vai acabar...
E só eu me prendo ao não querer,
tudo que toco deixa de ser eterno,
como esse momento que não deveria existir,
ela teve o quis para uma noite,
e eu perdi o que queria para vida inteira.
Vai acabar...
Logo ao amanhecer ninguém lembrará de ninguém,
o vinho tinto na taça,
uma noite pra cair em seu esquecimento,
e uma dor sem sentido que não passa.
Vai acabar...
As lágrimas dela, meu abraço e tudo que ela fala sem pensar,
sobre esperar na estante,
sobre o egoísmo alheio,
sobre suas questões sobre si mesma.
Vai acabar...
Soluções imediatas que trarão problemas mais longos,
meus momentos que me flagro distraído,
com vontade de chorar,
não por mim, não por você,
mas por um "nós" que nunca existirá.
Vai acabar...
Essa é a parte mais difícil de esquecer,
seu jeito enquanto dorme,
sem se preocupar com os amores despedaçados,
sem se preocupar com os sentidos dos fatos tão incertos,
eu cobrindo as rosas em seu braço pra que você não sinta frio.
Já está quase acabando...
A sua ressaca vai doer mais em mim do que em você,
o seu mundo que gira vai bloquear a luz do Sol no meu,
e são as partes mais raras que você não vai lembrar,
como suas tentativas de se convencer das suas mentiras,
mentira ao dizer que você é uma qualquer,
mentira ao dizer que não se importar é normal,
mentira ao tentar me convencer que é amor,
quando ambos sabemos que amor não é um nome,
amor não é a poesia escrita na parede do seu quarto,
amor é um verbo que se conjuga sem saber muito bem o porque.
Antes que acabe...
São as últimas palavras que se afogam no alto teor alcoólico,
esperando algum pescador retirar o que for bom,
mas de bom só existe você,
e seu desabafo ao tentar entender tudo que ninguém nunca entende,
e uma delas é ser egoísta com quem não foi egoísta com você,
mas se existe um caminho a seguir e o mapa foi feito a seu bel-prazer,
então que seja o esquecimento,
já que isso é tão importante pra você,
como se erros e acertos não fizessem parte disso tudo,
como se você tivesse mais coragem de viver quando bebe,
e fosse fraca quando tenta esquecer.
Acabou e você me avisou que iria acabar.

domingo, 12 de setembro de 2010

Furacão


Bem vindo furacão, desta vez eu já estava te esperando,
bloqueei as janelas, talvez não veja a luz do Sol quando a tempestade passar,
mas também não vou deixar seu vento entrar,
e bagunçar toda minha vida,
jogar longe as fotografias,
misturar meus sentimentos com a vontade que se tem a noite e passa de dia.
Desta vez você trouxe presentes,
um sorriso, um beijo doce e um corpo quente,
mas só eu sei quanto tempo demorei pra reconstruir,
os cacos que você deixou ao partir,
e você sempre se vai,
levando tudo de mim, me deixando longe de tudo que eu sempre quis,
mas não desta vez.
Vou ficar no escuro esperando o vento destelhar esses dias tristes,
porque se existe um começo, haverá de qualquer forma um fim,
e o Sol vai voltar a brilhar.
Desta vez seu sopro será como um vento que apenas consegue mover um cata-vento,
me tirando o sono, mas não me deixando com medo,
me arrancando lágrimas, mas não meu arrependimento,
porque eu vivo noites de pra sempre, não noites de momentos.
Eu sei você vai empurrar a porta até entrar,
sentar no sofá e ler as notícias de ontem no jornal de hoje,
olhar nos meus olhos e rir da minha teoria,
que castelos de areia foram feitos pra durar,
mas em tempos como o nosso a única coisa que dura é a certeza de que tudo é incerto.
Não me deixe esperando, deixe logo tudo fora do lugar,
porque nada é mais frágil do que as palavras de alguém que não sabe o que dizer,
dizer que nada pode ser esquecido,
dizer que ninguém deve se importar,
dizer que fingir é negar a dor de tudo isso.
E dói aqui dentro,
onde sua tempestade não pode tocar,
onde seu vento não pode levar,
onde suas ondas não podem abalar,
dói no ideal de quem acredita no amor,
dói na esperança de encontrar uma razão maior,
do que apenas isso.
Mas de alguma forma eu já sabia que você iria chegar,
trazendo esse sorriso que nem uma borracha feita do mesmo material que as estrelas,
conseguiria apagar,
trazendo esse beijo que eu beijaria rezando pra que o dia insistisse em não acordar,
trazendo esse corpo quente que me embaralha sem saber quem é quem,
como se fosse uma canção que só uma noite perfeita sabe cantar.
Então antes de ir apenas me ensine a esquecer,
enquanto arrumo a bagunça que você vai deixar,
porque sou forte, mas tem tantas coisas que eu não sei,
não sei tocar violão, não vou saber a canção que você mais gosta de escutar,
não sei ser prático, não aprendi a esquecer,
mas eu sempre soube que você iria chegar,
e mesmo eu me preparando seria impossível não deixar você entrar.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O mundo tem olhos verdes quando ela sorri


Espero que ela entenda tudo que não foi feito pra ser entendido,
afinal o que nos importa não é o simples decorrer,
mas o final dos livros.
Espero que ela entenda que o espelho não reflete a metade do sorriso mais lindo,
que ela e só ela tem,
o sorriso de quem conversa como gente grande, mas é só uma menina,
uma menina que não sabe consertar o suporte da torneira que fica na cozinha,
que sonha em viver amores que parecem irreais,
mas que no fundo ela sabe que vão se realizar.
Espero que ela entenda que muitos nos roubam o tempo,
mas o meu tempo se esvai sem nem ao menos se importar em olhar pra trás,
como se nos conhecêssemos a anos,
e isso nos tornasse mais capazes de achar sentido nas linhas que ninguém nunca escreveu,
mas esse texto é pra que ela entenda não quem eu sou,
mas o tesouro que ela é e ninguém ainda achou.
Espero que ela entenda que ela forte,
mesmo chorando com qualquer vento,
ela é o dia de Sol, depois de uma semana de chuva,
ela é a impressão que tive se tornando real.
Espero que ela entenda que um pouco do que ela é,
já vale mais do que o resto do mundo,
porque o quarto tantas vezes sozinho,
não adormece o seu sorriso, que mais uma vez volto a dizer que é lindo.
Espero que ela entenda não o começo de tudo,
mas que ela nunca se esqueça do final,
e o final dela tem mãos dadas pelas ruas vazias,
e alguém que liga pra dar bom dia,
alguém que verá nela a razão de viver toda uma vida.
Porque das coisas que foram feitas para entender,
poucas coisas realmente importam,
mas as coisas que ninguém entende,
essas sim contém um valor absurdo,
e por isso quero que ela entenda,
que o mais importante não é não estar só, mas não se sentir sozinho,
que o importante não é saber descongelar uma geladeira,
mas nunca deixar congelar o coração,
porque o amor acontece pra quem deixa acontecer.
Espero que ela entenda que os olhos verdes dela,
um dia serão a cor do mundo de outro alguém,
que trará flores e um cartão com palavras que ela nunca imaginou receber,
e nada será como nos filmes,
pois o final feliz do cinema por mais que seja feliz,
se acaba quando as luzes acendem,
e o final dela não conhecerá um fim.
Espero que de todas as coisas ela entenda,
que ela será amada com um amor que por ser amor não deixará de existir,
e não mais existirão pedaços tentando ser alguém,
será apenas a menina do sorriso lindo,
que por ser um tesouro, demorou, mas foi encontrada,
e por ser de raro valor nunca foi deixada.
Espero que ela entenda que se ela se amar,
então sempre será amada,
porque das mil qualidades que em você posso ver,
vejo que o mundo tem olhos verdes quando estou com você.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Abstrato (coisas sem sentido que tive vontade de falar)


São escolhas que definem o caminho,
a cura para nosso câncer no destino,
é entender que a vida se resume em decidir,
entre os outros e você.
Falaremos com a menina do cabelo de mil cores?
Ou deixaremos a festa acabar sem nem ao menos saber o nome dela?
O que os outros vão pensar ou o que você gostaria de viver?
É tão simples e certo dizer que são as questões que movem o mundo,
que as respostas só existem como reação,
como uma tentativa de dar continuidade ao que alguém causou.
As palavras hoje caem como quadros abstratos,
sem sentido algum, como se viessem a passeio e logo nos deixarão,
é que eu só queria viver essa noite sem me preocupar,
sem tentar me iludir, afinal deixar acontecer,
é dar um tiro para o alto esperando uma estrela atingir,
por isso não somos feitos do mesmo material que os sonhos,
somos feitos das escolhas que fazemos.
Pediremos o telefone da menina que usa blusa xadrez?
Contaremos alguma piada pra que ela deixe cair algum sorriso?
Ou ela vai sem nem saber que existimos?
Não existe um mundo lá fora,
somos apenas nós e os outros,
e por mais insignificante que seja, isso é o que mais importa,
afinal minhas decisões se constrangem ao ver que os outros podem não me entender,
agora pequena eu só penso em você,
como uma escolha feita a milhões de anos,
mas que escolheu esse momento para acontecer,
é abstrato me iludir e pensar que você pensa em mim,
porém o que torna real é viver intensamente tudo que tenho pra viver,
e eu escolhi fazer você sorrir,
ao te dar meu telefone,
ao te dizer que acho lindo seu all star,
ao me surpreender quando você retorna no meu celular.

sábado, 4 de setembro de 2010

O velho bêbado que vende flores de plástico


Lá vem ele cambaleando,
falando sozinho ou com suas lembranças,
ele segura flores de plástico em suas mãos,
me aborda dizendo:
"uma flor, um real, uma flor, uma noite especial"
Minha vontade me trai e começo a rir,
ele é só um bêbado que vende flores de plástico,
que deve ter perdido amores,
que deve ter ficado só,
e encontrou nas flores um caminho pra reencontrar o que é especial.
Ele senta do meu lado,
não parece ter ficado chateado,
mas me pergunta a razão da minha risada,
eu digo que flores não fazem uma noite se tornar especial,
então ele me olha, se levanta, me bate nos ombros,
e diz: então você precisa beber mais do que eu.
Já é tarde da noite e eu esperando o ônibus no terminal,
e se não bastasse fico sem entender,
entender o que são sentimentos,
o que é um momento especial,
tudo graças a um bêbado que vende flores de plástico,
e agora acende um cigarro.
Quantas vezes o mundo não fez sentido pra você?
Quantas vezes os olhares que deveriam passar, permaneceram?
Quantas vezes as frases ensaiadas deram lugar a falta do que falar?
Eu finjo prestar mais atenção por não saber responder.
Os sentimentos fazem flores sem vida, viver,
é um recado escrito no espelho do banheiro e um beijo de bom dia,
que faz de um dia simples, um dia especial,
é ligar pra dizer: não paro de pensar em você,
que traz Sol as manhãs cinzas de um inverno.
Ele enfim se cala enquanto fuma seu cigarro.
E eu começo a falar comigo mesmo,
que as palavras são de um velho bêbado,
mas me trazem a verdade das coisas que fingimos não ter medo,
medo de não encontrar alguém que dê vida as flores de plástico,
medo de não ter ninguém pra compartilhar o último pôr-do-Sol do verão,
medo de não encontrar um amor que acelere o coração.
Encontre em você as palavras certas e me responda:
São mais importantes as flores ou o sentimento?
São mais belos os castelos ou o estar perto?
São mais agradáveis os mais raros perfumes ou o calor do acalento?
O sentimento, o estar perto, o calor do acalento,
respondo como se não houvessem outras opções,
ele joga o cigarro fora,
coloca uma flor em minhas mãos e diz:
então não ria de um velho bêbado que vende flores de plástico,
ria por ter feito valer a pena o sentimento que dá vida as flores.

Febre


Eu acordei do lado dela,
engraçado como tudo que nunca foi planejado,
simplesmente acontece,
e são justamente esses momentos,
que a gente não esquece.
Ela me ligou ontem e disse que não queria ficar sem mim,
achei estranho, pois nunca tenho um segundo encontro,
me dá medo as lembranças que se derretem no esquecimento,
mas já estou tão acostumado,
que não faço planos para o dia seguinte.
Andamos pelas ruas da cidade, tão vazias,
e o sorriso dela é tão lindo,
como não acreditar na sorte?
Quando ela simplesmente pára pra me ouvir,
e mesmo me achando tão idiota guarda tudo pra si.
Dessa vez eu peguei uma flor na casa de um vizinho qualquer,
disse a ela que se eu fizesse uma canção inspirada nela,
de todas as sinfonias ela seria a mais bela,
me sinto tão infantil,
mas ela aperta minha mão,
e me faz acreditar no que o mundo deixou de fabricar,
a esperança em amores que dão certo.
Ela me chama pra subir,
eu nem me faço de difícil,
entre milhares de pessoas, milhões de anos,
já é inacreditável estarmos juntos aqui.
Ela liga a tv e arruma um pouco da bagunça,
eu deito em seu colo,
e me pergunto se isso é mesmo real,
são movéis iguais ao de qualquer casa,
são assuntos semelhantes ao que digitamos na internet,
o que faz disso tudo especial?
Já não me importo, vivo a dádiva do segundo encontro,
ela me contando seus segredos, sonhos e medos,
e eu ouvindo seu coração batendo cada vez mais forte,
cada vez que a beijo mais,
cada vez que seu cheiro passa pra mim,
cada vez que o tempo ligeiro em gritar,
berra dizendo que está chegando o fim.
Eu desenho corações em sua barriga,
ela me pede pra parar, pois sente "cosquinhas",
ela morde minha orelha e me ameaça dizendo que vai me machucar,
a gente ri como criança,
ao som de um programa de calouros a gente dança,
e nos damos conta de como é bom ser simples.
Já falamos dos livros, filmes e todo assunto fútil,
que classificam nossos gostos,
debatemos as diferenças,
afinal como alguém pode não gostar dos livros de auto-ajuda e filmes de terror?
Abraçamos as igualdades, nada melhor do que andar de mãos dadas pela praia.
Nada é perfeito, nada continua retilíneo em seu lugar,
mas de alguma forma ela adormece em meus braços,
enquanto eu canto em seu ouvido as histórias dos amores impossíveis,
que aconteceram porque alguém decidiu acreditar.
Os meus olhos castanhos se fecharam pra dar lugar aos sonhos,
os sonhos das coisas não vividas que não vão se realizar,
como esse sonho, como esse delírio,
de quem está com febre a noite toda,
que fala coisas sinceras sem saber ao certo o que está a falar.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Não quebre as regras


Não se apaixone,
goste de você, ame seus olhos,
ria do seu sorriso no espelho,
mas não dê a alguém a chance de quebrar você,
a chance a alguém de dormir nos seus sonhos,
e acordar em seus pensamentos,
não dê a alguém seu tempo,
a dedicação de cada momento.
Não acredite nas poesias,
poetas são pessoas que escrevem coisas que gostariam de viver,
afinal a coisa mais rara é gostar de alguém e esse alguém gostar de você,
e quando isso acontece não existem palavras pra descrever,
porque nesse instante são os olhos que falam,
é o peito que canta,
são os sonhos de dois mundos caminhando de mãos dadas,
pra encontrar um pra sempre.
Não espere uma ligação,
a vida é mais fria quando o que esperamos não acontece,
se tiver de viver que seja tudo intensamente,
porque o amanhã não existe,
as palavras ditas hoje cairão no esquecimento,
e tudo que parecia ser importante perderá seu valor.
Não se iluda com príncipes e princesas,
fadas que voam existem apenas no cinema,
na vida real é um pombo que caga na sua cabeça,
porção do amor só existe no cinema,
na vida real existe o alto grau de teor alcoólico,
sem falar que ninguém beijaria um sapo.
Na era do macarrão instantâneo,
construir relacionamentos é um fracasso,
tudo é muito rápido,
e por isso é bem capaz que o príncipe encantado,
tenha desistido também e preferiu continuar sendo um sapo.
Não seja romântico,
isso é extremamente chato,
bombons, flores e se importar com quem está ao lado é coisa do passado,
o ideal é ensaiar uma boa cantada,
ter grana no bolso,
e mesmo sem saber o nome,
levar pra fazer sexo no carro.
Não dê presentes,
a não ser que seja aniversário e não tenha sido muito caro,
essa lenda de valorizar as coisas simples,
tatua na sua cara a palavra "otário",
presentes sem data marcada?
Até o papai noel tem dia pra chegar,
não se iluda com o que os livros dizem,
mulheres odeiam toda essa palhaçada,
elas querem alguém que dê uma esmola de atenção,
pra que de partes em partes elas consigam se sentir alguém inteira.
Nunca diga que ama,
a menos que você esteja morrendo como o Jack no final do filme Titanic,
fora isso é pedir pra ser deixado como alguém que ofereceu tudo que podia,
em tempos como o nosso a única obrigação é pagar a conta do motel,
e se tiver sido bom deixar um bilhete escrito "bom dia",
como dizem por ai fidelidade se encontra num cachorro,
romances se encontram nos livros,
pra quem procura amor a única solução é voltar a morar com os pais.
As últimas regras são muito importantes,
não se engane com ninguém, você sempre vai escolher a pessoa errada,
não se entregue a ninguém, você sempre vai ser devolvido,
não crie expectativas, mundos perfeitos não existem,
num mundo descartável é melhor ser como o vidro, frio.
Enfim quebre todas as regras,
ainda que você cometa os mesmo erros novamente,
ainda que você escolha a pessoa errada e não tenha como voltar atrás,
porque existe sempre alguém que vai acreditar no amor de verdade,
quanto a se apaixonar... só não espere que essa pessoa seja sua metade,
ao invés disso seja inteiro pra ela,
assim escrever a história juntos faz mais sentido.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Tudo é egoísmo


Nossos melhores amigos estão de mãos atadas,
eles não podem viver por nós,
os planos que desistimos,
os sonhos que deixamos pra trás.
Já não veem nossas razões,
antigamente éramos os jovens que mudariam o mundo,
hoje somos os velhos segurando carrinhos de arrependimentos.
Já são quase seis da manhã,
e estamos aqui falando sobre o que o mundo não consegue mais entender,
falamos sobre o amor, sobre percepção,
sobre as teorias que inventaram pra recriar os dons,
o dom de se importar quando todos não se importam,
o dom de dedicar tempo para ouvir o futuro da humanidade na voz de uma criança,
o dom de fazer valer a pena.
Nosso reino de reis mortos abarrotam as ruas de ladrões,
estamos ricos dos tesouros que apodrecem,
somos máquinas presas a rotina, procurando por palavras que façam sentido,
procurando um braço amigo pra ajudar a enfrentar o frio,
o frio dos nossos corações congelados,
que conseguem engolir mundos inteiros,
mas não tem sequer uma nuvem para oferecer.
Tudo é egoísmo.
Poderíamos estar fazendo outras coisas que produziriam prazer,
mas quando se trata de sentimentos, partes não formam algo inteiro,
não sei se acredito em tudo que digo,
mas sei que mesmo assim eu ainda tenho no que acreditar.
As chaves estão em suas mãos,
embora nem todas as portas tenham sido feitas para serem abertas,
existe um momento certo,
existe um olhar que se cruza de forma diferente,
existe um dia que o simples se torna especial,
existe um dia que a flor descobre que é flor,
e nós os pintores de uma vida que não segue uma linha reta,
encontramos o fim ao revisar o começo.
Vamos pra casa e ficar deitados no sofá,
ler o jornal de hoje feito com notícias de ontem,
esperar que nossas intenções não nos traiam,
embora o restante do mundo viva como se não valesse a pena viver,
nós somos a estrada que leva à costa,
somos o Sol e a poesia.
Antes éramos a poeira de uma casa vazia,
só porque não conseguíamos ver o que de verdade éramos,
os bilhetes que escrevemos nossos pensamentos mais bonitos,
dançam no meio do furacão das palavras que devíamos ter dito.
Por definição e complemento,
tudo que é criado precisa de uma conclusão,
sejam livros ou canções,
quem então inventa amores é capaz de termina-los,
e eu me agarro ao que era eterno e hoje não dura mais.,
porque em dias como os nossos,
quem se reconhece como um ser é alguém mais capaz.