terça-feira, 31 de agosto de 2010

As flores queriam ser você


Preciso de uma fração da eternidade,
pra encontrar as palavras certas,
pra dizer o que a poesia não consegue descrever,
dizer o que todas as flores gostariam de ser,
e todas as flores gostariam de ser você.
Seria muito fácil se o céu refletisse a cor dos seus olhos,
se as canções tivessem seu sotaque,
se todas as noites fossem feitas pra que eu pudesse estar com você.
Me fascina os instantes improváveis,
que fazem de horas parte do que será eterno,
eterno como as lembranças do seu perfume,
do seu beijo, dos detalhes que chamamos de momento.
Seja a simples pimenta na pulseira,
ou o medo de ver cenas de horror no cinema,
seja o jeito que você segura minhas mãos,
ou seu apego aos livros que ocuparão mil estantes.
A menina que não consegue vender,
me dá de graça o mais importante que ela poderia ter,
o tempo, o sorriso e o jeito encantador que ela tem de ser,
e eu fico de mãos vazias,
sem quase nada pra oferecer,
lembro das frases ensaiadas,
de falar das igualdades pra que acredite que temos tudo a ver,
mas no final das contas,
com ela é tão fácil deixar acontecer,
que não existe espaço pra tentar convencer,
são apenas os detalhes de dois mundos que colidem,
com a esperança de se rever.
Suponho que apenas uma fração da eternidade,
ainda é pouco tempo pra poder dizer,
todos os pensamentos de uma noite que valeu a pena viver.

2 comentários:

Kiro Menezes disse...

" Se puderas falar, também falaras...
Também satirizaras...
Se souberas, e se foras poeta
Poetaras...!" Gregório de Mattos e Guerra




Encantei-me em teu espaço...

Sem me permitires, vou seguir-te! :D

Lina disse...

Lindo teu espaço! Adorei.