sábado, 17 de abril de 2010

Livre, leve, solta (O mundo sorridente das pessoas vazias)


O gosto amargo da sua boca,
revive erros de uma vida tola,
seus olhos que brilham,
e seu sorriso que é lindo,
escondem o vício de viver uma vida à toa.

O mundo sorridente,
das pessoas vazias,
a felicidade em um copo,
a vida como um sopro,
uma noite perdida,
por um dia melhor,
mil pessoas ao lado,
pra não se sentir só.

A dose quente que te deixa louca,
desperta seu momento livre, leve, solta,
seus pedaços separados,
que desfiguram o inteiro,
de uma pessoa que perdeu as escolhas.

E você era um diamante,
age como uma concha sem valor.
Você tinha o controle,
nem sabe como em casa chegou.
Você se perde, querendo se achar,
mas desse jeito nunca vai se encontrar.

Nenhum comentário: