sábado, 24 de abril de 2010

Doce


Tudo é confusão nesse mundo cada vez mais louco,
e tudo é tão amargo,
longe dos seus olhos doces,
que eu prefiro mesmo borrar o azul do céu,
e deixa-lo com cor de mel.
Eu vou andar pelas ruas,
e em algum momento vou me flagrar pensando em você,
são horas de conversa que poderiam ser por acaso,
mas encontram um propósito por ser você,
quem fica com meus momentos.
É no seu jeito de morder os lábios,
no jeito que você joga o cabelo para o lado,
no jeito que você tem de querer debater,
e em todas as vezes que você simplesmente ri.
É no seu jeito de falar sobre o amor,
de sentir o amor,
e no meu jeito de querer esse amor pra mim,
que tudo se define como uma chance entre milhões.
E tudo se torna tão simples,
tão parecido mesmo sendo tão diferente,
mesmo você sendo da roça e eu de uma zona urbana,
mesmo você com sua mistura de sutaques e eu só falando carioquês,
mesmo sendo tão diferentes assim,
as coisas se tornam simples,
simples ao querer conversar um pouco mais,
simples ao querer pedir pra você ficar um pouco mais,
porque por mais que sejam poucos instantes...
com você...
já deixam saudade,
saudade das coisas que não viveremos,
saudade dos sonhos que se completam, mas não se realizam,
mas em mim vai doer a saudade de ainda não ter te conhecido.

Nenhum comentário: