domingo, 28 de março de 2010

Brinquedo (Tudo que ainda sinto)


Eu que te queria tão bem,
já não me quero mais,
se eram flores que eu tinha,
hoje só restam espinhos.
Não sabia que era só dar corda,
nesse seu coração de brinquedo,
pra que aos poucos,
destruisse meu mundo inteiro.

Passo pelos lugares,
que andamos juntos,
como duas pessoas,
não como dois objetos.

Eu que senti,
seu peito junto ao meu,
já não consigo me sentir,
se foi tão doce seu beijo,
só me resta o amargo,
do favo de fel.

Nenhum comentário: