terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Mãos dadas (Onde você estiver)


Vou ficar te olhando,
você fica sem graça,
mas o que eu poderia fazer?
Se quando mais quero te falar mil coisas,
eu fico sem ter nada pra dizer,
fico admirado,
como criança que vê o mar pela primeira vez,
e fico como um bobo olhando pra você.
Vou beijar sua mão,
como um príncipe que foi feito pra você,
como uma sessão de cinema fechada para nós,
como seu beijo que de tão bom é o melhor.
Vou puxar mil assuntos,
pra ficar mais tempo com você,
inventar mil pretextos,
pra que você possa perceber,
que minha mente frágil,
é tão distraída que só pensa em te ter,
só pensa no quanto é bom poder ficar,
de mão dadas pelas ruas quentes,
em uma noite que eu revivo em minha mente,
só pra estar denovo com você.
Vou errar como principiante,
e te mandar bombons logo ao amanhecer,
vou morrer de vontade de sentir teu gosto novamente,
e se tiver sido apenas uma noite pra você,
levarei comigo a saudade do que poderia ter sido,
e a falta que me fará ter teu sorriso perto do meu ouvido.
Vou achar engraçado seu jeito chato,
e vou sentir saudade dos mínimos instantes que se passam,
sem que eu esteja do seu lado,
porque pra mim o importante não é se a noite é quente ou fria,
se o filme é bom ou ruim,
se não tem sua bebida favorita ou um lugar melhor pra ir,
o importante é estar com você onde você estiver.

Nenhum comentário: