terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Filosofia imediata


Todos meus amigos,
já fizeram faculdade,
todos meus amigos,
tem carros, casas,
e um emprego de verdade.

Já que eles tem tudo,
e eu não tenho nada,
vou viver tudo de uma só vez,
filosofia imediata.
Viver todos os sonhos,
meter o pé na estrada.
Quem sabe encontrar,
um caminho pra felicidade.

Só de sacanagem,
hoje vou curtir minha liberdade.
E só pra me vingar,
amanhã vou acordar bem tarde.

Todos os meus amigos,
usam terno e gravata,
todos os meus amigos,
viajam pra Europa,
e tem casa de praia.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Guarde seus conselhos


O mundo se fez madrugada,
e são tantas opiniões,
que se unem no intuito,
de preencher o vazio.
É que eu não peço conselhos,
minhas escolhas refletem,
meus erros e acertos,
bom não precisar culpar ninguém.

Se perder não é estar perdido,
é reconhecer que em algum momento se perdeu,
resolver problemas alheios,
é a qualidade dos que não conseguem resolver os seus.

O mundo se fez colorido,
mas as pessoas são sem cor,
na dança dos valores invertidos,
o que era simples perdeu o valor.
É que poderíamos ser um livro,
mas somos um rascunho,
do que um dia alguém sonhou,
já que na hora de escrever o final feliz,
a tinta da caneta acabou.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

...


Pai, talvez essa carta demore pra chegar,
talvez chegue depois das datas importantes de fim do ano,
acho que as palavras não entendem o significado de urgência,
porém tudo aqui escrito diz respeito ao meu desespero e saudade,
algumas lembranças e muita dor.
Como faz tempo que não lhe falo, que não lhe escrevo,
queria dizer que voltei aos meu vícios,
estou sendo soberbo novamente,
estou me sentindo superior a todo mundo,
uma recaída tão forte, que só consigo pensar em mim.
Estou perdido, não sei como recomeçar,
não sei o que fazer, mas finjo estar tudo bem,
eu lembro de tudo que vivemos e me dói tanto,
joguei todos os meus dons fora,
pior que um filho pródigo que sente vontade de comer comida de porcos,
eu tenho habitado no lixo,
lixo de conceitos tão meus que parecem ter sentido,
mas não tem.
Faz tanto tempo que não digo a verdade...
Espera só um instante senão as lágrimas vão manchar o papel...
Pai...
Eu estou morto.
Não tenho sonhos reais...
Nem planos concretos...
Não tenho mais você por perto.
Pai, todos me dão conselhos, todos me dizem o que fazer,
mas eu não dou ouvidos,
tenho vivido pela minhas regras,
eu me lembro do violão quebrado,
dentro daquele quarto soando notas desafinadas,
era tão simples,
era apenas eu e você e tudo que eu queria te dizer.
Eu lembro de pessoas indo ao seu encontro,
de todas as horas dedicadas a você,
do coração agradecido,
mas nada disso restou.
Pai, eu não me suporto mais,
não agüento mais o mesmo teto,
a mesma vida, o mesmo jeito,
vivo sem nenhum fundamento,
sem nenhuma razão,
com o passar do tempo adquiri o dom de me decepcionar comigo mesmo,
e te escrevo hoje com a saudade de quem não vai viver muito tempo.
Pai, queria te ter por perto novamente,
queria não precisar escrever,
queria poder te dizer pessoalmente,
a falta que você tem me feito,
você me criou pra viver ao teu lado,
e hoje perto das festas em que tudo se torna bonito e falso,
eu não tenho palavras bonitas pra dizer,
nem grandes feitos pra te orgulhar,
só um pedido,
preciso de ajuda, a sua ajuda,
porque estou morto,
e só você pode me ajudar.

De seu filho.

Hoje, quase, amor


Hoje eu quase entendi o amor,
eu abri os olhos e pude ver,
que todos os sonhos são possíveis com você,
e por mais que eu pudesse viver mil anos,
e a cada instante me esforçasse para te felicitar,
seria ainda que insuficiente para alcançar seu jeito simples,
de fazer meu mundo girar.
Hoje eu quase entendi o amor,
é o cheiro de flor que exala seus cabelos,
sua cara amassada de quem dormiu bem a noite inteira,
minha vontade de te ter pra sempre,
enquanto você se sente completa enquanto é abraçada.
Hoje eu quase entendi o amor,
é uma certeza que se tem de tudo que para o mundo é incerto,
é cantar no seu ouvido músicas que você gosta de escutar,
e se sentir saudade de você a cada segundo for paixão,
só posso dizer que nunca foi tão bom se apaixonar,
e se precisarmos de palavras para expressar,
que nossos passos sigam sem definição,
afinal os poemas mais bonitos,
são aqueles ditos quando ficamos sem ter o que falar,
e por mais que pareça clichê,
que poesia poderia se comparar ao que dizemos com o olhar?
Hoje eu quase entendi o amor,
é ser plural sem precisar perder o que é singular,
é aproveitar que nada se repete e viver com a intensidade,
de poder dizer que viveria tudo novamente.
Hoje eu quase entendi o amor,
e não é diferente do que dizem por aí,
não se resume em dizer,
não se prende em apenas sentir,
não se define por fazer,
e nenhum dicionário é capaz de conte-lo,
talvez por ser imenso e simples ao mesmo tempo,
talvez por ser o que digo,
o que sentimos, o que fazemos,
talvez porque eu quase tenha entendido,
talvez porque quando entendemos,
não seja amor.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Dançarina


Ela era tão linda dançando,
parecia que o mundo era um palco,
e as estrelas sorriam enquanto ela dançava,
mas hoje seus pés doem,
ela não dança mais.
O que era colorido ficou em tons cinzas,
e a flor em seu cabelo de tão triste secou,
as pessoas perguntam pela bela dançarina,
que recortou notícias suas de um jornal velho,
pegou seu baú e retirou fotografias,
e se lembrou do sentido que tudo fazia,
as lágrimas de todos em pé à aplaudir,
as crianças que imitavam cada passo da sua dança,
mas hoje sua memória falha,
e ela não dança mais.
Era pra ser um sonho realizado,
era pra ser a maior foto transformada em quadro,
e tudo se resume em lágrimas silenciosas,
que caem quando ela apaga a luz do quarto,
não existem culpados,
não existem motivos,
apenas uma dançarina que já não dança mais.
Ela tinha planos,
em seus ensaios sabia exatamente a ordem dos passos,
mas hoje não sabe caminhar,
percebeu que não tem forças para ensaiar,
por isso cabisbaixa diz que tudo está bem,
esconde o que não consegue explicar,
ou apenas tem fé pra acreditar,
que o pior pode ser também o maior motivo pra que as coisas possam melhorar.
Hoje é sua última noite,
e ela nem vai saber,
acho que se soubesse, voltaria a dançar,
dançaria na chuva, viveria o pouco que resta como uma louca,
dançaria simplesmente.
Sem palcos, nem ao menos aplausos no final,
mas dançaria apenas por ser a única coisa que ela saiba fazer,
apenas por ser uma dançarina que mesmo sem dançar,
nunca deixou de ser uma linda dançarina.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sonhe


Sonhe minha pequena,
ainda existem flores no caminho,
e um Sol que depende do seu sorriso pra nascer.
Sonhe com a música que toca no final,
e com o romantismo que deixou de existir,
as mãos dadas e o beijo roubado,
o perfume na lembrança,
a saudade que se faz na despedida,
o reencontro que gera esperança,
sonhe simplesmente porque ainda vale a pena sonhar.
Sonhe apesar das cicatrizes,
e de se sentir só em noites frias,
apesar de não poder mudar o que ficou pra trás,
são seus sonhos que fazem um dia velho, rejuvenescer,
são seus sonhos que inundam de flores os desertos,
e tudo faz sentido quando seus olhos voltam a brilhar,
como se o mundo fosse mais feliz quando você volta a sonhar.
Sonhe,
pois sonhos tornam pesadelos, irreais,
sonhos fazem das noites mais escuras um aquário de estrelas,
sonhos fazem da chuva o único jeito que o céu encontra para beijar seu rosto.
Sonhe com as risadas que ainda não deu,
elas serão necessárias quando alguém contar uma piada sem graça,
sonhe com o que vai acontecer,
e não com o que poderia ter acontecido,
afinal tentar mudar o que se passou,
cria apenas longos labirintos.
Sonhe em ganhar um anel,
uma estrela, uma nuvem que se parece com um coração,
uma flor feita com papel,
uma frase inspirada em ti,
e uma vida que se completa por você existir.
Então sonhe,
mesmo com um mundo que deixou de sonhar,
quanto mais motivos existirem para deixar de sonhar,
mais combustível existirá pra sonhar,
porque muitos sonharão,
mas todos os seus sonhos irão se realizar,
simplesmente porque você não deixou de sonhar.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

O que penso ser


Eu sou um entre tantos que erram,
que gosta de acordar tarde,
às vezes sozinho, às vezes com tantos por perto,
amigos que sobram dedos pra contar,
sorrisos que disfarçam a apatia,
e a impaciência que tenho,
com pessoas que tem tantos defeitos como eu.
Dos que falam muito eu me destaco,
por dar mil voltas e parar no mesmo lugar,
aquele que vê mil coisas pela metade,
arrogante, desnecessário,
e dependendo dos benefícios sou até mesmo sincero,
ou quase sincero.
Teoricamente um sucesso,
praticamente um fracasso,
o cara errado, o pior partido,
que tenta superar, mas guarda mágoas na última etapa do esquecimento,
por falar nisso também sou o que me faço de coitado.
Preguiçoso...
Um dia de praia ou mais dinheiro na conta?
Vou curtir o Sol.
Metido a besta...
Ela me olha ou eu olho pra ela?
Nem sei de quem você está falando.
Acredito que não se definir já uma definição,
acredito que não seguir regras já é uma regra,
por isso tento não me prender as frases feitas,
por humanos como eu,
que tentam encontrar sentido para essa vida tão louca.
E por falar em sentido e em loucura,
como não terminar dizendo o mais importante?
Eu não tenho dinheiro, nem grandes anseios,
larguei a faculdade duas vezes,
já terminei relacionamentos,
não recebo ligações no fim do dia,
mas o que me importa é saber que mesmo com tantos defeitos,
ainda existe o caminho do recomeço,
ainda existe a possibilidade de acreditar.
E eu acredito não porque me contaram,
não porque li em algum lugar,
eu acredito porque conheço o Deus que eu sirvo,
e que por me amar me fez ama-lo.
Esse sou eu, ou pelo menos o que eu penso ser.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Só pra te lembrar


É um dia de Sol em meio a meses de chuva,
poder de tocar,
poder te conhecer,
poder te olhar e saber que mesmo que por alguns momentos,
tudo é real.
São como dois mundos que colidem,
por orbitarem perto demais,
é poder ter a certeza,
que até quando você não percebe,
você é mais valiosa do que uma constelação.
Todas as canções foram feitas pra você,
já que todas me trazem você pra perto,
mesmo quando eu vejo que tudo parece bem distante,
e é tão suficiente pra mim te tratar como a pessoa mais importante.
O mundo inteiro desaba,
as promessas importantes são deixadas pra mais tarde,
é que amores que são eternos por serem amor,
deixou de fazer parte,
daquilo tudo que antes nos motivava a viver.
Mas é quando me flagro perdido pensando em você,
que pouco me importam grandes promessas,
e planos para um amanhã que foi inventado,
por aqueles que tem medo de viver o agora,
é quando me perco ao te encontrar nos meus pensamentos,
nas lembranças,
nas frases que ensaio, mas não consigo falar,
em tudo que você é e parece não notar.
Se realmente existe um tempo,
eu rezo pra que tudo vá devagar,
pra que eu viva a menor fração de cada instante,
já que o tempo não pode permanecer no mesmo lugar,
já que tudo que vivemos nunca mais vai voltar.
Se for saudade,
que seja do seu cheiro, do seu jeito, do seu beijar,
que seja de tudo que ainda não vivemos,
ou até mesmo de tudo que poderia ser,
mas que seja toda a saudade do mundo por não te ter.
Essas são palavras repetidas,
misturada com tudo que diz o meu olhar,
e meu olhar quando te vê,
desenha tudo que você é, mas esqueceu que é,
esqueceu que é a mais linda,
até quando transparece um ciúme que diz não ter,
esqueceu que é a mais incrível,
que cada um dos seus detalhes dariam uma exposição de arte,
esqueceu de tantas coisas,
e essas palavras são só pra te lembrar.

sábado, 23 de outubro de 2010

Sonhei (A tristeza discursa sobre a solidão)


Ela estava certa,
essa solidão me corta o peito,
a conta-gotas de forma lenta,
levando minha alegria como um furacão.
Acordei de um sonho,
e vi que ter muitas opções,
me atormenta tanto quanto não ter opção.
Você lembra das palavras,
daquele senhor com um livro na mão?
Me martela a cabeça,
tanto quanto esses dias em vão.

Temos desafetos em cada canto,
andamos sobre ladrilhos de cacos de vidro,
alguém um dia falou que a esperança,
era a última a morrer,
guardaremos pra ela a mais belo flor?
Volte e segure firme nossas mãos,
porque ela estava certa sobre a solidão.

Ela estava certa,
destruímos o pra sempre com nossas mãos,
as palavras não se foram com o vento,
ficaram aqui sentadas em algum quarto escuro,
dentro do que antes era um sorridente coração.
Acordei de um sonho,
as nuvens não formavam desenhos,
destilavam uma chuva gelada de um inverno,
que dura o ano inteiro aqui dentro.
Eu ainda acho que Deus pode ouvir nossos pedidos,
só me questiono se Ele estaria aborrecido comigo,
ou se eu que há tempos deixei de dar a Ele meus ouvidos,
é só um Deus quieto?
Ou só um humano com segredos escondidos?

Temos um grande aprendizado,
como esquecer o que se quer esquecer?
Só sabemos o que é felicidade,
porque já experimentamos a tristeza,
se existem metades na verdade,
então é uma mentira inteira,
e nós sabemos disso,
afinal os amores só existe nos livros.

Ela estava certa,
quanto a quase tudo que discursou em seu olhar arrebatador,
mas se esqueceu que o mundo gira,
que essa seria a última noite na roda gigante solitária,
que a vida se constitui de olhar pra frente,
deixando o que para trás ficou,
e sempre ficam...
Fotografias, declarações, amores pra todo sempre...
Promessas que ninguém cumpriu...
Sonhos que não se realizaram...
A saudade de tudo que poderia ser e acabou...
Mas eu acordei de um sonho,
e vi de perto alguém sempre atento,
me dizendo que perdemos somente o que não era nosso,
e se não era nosso não merecia permanecer em nossas mãos.
Eu acordei desse sonho,
sem entender o que poderia significar,
não sei se era a tristeza discursando sobre a solidão,
não sei se são as coisas que não entendo,
misturada com o fato de'u ter comido feijão antes de dormir,
só sei que como qualquer sonho,
não existe sentido,
e depois de acordar percebi que a vida também não.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sorrisos tristes


Seu sorriso vai ser triste,
quando você perceber que ele não se importa.
Seu sorriso vai ser triste,
quando você acordar,
e ver que ele já se foi.
Seu sorriso vai ser triste,
quando os dias forem cinzas,
e não houver ninguém pra fazer seu olhar brilhar.
Seu sorriso vai ser triste,
quando as flores chegarem,
só como um pedido de perdão.
Seu sorriso vai ser triste,
quando você perceber,
que te tratam como um lixo,
e você sabe que é um diamante.
Seu sorriso vai ser triste,
quando o sono não chegar,
e ele não falar coisas engraçadas,
que um dia vai valer a pena lembrar.
Seu sorriso vai ser triste,
quando você perceber,
que metades não formam um sentimento inteiro.
Seu sorriso vai ser triste,
quando o telefone tocar,
desmarcando o que seria uma noite especial.
Seu sorriso vai ser triste,
quando as chances escorregarem pelas suas mãos.
Seu sorriso vai ser triste,
quando você descobrir que não se pode voltar no tempo.
Seu sorriso vai ser triste,
quando ele não perguntar como foi seu dia,
e mesmo assim você falar como alguém que fala com a parede.
Seu sorriso vai ser triste,
quando enxergar que poderia ter sido a mais feliz,
e até fingiu pra todos que estava sendo.
Seu sorriso vai ser triste,
quando lhe contarem que não existe pessoas certas no momento errado,
que errado mesmo é classificar pessoas em erradas e certas,
e atribuir a elas algum momento.
Seu sorriso vai ser triste,
quando ele se for e vier outro, e o outro se for, e aparecer outro,
e todos irem levando o melhor de você,
e deixando o vazio de se sentir só,
mas essa sensação já é como um amigo do peito.
Seu sorriso vai ser triste,
quando de todos ninguém te der valor,
te amarem com todo amor que existe da boca pra fora,
te darem todo o tempo por apenas algum momento.
Seu sorriso vai ser triste,
e não há nada que ninguém possa fazer,
porque as escolhas definem os caminhos,
e o seu é triste,
mesmo sorrindo tanto,
todos vão perceber que é um sorriso triste.

sábado, 16 de outubro de 2010

Palavras sinceras


Quantas vezes vou ter que pedir?
Quantas vezes vai me ver partir?
Quantas vezes eu vou te deixar,
E só em mim eu vou pensar?
Quantas vezes ainda vou cair,
E você ira me levantar?
Quantas vezes todos vão sumir,
E você vai vir me restaurar?

São só palavras sinceras,
alguém que levanta da queda.
São só palavras sinceras,
alguém a sua espera.

Quantas vezes eu vou me enganar,
Mentir que sou alguém sem Ti?
Quantas vezes vou me esconder,
Do amor que só existe em você?
Quantas vezes tu vai me chamar,
e eu displicente vou fingir não ouvir?
Quantas vezes vou juntar pedaços,
pra ser o inteiro que só serei em Ti?

Eu só posso dizer muito obrigado...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Diamante


Eu sabia os passos a seguir,
então como vim parar aqui?
Sem álibis, sem direção,
sem meios que justifiquem o fim.
Te dei de presente,
o que seria seu por inteiro,
você displicente,
se acostumou com metades,
que confortam seu medo.

Seu nome é diamante,
você finge prestar atenção.
Jogamos o jogo que todos perdem,
e ninguém vai ver em você o que eu vi.
Um diamante...

Eu conseguia carregar o mundo,
o que tem me cansado tanto assim?
Sem medo,sem chances,
sem ser a menor parte do que restou de mim.
Te dei meus momentos,
você negar é um ferimento,
que fere o peito,
e devora a rapidez a passos lentos,
mas livra o futuro pra ter outro acalento.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Esquecer você


Amanheceu,
e eu nem vi o tempo passar.
Você dormiu,
e eu bem sei que você não vai lembrar,
das suas palavras sem sentido,
do meu abraço que te afasta o frio.

Agora que eu...
Não sei mais...
Se devo dizer...
Seu pedido é...
Covarde demais...
Eu não consigo te esquecer...

Por mais que eu tente, me esforce,
faça tudo que eu puder,
te dê por uma noite tudo aquilo que tu quer,
e perca assim tudo que eu sempre quis ter,
você pra mim,
eu pra você.

domingo, 19 de setembro de 2010

Ela me faz acordar sorrindo


Me prendo aos detalhes,
porque seria difícil definir tudo que você é,
tudo que vejo quando olho você dormindo,
como se o mundo fosse azul,
como se a vida fosse feita apenas pra mim e pra você.
É por isso que me perco te olhando,
desenhando o verde dos seus olhos,
pra que nunca nada disso caia no esquecimento,
porque somos feitos de marcas eternas em um mundo passageiro,
e é triste saber que os dias sem você são lentos.
Invento o pretexto de mil filmes pra estar do seu lado,
andar de mãos dadas de noite e de dia,
ficar deitado fazendo você rir,
rir porque existem mil motivos,
rir porque se tudo foi feito pra não se repetir,
ao menos vivemos da melhor forma.
Com você eu estou exatamente onde eu queria estar,
e tudo acontece no momento certo,
como chuva que cai fininha fingindo não ter intenção de molhar,
como minha vontade de não deixar você levantar,
e ficar comigo até o dia dar lugar a outro dia.
Se nada foi feito pra durar pra sempre,
então vou guardar cada um desses momentos,
em algum lugar onde não exista tempo,
onde só exista tudo que estamos vivendo.
Me prendo aos detalhes, ao seu cheiro, seu gosto, seu beijo,
ao seu café da manhã com suco em pó e pão com queijo,
ao nosso almoço, nossa soneca,
e minha vontade de viver tudo de novo e novamente,
porque com você tudo se torna diferente,
porque não é a história de um só, mas é a história da gente,
e a nossa história a gente escreve com um final contente.
Me prendo a tudo isso,
porque é ao seu lado que acordo sorrindo,
mesmo numa madrugada que acabamos não dormindo,
o "todo" de toda arte é apenas parte do previsível,
os detalhes de cada vida é viver o que não foi planejado da melhor maneira possível,
porque quem não assume riscos nunca vai viver o que poetas chamariam de lindo,
e o que eu chamo de acordar sorrindo.

sábado, 18 de setembro de 2010

Um Deus, um bêbado e muitas coisas pra dizer numa madrugada qualquer


Se Você permitir,
então deixaremos marcas eternas nesse mundo passageiro,
falaremos das coisas que existem quando estamos em Ti,
viveremos a única razão de existir.
A essência sempre esteve aqui,
nas atitudes tortas de um imperfeito ser,
que se esquece de quem é,
e por isso vive uma vida como se não estivesse a viver.
São sonhos impossíveis,
mas é justamente quando o mundo não consegue alcançar,
que seu sorriso me convence,
que estaremos juntos até o final,
até o dia que seremos um.
Enquanto nossos ideais buscam finais felizes em filmes,
enquanto nosso fôlego se prende aos dias sem sentido,
nossos corações buscam por te conhecer mais de perto,
sem se importar com o que vem de fora,
mas nunca deixando poluir o que vem de dentro,
porque no final das contas,
existe além do dinheiro, das razões e das emoções,
existe além das influências, da tristeza e das preocupações,
um lugar que me convém adormecer,
e esse lugar é em Ti.
Sim, somos a escória tentando viver vida de reis,
pobres distribuindo riquezas,
mas quem encontra sentido nas coisas mais belas?
Quem consegue medir o amor?
Quem pode prever o futuro?
Quem ouviria as palavras de um bêbado sentado no chão da sala?
Pouco nos importa o que é tão valioso para todos aqui,
mas de tudo que foi criado e que um dia irá existir,
peço que a essência do que somos por Ti,
nunca se vá,
porque mil chances teremos,
mas em todas queremos te encontrar,
porque o mundo é um pequeno passo para conquistar,
mas de nada vale se perdermos a Ti.

A rosa depois do furacão (Parte final do adeus)


Estou aqui como alguém que veio dizer oi,
mas sabe que hoje é a parte final do adeus,
então não vou apressar os instantes,
talvez seja repetitivo dizer que eu tenho pensado tanto em você,
mesmo sem motivos, mesmo sem te conhecer,
mesmo tendo em mente que você existir é o único motivo que deveria existir,
mesmo tendo em mente que ninguém conhece alguém como deveria conhecer.
Eu não me prendo à beleza das flores,
porque sei que flores secam quando deixa de chover,
mas pra mim tem sido difícil me libertar,
do pensamento que adormece ao seu lado,
e acorda com o cheiro que me lembra você,
já não me importo em ser poesia,
são palavras caindo como tempestade que enche as ruas.
Não vamos ficar em silêncio,
esse é o último momento que temos,
pra falar sobre as coisas que poderiam acontecer,
e não se limitar ao que aconteceu,
porque das coisas que passam nada podemos mudar,
mas daqui pra frente podemos viver como nunca imaginamos que poderíamos viver,
e eu gosto tanto de você,
pintaria o mundo da cor do seu quarto,
o céu da cor que você mais gosta,
seria seu afago até você adormecer.
Tudo está tão quieto,
eu sei que você tem tanto pra falar,
te faço um jantar enquanto você me fala seus medos, manias e defeitos,
e assim seremos dois deitados no sofá com a barriga cheia,
rindo sem concordar dos nomes dos filhos que não temos,
rindo porque temos mais motivos pra ser felizes do que para chorar.
É engraçado como o mundo é imperfeito,
e mesmo assim a gente enche a estante de porta-retratos,
com fotos na praia, fotos em casa, fotos fazendo careta no espelho,
fotos dos amigos, nossa história sendo detalhada.
Porque existirá um dia que as lembranças boas,
serão a essência do que nos tornamos,
e os medos serão menores, as manias diferentes,
e os defeitos darão lugar a qualidades,
mas mesmo assim em meio a todos possíveis conflitos seremos um.
Mas esses são os planos que nunca se realizarão,
afinal eu vim dizer oi,
sabendo que hoje é a parte final do adeus,
e pouco importa se estou apaixonado ou não,
o que importa é dizer que você é tudo,
mas vai continuar sendo tratada por alguém como se fosse nada,
que você é um mundo raro,
mas vai ser apenas uma estrela apagada em algum lugar dos espaços que sobram.
Das coisas que fazem parte do adeus,
eu prometo me ater a não olhar pra trás,
só quero que você saiba que você sempre será mais,
mais do que você pensa que é, mais do que dizem que você é,
mas se mesmo assim você não quiser acreditar,
então releia essa carta que eu escrevi na intenção de você não ler,
e se prenda ao que poderia ser e simplesmente nem começou.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Rosas e vinho tinto


Vai acabar...
E só eu me prendo ao não querer,
tudo que toco deixa de ser eterno,
como esse momento que não deveria existir,
ela teve o quis para uma noite,
e eu perdi o que queria para vida inteira.
Vai acabar...
Logo ao amanhecer ninguém lembrará de ninguém,
o vinho tinto na taça,
uma noite pra cair em seu esquecimento,
e uma dor sem sentido que não passa.
Vai acabar...
As lágrimas dela, meu abraço e tudo que ela fala sem pensar,
sobre esperar na estante,
sobre o egoísmo alheio,
sobre suas questões sobre si mesma.
Vai acabar...
Soluções imediatas que trarão problemas mais longos,
meus momentos que me flagro distraído,
com vontade de chorar,
não por mim, não por você,
mas por um "nós" que nunca existirá.
Vai acabar...
Essa é a parte mais difícil de esquecer,
seu jeito enquanto dorme,
sem se preocupar com os amores despedaçados,
sem se preocupar com os sentidos dos fatos tão incertos,
eu cobrindo as rosas em seu braço pra que você não sinta frio.
Já está quase acabando...
A sua ressaca vai doer mais em mim do que em você,
o seu mundo que gira vai bloquear a luz do Sol no meu,
e são as partes mais raras que você não vai lembrar,
como suas tentativas de se convencer das suas mentiras,
mentira ao dizer que você é uma qualquer,
mentira ao dizer que não se importar é normal,
mentira ao tentar me convencer que é amor,
quando ambos sabemos que amor não é um nome,
amor não é a poesia escrita na parede do seu quarto,
amor é um verbo que se conjuga sem saber muito bem o porque.
Antes que acabe...
São as últimas palavras que se afogam no alto teor alcoólico,
esperando algum pescador retirar o que for bom,
mas de bom só existe você,
e seu desabafo ao tentar entender tudo que ninguém nunca entende,
e uma delas é ser egoísta com quem não foi egoísta com você,
mas se existe um caminho a seguir e o mapa foi feito a seu bel-prazer,
então que seja o esquecimento,
já que isso é tão importante pra você,
como se erros e acertos não fizessem parte disso tudo,
como se você tivesse mais coragem de viver quando bebe,
e fosse fraca quando tenta esquecer.
Acabou e você me avisou que iria acabar.

domingo, 12 de setembro de 2010

Furacão


Bem vindo furacão, desta vez eu já estava te esperando,
bloqueei as janelas, talvez não veja a luz do Sol quando a tempestade passar,
mas também não vou deixar seu vento entrar,
e bagunçar toda minha vida,
jogar longe as fotografias,
misturar meus sentimentos com a vontade que se tem a noite e passa de dia.
Desta vez você trouxe presentes,
um sorriso, um beijo doce e um corpo quente,
mas só eu sei quanto tempo demorei pra reconstruir,
os cacos que você deixou ao partir,
e você sempre se vai,
levando tudo de mim, me deixando longe de tudo que eu sempre quis,
mas não desta vez.
Vou ficar no escuro esperando o vento destelhar esses dias tristes,
porque se existe um começo, haverá de qualquer forma um fim,
e o Sol vai voltar a brilhar.
Desta vez seu sopro será como um vento que apenas consegue mover um cata-vento,
me tirando o sono, mas não me deixando com medo,
me arrancando lágrimas, mas não meu arrependimento,
porque eu vivo noites de pra sempre, não noites de momentos.
Eu sei você vai empurrar a porta até entrar,
sentar no sofá e ler as notícias de ontem no jornal de hoje,
olhar nos meus olhos e rir da minha teoria,
que castelos de areia foram feitos pra durar,
mas em tempos como o nosso a única coisa que dura é a certeza de que tudo é incerto.
Não me deixe esperando, deixe logo tudo fora do lugar,
porque nada é mais frágil do que as palavras de alguém que não sabe o que dizer,
dizer que nada pode ser esquecido,
dizer que ninguém deve se importar,
dizer que fingir é negar a dor de tudo isso.
E dói aqui dentro,
onde sua tempestade não pode tocar,
onde seu vento não pode levar,
onde suas ondas não podem abalar,
dói no ideal de quem acredita no amor,
dói na esperança de encontrar uma razão maior,
do que apenas isso.
Mas de alguma forma eu já sabia que você iria chegar,
trazendo esse sorriso que nem uma borracha feita do mesmo material que as estrelas,
conseguiria apagar,
trazendo esse beijo que eu beijaria rezando pra que o dia insistisse em não acordar,
trazendo esse corpo quente que me embaralha sem saber quem é quem,
como se fosse uma canção que só uma noite perfeita sabe cantar.
Então antes de ir apenas me ensine a esquecer,
enquanto arrumo a bagunça que você vai deixar,
porque sou forte, mas tem tantas coisas que eu não sei,
não sei tocar violão, não vou saber a canção que você mais gosta de escutar,
não sei ser prático, não aprendi a esquecer,
mas eu sempre soube que você iria chegar,
e mesmo eu me preparando seria impossível não deixar você entrar.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O mundo tem olhos verdes quando ela sorri


Espero que ela entenda tudo que não foi feito pra ser entendido,
afinal o que nos importa não é o simples decorrer,
mas o final dos livros.
Espero que ela entenda que o espelho não reflete a metade do sorriso mais lindo,
que ela e só ela tem,
o sorriso de quem conversa como gente grande, mas é só uma menina,
uma menina que não sabe consertar o suporte da torneira que fica na cozinha,
que sonha em viver amores que parecem irreais,
mas que no fundo ela sabe que vão se realizar.
Espero que ela entenda que muitos nos roubam o tempo,
mas o meu tempo se esvai sem nem ao menos se importar em olhar pra trás,
como se nos conhecêssemos a anos,
e isso nos tornasse mais capazes de achar sentido nas linhas que ninguém nunca escreveu,
mas esse texto é pra que ela entenda não quem eu sou,
mas o tesouro que ela é e ninguém ainda achou.
Espero que ela entenda que ela forte,
mesmo chorando com qualquer vento,
ela é o dia de Sol, depois de uma semana de chuva,
ela é a impressão que tive se tornando real.
Espero que ela entenda que um pouco do que ela é,
já vale mais do que o resto do mundo,
porque o quarto tantas vezes sozinho,
não adormece o seu sorriso, que mais uma vez volto a dizer que é lindo.
Espero que ela entenda não o começo de tudo,
mas que ela nunca se esqueça do final,
e o final dela tem mãos dadas pelas ruas vazias,
e alguém que liga pra dar bom dia,
alguém que verá nela a razão de viver toda uma vida.
Porque das coisas que foram feitas para entender,
poucas coisas realmente importam,
mas as coisas que ninguém entende,
essas sim contém um valor absurdo,
e por isso quero que ela entenda,
que o mais importante não é não estar só, mas não se sentir sozinho,
que o importante não é saber descongelar uma geladeira,
mas nunca deixar congelar o coração,
porque o amor acontece pra quem deixa acontecer.
Espero que ela entenda que os olhos verdes dela,
um dia serão a cor do mundo de outro alguém,
que trará flores e um cartão com palavras que ela nunca imaginou receber,
e nada será como nos filmes,
pois o final feliz do cinema por mais que seja feliz,
se acaba quando as luzes acendem,
e o final dela não conhecerá um fim.
Espero que de todas as coisas ela entenda,
que ela será amada com um amor que por ser amor não deixará de existir,
e não mais existirão pedaços tentando ser alguém,
será apenas a menina do sorriso lindo,
que por ser um tesouro, demorou, mas foi encontrada,
e por ser de raro valor nunca foi deixada.
Espero que ela entenda que se ela se amar,
então sempre será amada,
porque das mil qualidades que em você posso ver,
vejo que o mundo tem olhos verdes quando estou com você.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Abstrato (coisas sem sentido que tive vontade de falar)


São escolhas que definem o caminho,
a cura para nosso câncer no destino,
é entender que a vida se resume em decidir,
entre os outros e você.
Falaremos com a menina do cabelo de mil cores?
Ou deixaremos a festa acabar sem nem ao menos saber o nome dela?
O que os outros vão pensar ou o que você gostaria de viver?
É tão simples e certo dizer que são as questões que movem o mundo,
que as respostas só existem como reação,
como uma tentativa de dar continuidade ao que alguém causou.
As palavras hoje caem como quadros abstratos,
sem sentido algum, como se viessem a passeio e logo nos deixarão,
é que eu só queria viver essa noite sem me preocupar,
sem tentar me iludir, afinal deixar acontecer,
é dar um tiro para o alto esperando uma estrela atingir,
por isso não somos feitos do mesmo material que os sonhos,
somos feitos das escolhas que fazemos.
Pediremos o telefone da menina que usa blusa xadrez?
Contaremos alguma piada pra que ela deixe cair algum sorriso?
Ou ela vai sem nem saber que existimos?
Não existe um mundo lá fora,
somos apenas nós e os outros,
e por mais insignificante que seja, isso é o que mais importa,
afinal minhas decisões se constrangem ao ver que os outros podem não me entender,
agora pequena eu só penso em você,
como uma escolha feita a milhões de anos,
mas que escolheu esse momento para acontecer,
é abstrato me iludir e pensar que você pensa em mim,
porém o que torna real é viver intensamente tudo que tenho pra viver,
e eu escolhi fazer você sorrir,
ao te dar meu telefone,
ao te dizer que acho lindo seu all star,
ao me surpreender quando você retorna no meu celular.

sábado, 4 de setembro de 2010

O velho bêbado que vende flores de plástico


Lá vem ele cambaleando,
falando sozinho ou com suas lembranças,
ele segura flores de plástico em suas mãos,
me aborda dizendo:
"uma flor, um real, uma flor, uma noite especial"
Minha vontade me trai e começo a rir,
ele é só um bêbado que vende flores de plástico,
que deve ter perdido amores,
que deve ter ficado só,
e encontrou nas flores um caminho pra reencontrar o que é especial.
Ele senta do meu lado,
não parece ter ficado chateado,
mas me pergunta a razão da minha risada,
eu digo que flores não fazem uma noite se tornar especial,
então ele me olha, se levanta, me bate nos ombros,
e diz: então você precisa beber mais do que eu.
Já é tarde da noite e eu esperando o ônibus no terminal,
e se não bastasse fico sem entender,
entender o que são sentimentos,
o que é um momento especial,
tudo graças a um bêbado que vende flores de plástico,
e agora acende um cigarro.
Quantas vezes o mundo não fez sentido pra você?
Quantas vezes os olhares que deveriam passar, permaneceram?
Quantas vezes as frases ensaiadas deram lugar a falta do que falar?
Eu finjo prestar mais atenção por não saber responder.
Os sentimentos fazem flores sem vida, viver,
é um recado escrito no espelho do banheiro e um beijo de bom dia,
que faz de um dia simples, um dia especial,
é ligar pra dizer: não paro de pensar em você,
que traz Sol as manhãs cinzas de um inverno.
Ele enfim se cala enquanto fuma seu cigarro.
E eu começo a falar comigo mesmo,
que as palavras são de um velho bêbado,
mas me trazem a verdade das coisas que fingimos não ter medo,
medo de não encontrar alguém que dê vida as flores de plástico,
medo de não ter ninguém pra compartilhar o último pôr-do-Sol do verão,
medo de não encontrar um amor que acelere o coração.
Encontre em você as palavras certas e me responda:
São mais importantes as flores ou o sentimento?
São mais belos os castelos ou o estar perto?
São mais agradáveis os mais raros perfumes ou o calor do acalento?
O sentimento, o estar perto, o calor do acalento,
respondo como se não houvessem outras opções,
ele joga o cigarro fora,
coloca uma flor em minhas mãos e diz:
então não ria de um velho bêbado que vende flores de plástico,
ria por ter feito valer a pena o sentimento que dá vida as flores.

Febre


Eu acordei do lado dela,
engraçado como tudo que nunca foi planejado,
simplesmente acontece,
e são justamente esses momentos,
que a gente não esquece.
Ela me ligou ontem e disse que não queria ficar sem mim,
achei estranho, pois nunca tenho um segundo encontro,
me dá medo as lembranças que se derretem no esquecimento,
mas já estou tão acostumado,
que não faço planos para o dia seguinte.
Andamos pelas ruas da cidade, tão vazias,
e o sorriso dela é tão lindo,
como não acreditar na sorte?
Quando ela simplesmente pára pra me ouvir,
e mesmo me achando tão idiota guarda tudo pra si.
Dessa vez eu peguei uma flor na casa de um vizinho qualquer,
disse a ela que se eu fizesse uma canção inspirada nela,
de todas as sinfonias ela seria a mais bela,
me sinto tão infantil,
mas ela aperta minha mão,
e me faz acreditar no que o mundo deixou de fabricar,
a esperança em amores que dão certo.
Ela me chama pra subir,
eu nem me faço de difícil,
entre milhares de pessoas, milhões de anos,
já é inacreditável estarmos juntos aqui.
Ela liga a tv e arruma um pouco da bagunça,
eu deito em seu colo,
e me pergunto se isso é mesmo real,
são movéis iguais ao de qualquer casa,
são assuntos semelhantes ao que digitamos na internet,
o que faz disso tudo especial?
Já não me importo, vivo a dádiva do segundo encontro,
ela me contando seus segredos, sonhos e medos,
e eu ouvindo seu coração batendo cada vez mais forte,
cada vez que a beijo mais,
cada vez que seu cheiro passa pra mim,
cada vez que o tempo ligeiro em gritar,
berra dizendo que está chegando o fim.
Eu desenho corações em sua barriga,
ela me pede pra parar, pois sente "cosquinhas",
ela morde minha orelha e me ameaça dizendo que vai me machucar,
a gente ri como criança,
ao som de um programa de calouros a gente dança,
e nos damos conta de como é bom ser simples.
Já falamos dos livros, filmes e todo assunto fútil,
que classificam nossos gostos,
debatemos as diferenças,
afinal como alguém pode não gostar dos livros de auto-ajuda e filmes de terror?
Abraçamos as igualdades, nada melhor do que andar de mãos dadas pela praia.
Nada é perfeito, nada continua retilíneo em seu lugar,
mas de alguma forma ela adormece em meus braços,
enquanto eu canto em seu ouvido as histórias dos amores impossíveis,
que aconteceram porque alguém decidiu acreditar.
Os meus olhos castanhos se fecharam pra dar lugar aos sonhos,
os sonhos das coisas não vividas que não vão se realizar,
como esse sonho, como esse delírio,
de quem está com febre a noite toda,
que fala coisas sinceras sem saber ao certo o que está a falar.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Não quebre as regras


Não se apaixone,
goste de você, ame seus olhos,
ria do seu sorriso no espelho,
mas não dê a alguém a chance de quebrar você,
a chance a alguém de dormir nos seus sonhos,
e acordar em seus pensamentos,
não dê a alguém seu tempo,
a dedicação de cada momento.
Não acredite nas poesias,
poetas são pessoas que escrevem coisas que gostariam de viver,
afinal a coisa mais rara é gostar de alguém e esse alguém gostar de você,
e quando isso acontece não existem palavras pra descrever,
porque nesse instante são os olhos que falam,
é o peito que canta,
são os sonhos de dois mundos caminhando de mãos dadas,
pra encontrar um pra sempre.
Não espere uma ligação,
a vida é mais fria quando o que esperamos não acontece,
se tiver de viver que seja tudo intensamente,
porque o amanhã não existe,
as palavras ditas hoje cairão no esquecimento,
e tudo que parecia ser importante perderá seu valor.
Não se iluda com príncipes e princesas,
fadas que voam existem apenas no cinema,
na vida real é um pombo que caga na sua cabeça,
porção do amor só existe no cinema,
na vida real existe o alto grau de teor alcoólico,
sem falar que ninguém beijaria um sapo.
Na era do macarrão instantâneo,
construir relacionamentos é um fracasso,
tudo é muito rápido,
e por isso é bem capaz que o príncipe encantado,
tenha desistido também e preferiu continuar sendo um sapo.
Não seja romântico,
isso é extremamente chato,
bombons, flores e se importar com quem está ao lado é coisa do passado,
o ideal é ensaiar uma boa cantada,
ter grana no bolso,
e mesmo sem saber o nome,
levar pra fazer sexo no carro.
Não dê presentes,
a não ser que seja aniversário e não tenha sido muito caro,
essa lenda de valorizar as coisas simples,
tatua na sua cara a palavra "otário",
presentes sem data marcada?
Até o papai noel tem dia pra chegar,
não se iluda com o que os livros dizem,
mulheres odeiam toda essa palhaçada,
elas querem alguém que dê uma esmola de atenção,
pra que de partes em partes elas consigam se sentir alguém inteira.
Nunca diga que ama,
a menos que você esteja morrendo como o Jack no final do filme Titanic,
fora isso é pedir pra ser deixado como alguém que ofereceu tudo que podia,
em tempos como o nosso a única obrigação é pagar a conta do motel,
e se tiver sido bom deixar um bilhete escrito "bom dia",
como dizem por ai fidelidade se encontra num cachorro,
romances se encontram nos livros,
pra quem procura amor a única solução é voltar a morar com os pais.
As últimas regras são muito importantes,
não se engane com ninguém, você sempre vai escolher a pessoa errada,
não se entregue a ninguém, você sempre vai ser devolvido,
não crie expectativas, mundos perfeitos não existem,
num mundo descartável é melhor ser como o vidro, frio.
Enfim quebre todas as regras,
ainda que você cometa os mesmo erros novamente,
ainda que você escolha a pessoa errada e não tenha como voltar atrás,
porque existe sempre alguém que vai acreditar no amor de verdade,
quanto a se apaixonar... só não espere que essa pessoa seja sua metade,
ao invés disso seja inteiro pra ela,
assim escrever a história juntos faz mais sentido.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Tudo é egoísmo


Nossos melhores amigos estão de mãos atadas,
eles não podem viver por nós,
os planos que desistimos,
os sonhos que deixamos pra trás.
Já não veem nossas razões,
antigamente éramos os jovens que mudariam o mundo,
hoje somos os velhos segurando carrinhos de arrependimentos.
Já são quase seis da manhã,
e estamos aqui falando sobre o que o mundo não consegue mais entender,
falamos sobre o amor, sobre percepção,
sobre as teorias que inventaram pra recriar os dons,
o dom de se importar quando todos não se importam,
o dom de dedicar tempo para ouvir o futuro da humanidade na voz de uma criança,
o dom de fazer valer a pena.
Nosso reino de reis mortos abarrotam as ruas de ladrões,
estamos ricos dos tesouros que apodrecem,
somos máquinas presas a rotina, procurando por palavras que façam sentido,
procurando um braço amigo pra ajudar a enfrentar o frio,
o frio dos nossos corações congelados,
que conseguem engolir mundos inteiros,
mas não tem sequer uma nuvem para oferecer.
Tudo é egoísmo.
Poderíamos estar fazendo outras coisas que produziriam prazer,
mas quando se trata de sentimentos, partes não formam algo inteiro,
não sei se acredito em tudo que digo,
mas sei que mesmo assim eu ainda tenho no que acreditar.
As chaves estão em suas mãos,
embora nem todas as portas tenham sido feitas para serem abertas,
existe um momento certo,
existe um olhar que se cruza de forma diferente,
existe um dia que o simples se torna especial,
existe um dia que a flor descobre que é flor,
e nós os pintores de uma vida que não segue uma linha reta,
encontramos o fim ao revisar o começo.
Vamos pra casa e ficar deitados no sofá,
ler o jornal de hoje feito com notícias de ontem,
esperar que nossas intenções não nos traiam,
embora o restante do mundo viva como se não valesse a pena viver,
nós somos a estrada que leva à costa,
somos o Sol e a poesia.
Antes éramos a poeira de uma casa vazia,
só porque não conseguíamos ver o que de verdade éramos,
os bilhetes que escrevemos nossos pensamentos mais bonitos,
dançam no meio do furacão das palavras que devíamos ter dito.
Por definição e complemento,
tudo que é criado precisa de uma conclusão,
sejam livros ou canções,
quem então inventa amores é capaz de termina-los,
e eu me agarro ao que era eterno e hoje não dura mais.,
porque em dias como os nossos,
quem se reconhece como um ser é alguém mais capaz.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

As flores queriam ser você


Preciso de uma fração da eternidade,
pra encontrar as palavras certas,
pra dizer o que a poesia não consegue descrever,
dizer o que todas as flores gostariam de ser,
e todas as flores gostariam de ser você.
Seria muito fácil se o céu refletisse a cor dos seus olhos,
se as canções tivessem seu sotaque,
se todas as noites fossem feitas pra que eu pudesse estar com você.
Me fascina os instantes improváveis,
que fazem de horas parte do que será eterno,
eterno como as lembranças do seu perfume,
do seu beijo, dos detalhes que chamamos de momento.
Seja a simples pimenta na pulseira,
ou o medo de ver cenas de horror no cinema,
seja o jeito que você segura minhas mãos,
ou seu apego aos livros que ocuparão mil estantes.
A menina que não consegue vender,
me dá de graça o mais importante que ela poderia ter,
o tempo, o sorriso e o jeito encantador que ela tem de ser,
e eu fico de mãos vazias,
sem quase nada pra oferecer,
lembro das frases ensaiadas,
de falar das igualdades pra que acredite que temos tudo a ver,
mas no final das contas,
com ela é tão fácil deixar acontecer,
que não existe espaço pra tentar convencer,
são apenas os detalhes de dois mundos que colidem,
com a esperança de se rever.
Suponho que apenas uma fração da eternidade,
ainda é pouco tempo pra poder dizer,
todos os pensamentos de uma noite que valeu a pena viver.

sábado, 28 de agosto de 2010

As coisas que eu acho


Eu acho triste não ter ninguém pra ligar no fim da noite,
ninguém esperando você chegar,
ninguém pra planejar.
Eu acho triste os dias sem Sol,
que vão se passando como uma folha em branco num papel,
sem corações desenhados,
sem amores improváveis que acontecem por simplesmente ser amor.
Eu acho triste viver num mundo de pessoas imperfeitas que impõem perfeição,
que ditam regras e inventam soluções,
para toda a destruição,
que cria canções que ecoam no cemitério dos corações sufocados,
dos corações que antigamente acreditavam que poderiam encontrar,
um amor que durasse o tempo certo.
Eu acho triste as manhãs que se passam sem você,
as noites em claro ao som da tv,
as fotografias que tatuam um tempo que não vai voltar.
Eu acho triste não ter ninguém pra se apoiar,
ninguém que traga um sorriso de graça,
que pinte o céu de mil outras cores até você gostar.
Eu acho triste não precisar de alguém,
ser auto-suficiente em relação a tudo, em relação a gente,
viver de partes pra tentar se sentir inteiro,
quando na verdade são só as coisas simples que valem a pena lembrar.
Eu acho triste os amores que se acabam sem começar,
o cinema sem ter ninguém pra abraçar,
as ruas frias sem ter mãos pra segurar,
o frio sem ter ninguém pra esquentar,
acho triste o mundo sem ter ninguém pra amar.
Eu acho triste o sentido que procuramos em tudo,
a vontade de dizer mil coisas e ficar mudo,
o dia dos namorados durar apenas um dia no mês de junho.
Eu acho triste nosso coração distraído não perceber,
a chance que acontece sem hora marcada,
as brincadeiras que dizem verdades e te deixam sem graça.
Eu acho triste a espera quando tudo que mais quero é te ter,
e me mata lentamente o tempo que se vai rápido quando deveria parar,
mas são coisas que acho,
e que não dizem respeito ao mundo,
discursam a tristeza que cabe a mim,
quando te digo que é triste,
não ter alguém pra perseguir estrelas,
não ter alguém pra amar pela vida inteira.

Aquele tempo



Eu vejo um monstro no espelho,
boas intenções afunilando,
o que já era estreito,
esperamos acontecer,
por isso vivemos de antigos feitos,
suas mãos distantes,
me trazem medo.

O vento traz de volta,
a saudade das coisas que não vivemos,
absolutamente sem sentido,
nós tão independentes,
em braços castos procuramos abrigo.

Eu vejo a cura escorrer pelos dedos,
a rotina sufocando,
o que não é dela por direito,
tentamos esquecer,
remédios adormecem a dor no peito,
solidários, alimentamos,
nossos próprios desejos.

O vento traz de volta o que não tem preço.
Cacos do passado aprisonam o recomeço.
O vento traz de volta todos os momentos.
As lembranças dos bons tempos.

domingo, 22 de agosto de 2010

Que exploda



Eu quero mais é que se exploda,
essa vaidade,
pessoas fúteis, sem personalidade.
Eu não quero mais fingir...
Eu quero mais é que se exploda,
esse pensamento,
pessoas falsas, inventando sentimento.
Eu não quero mais fingir...

Que se exploda, que se exploda,
gente que fala demais e vive à toa.
Que se exploda, que se exploda,
gente certinha que disfarça a vida louca.

Eu quero mais é que se exploda,
a riqueza humana,
pessoas ricas, que se acham bacanas.
Eu não quero mais fingir...
Eu quero mais é que se exploda,
a politicagem,
pessoas influentes fazendo sacanagem.
Eu não quero mais fingir...

domingo, 8 de agosto de 2010

Quantos dias tem uma rotina


Meu deserto é feito de prédios,
rotina e pessoas chatas,
a segunda chega,
sem nem ao menos se perguntar,
se o fim de semana foi o fim,
de mais uma semana igual.
Acho que estou triste,
mas nem por isso fico preocupado,
só estou cansado,
de mim mesmo, dos outros,
de tudo que se define por si só.
São metas pra alcançar,
um bom emprego, uma carreira, um lar,
tudo isso num espaço de tempo que não me dá espaço,
nem ao menos pra ter tempo.
Queria viajar, ver o Sol se pondo em outro lugar,
mas o que me resta é a prisão dos dias iguais,
dias em que todos vivem sem prestar atenção.
Estamos todos sufocados,
com a corda no pescoço,
e uma carta de indicação na mão,
seja lá onde você for parar,
terá alguém te esperando,
pra moer ainda mais seus ossos,
ou quem sabe fazer o choro cessar.
Depressivas são as palavras que vão caindo como chuva,
nesse inverno tão intenso,
só não esqueça de se agasalhar,
a piedade não existe mais,
são os assassinos que governam em nosso lugar,
antes que termine o dia,
não esqueça de se agasalhar,
é muito mais frio quando anoitece e não se tem companhia,
quando a rotina vence,
e o que nos resta é esperar por um novo dia.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Quando lembro


Quando me lembro de tudo,
são frases sem valor,
pra expressar a gratidão,
por todas as vezes que me ajudou.

Tudo bem, tudo bem,
lá fora o mundo é incolor,
o que outrora era belo,
faz parte da lembrança,
do museu feito de tudo que já passou.

Quando me lembro de tudo,
sinto falta do seu calor,
hoje falam de dinheiro e emoção,
não vivem mais o amor.

Tudo bem, tudo bem,
eu sou tão culpado,
que tento me justificar,
como peregrino perdido,
com saudade do lar.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Rua bahia 4.333


E assim acabou a rua bahia,
não vai ser preciso baixar o volume das tvs,
não existem mais crianças pra correr,
o corredor que foi palco de tantas confusões,
hoje está vazio,
não há encrencas,
não há diversão,
nem barulhos, nem reclamações.
E assim acabou a rua bahia,
nenhuma criança se pendurando no portão,
ninguém gastando o extintor pra apagar o fogo do fogão,
ninguém xingando palavrão,
pedir silêncio hoje... seria em vão,
só restam peças vazias e a poeira,
poeira de quase dois anos,
poeira de tantas famílias que viram suas vidas mudarem,
depois de uma tragédia,
famílias que sabe se lá onde estarão,
sabe se lá onde chegarão.
E assim acabou a rua bahia,
diferente do que todos pensavam,
ninguém ainda foi para suas casas,
que a tanto tempo foi prometida,
as mudanças feita as pressas,
revelam um povo que sem opção,
montará seus móveis já velhos em outras moradias.
E assim acabou a rua bahia,
com suas tantas histórias, com suas tantas vidas,
com seus amores secretos, seus segredos escondidos,
com seus moradores que sempre reclamavam,
e com outros que conseguiam achar graça de tudo isso.
Hoje as luzes vão ficar acessas,
pra lembrar a um pobre educador que vai passar a madrugada sozinho,
que a poeira no corredor e as casas vazias,
dizem quase que sussurrando,
que a moradia da rua bahia acabou.
Hoje não precisa pedir silêncio,
nem se incomodar com crianças correndo no corredor,
porque a lembrança disso tudo foi a única coisa que restou

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Fim do mês


Meus sonhos são simples,
os meios que são complicados,
tentar convencer que estou certo,
é o maior indício de que posso estar errado.

Já estamos no fim do mês,
o tempo sem ressentimento,
não se importa,
com o que você fez ou deixou de fazer.

Um dia de liberdade,
vale muito pra quem vive uma vida de prisão.
Tudo que era pra vida inteira,
acabou ficando pela metade.
E a verdade das coisas simples,
são sempre as mais importantes.

Meus ideais são constantes,
a circunstância oscila,
nossas dúvidas traidoras,
nos levam para o final da fila.

Já estamos no fim do mês,
o tempo sem ressentimento,
não se importa,
com o que você fez ou deixou de fazer.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

A dádiva das coisas simples


Se eu pudesse escolher um dom,
eu escolheria o dom de viver as coisas simples,
de reviver o tempo em que amar era suficiente,
e que as pessoas eram felizes,
felizes ao ver que o tempo pára quando se encontra quem se ama,
que os poetas dizem coisas que esperam viver,
que sentem coisas que talvez nunca vão sentir.
Eu escolheria o Sol refletido nos seus olhos,
escolheria viver as frases espontâneas que não fazem sentido,
as frases que se transformam em monólogos,
e que não dizem nada e ao mesmo tempo se resumem em repetir,
as palavras que o mundo a tanto tempo banalizou,
um "eu te amo" empoeirado escrito num jornal.
Nós sabemos tanto e ainda buscamos a paz com balas de canhão,
crescemos tanto, e nossa mente decrescente se faz do tamanho de um grão,
um grão de pó,
um grão de ser humano que no meio da multidão continua se sentido só.
A distância nunca existiu,
me convenço disso quando vejo a Lua aquecida pelo Sol,
quando nada se torna impossível para os que tentam,
quando é insuportável a dor dos que desistem.
Tudo muda se mudarmos,
nunca foi o jeito que as coisas são,
mas o jeito como vemos,
e o que vemos não define ser ou não,
o mundo há tempos só consegue ver o que as pessoas foram,
o que agora são,
mas a virtude consiste em ver o que podemos ser.
E nós podemos ser a oração de um cego que suplica para enxergar,
podemos ser o suor de um nordestino que com esperança planta,
esperando que a chuva possa chegar,
podemos ser o pior agarrados a um filete de coragem que um dia possamos melhorar.
O mundo não é triste, o caos não é nosso lar,
falamos sem saber, pensamos sem agir,
temos de mil dons, a natureza comum de complicar,
por isso que dos alvos que tenho,
do viver um amanhã que não existe,
das preces e da pressa,
a única dádiva que peço,
é de fazer valer a pena os momentos que não se repetem,
é de viver sem complicar as coisas simples.
Simples como dizer o que sente,
simples como ser quem se é,
simples como ter a certeza de que amar ainda é suficiente.

domingo, 20 de junho de 2010

E se a história fosse sua o que responderia?


“E se eu encontrasse alguém pra dar o mundo inteiro,
Sem precisar de segundas chances,
Sem querer impressionar pelo que não sou”.

Pensava ele caminhando pela praia, molhando os pés nas ondas do mar,
Ele que não era o mais inteligente, mas tentava ser engraçado,
Sempre perto dos sonhos, mas distante de alguns planos,
Ele que errava tentando acertar, e quando acertava parecia não acreditar,
Alguém tão comum que parecia ser diferente,
Que tinha dias que ficava pensando em tudo, sem querer ver a cara de ninguém
pela frente,
Que era um herói fora das histórias em quadrinhos,
Nem sempre vencia, mas permanecia de pé após a guerra,
Pra reconstruir as muralhas e resgatar as pessoas feridas.
“E se alguém mudasse minha vida e me fizesse tocar as estrelas”,
Sem precisar sair do chão,
Sem querer me dar um universo de ilusão”.

Imaginava ela indo em direção ao pôr-do-sol,
Chutando as ondas que se aproximavam,
Ela era meio desastrada, mas seu olhar desconsertava,
Ela procurava tantas respostas que se esquecia das questões,
Se achava estranha por não entender o que sentia,
Até descobrir que estranho é ter certeza do que quer e desistir,
Ela era tão perfeita como a mais linda das melodias,
Mas navegava sempre até a ilha do “se”,
E acabava precisando de alguém para resgatá-la.
Os passos iam cada vez mais se encontrando,
Parece até que a musica começava a tocar,
Mas só o som do mar e palpitar dos corações compunham essa trilha.
Os olhos se cruzaram rapidamente meio sem graça,
Ela sem querer chuta um pouco de água nele,
Ele sorri com o coração acelerado e olha mais uma vez nos olhos dela,
Que agora brilhavam com tom castanho e questiona com ela quase indo:
- Você acredita em sonhos sonhados de mãos dadas?
- Em um amor pra vida inteira?
E se a história fosse sua o que responderia?
Continua...

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Deixa ser (amo seu cabelo despenteado)


São mil beijos de bom dia,
seu cheiro, seu abraço,
os sonhos sussurrados,
enquanto mordo sua orelha.
São mil frases repetidas,
seu jeito, nosso espaço,
suspiros apaixonados,
de uma amor pra toda vida.

Deixa ser o tempo que se arrasta,
seu cabelo despenteado,
seu jeito de sorrir sem graça.
Deixa ser a vida que se passa,
seu jeito de me chamar de amor,
um dia tudo será como deveria ser.
Deixa ser...

São mil dias ao seu lado,
seus olhos, sua boca,
o beijo bobo no seu queixo,
a covinha linda no seu rosto.
São mil razões de um apaixonado,
suas qualidades, seus defeitos,
tudo que faz me apaixonar,
todos os dias só por você.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Mundo pequeno


Se é pra entrar na contra mão,
eu entro acelerando,
já tomei minha decisão.
Se é bater ou correr,
que venham então,
eu não sou filho de pai assustado não.
Se é pra viver uma vida lascada,
eu aproveito meu tempo,
vivendo intensamente momentos,
pra não perder a diversão.

Tento ser mais sincero,
a acidez do que falo,
corrói meus pensamentos.
Tem todos os mapas,
mas sua mente pequena,
faz seu mundo caber na minha mão.


Se é pra ouvir mentiras,
eu prefiro ver tv,
seletividade rendida a bel-prazer.
Se é chuva ou Sol,
coloque o biquini,
e vamos para um lugar melhor.
Se é pra me preocupar
vai ter que se esforçar,
porque o que você faz grita mais alto,
que o tom da sua voz.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Quanto dura a eternidade


Ela dá cor as flores,
e traz Sol ao meu amanhecer,
o sopro dela é o perfume,
que levarão mil anos para descobrir.
Ela faz ser real o que era sonho,
é o jardim do meu pensamento antes de dormir,
ela é o vento que bagunça meu cabelo,
a menina que em meus braços perde os medos,
a mulher que eu dedico todo meu desejo.
Ela é o olhar que as estrelas usam ao anoitecer,
a valsa que a Lua dança com os apaixonados,
nas noites que não foram feitas para se ficar só,
ela é a risada dos meus planos de mudar o mundo,
o beijo em minha testa quando preciso me sentir melhor.
Ela é a simplicidade de uma criança,
e a sabedoria de uma anciã,
é a menina que vai de chinelo comprar pão,
a mulher que chama toda a atenção.
Ela é o meu rosto vermelho de vergonha,
o beijo que cala minha explicação,
ela é o meu amor que transborda,
os pés que caminham juntos na mesma direção,
as dificuldades vencidas sem largar as mãos.
Ela é o bocejo e o boa noite em tom de cafuné,
que se encaixa perfeitamente no calor do nosso adormecer,
o jeito doce de me convencer,
que minhas piadas são sem graça,
mas que mesmo assim ela ri.
E por falar em rir,
ela é meu sorriso distraído,
enquanto espero o ônibus no terminal,
a letra de todas as canções,
a melodia de todas as composições,
ela é a única razão que a emoção encontra,
para racionalmente se emocionar.
Ela é o motivo da saudade que machuca,
que arranca pedaços do peito,
e sem cura acaba sufocando meu tempo,
que se passa lento e sem motivos,
quando ela não está por perto.
Ela é o mundo que gira,
ela é o dom de me vencer em qualquer aposta,
e a vitória de mesmo eu perdendo, ainda ganhar,
ela é a aliança em meu dedo,
e a eternidade do meu fiel sentimento.
Ela é o ar que me faz perder o fôlego,
o amor que inventamos,
e ao mesmo tempo todo o amor que se existe para amar.
Ela é a vontade de voltar para o mesmo sonho,
e o coração que bate junto ao meu,
ela é a atriz principal,
enquanto as coisas mais belas sempre aparecem em segundo plano.
Ela é você e eu sei que você vai fingir não saber,
mas de todas as certezas,
a única que tenho é que tudo é real por ser com você,
e isso você nunca vai conseguir esconder.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

A fogueira é a solução


Se eu tentar ser mais sincero,
a acidez das coisas que falo,
corroerá meus pensamentos,
essa corja de falsos,
mestres de si mesmos,
flores exalando podridão.

Cuspo em suas regras,
faço piadas sobre o que você crê,
crê sem viver,
finge viver, finge pra quê?
se nada conseguimos esconder.

Bonitos por fora, ocos por dentro,
sepulcro caiado, raça de víboras,
filhos da puta mentirosos,
que se fazem de vítimas,
crentes que conseguem enganar,
mentem pra própria consciência,
mas um dia sua hora vai chegar.

Espero que Jesus aceite cheque pré,
porque está precária a situação,
mal temos para o pão,
e o que mais importa eles deixaram pra lá,
eles estão ricos e eu não,
aparecem na tv falando de doação,
e eu odeio essa mentira,
odeio essa mentira,
um povo burro seguindo essa alienação.

Me perdoe Deus,
mas você é diferente do que falam de você,
até quando eles vencerão?
Me perdoe Deus,
mas não foi isso que você disse sobre ser cristão,
até quando eles enganarão?
Me perdoe Deus,
mas hoje estou puto demais pra me conter,
até quando eles vencerão?

Que comece a revolução,
que me queimem na fogueira como na inquisição,
mas não me renderei a esses filhos da puta,
mentirosos, cruéis e ladrões,
enganam a muitos, mas chegaram tarde,
eu percebi na cúpula toda a armação,
e a mim vocês nunca mais enganarão.

E como alguém que resgata um tesouro do lixo,
eu vivo o que prego,
e essa é a maior diferença entre ser o que você é,
e o que eu sou,
essa é a maior diferença entre ser crente e ser cristão.

A história se repete,
Lutero morreu em vão,
a igreja prostituta voltou,
agora completamente apaixonada pelo dinheiro,
poder, curas na televisão,
e com a audiência dos crente viciados em bençãos.

Me perdoe Deus,
me perdoe Lutero e outros grandes que fizeram parte da revolução,
me perdoe Paulo e seus náufragos, açoites e perseguições,
mas eles transformaram tudo em uma grande merda,
pra falar das coisas que convém,
e não mais da redenção,
Me perdoem todos, mas eu prefiro morrer na fogueira,
do que viver uma vida em vão.


"Meu querido Pai celestial, Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Deus de todo consolo, graças te dou porque revelaste teu querido Filho Jesus Cristo, em quem eu creio, a quem eu tenha pregado e confessado, a quem eu tenho amado e enaltecido e a quem o papa desprezível e todos os ímpios desonram, perseguem e ofendem. Suplico-te, Senhor Jesus Cristo, que tomes conta de minha alma. Ó Pai celestial, se devo deixar este corpo e ser arrancado desta vida, tenha a absoluta certeza de que estarei eternamente em tua companhia e que ninguém me arrebatará de tuas mãos."

sábado, 24 de abril de 2010

Doce


Tudo é confusão nesse mundo cada vez mais louco,
e tudo é tão amargo,
longe dos seus olhos doces,
que eu prefiro mesmo borrar o azul do céu,
e deixa-lo com cor de mel.
Eu vou andar pelas ruas,
e em algum momento vou me flagrar pensando em você,
são horas de conversa que poderiam ser por acaso,
mas encontram um propósito por ser você,
quem fica com meus momentos.
É no seu jeito de morder os lábios,
no jeito que você joga o cabelo para o lado,
no jeito que você tem de querer debater,
e em todas as vezes que você simplesmente ri.
É no seu jeito de falar sobre o amor,
de sentir o amor,
e no meu jeito de querer esse amor pra mim,
que tudo se define como uma chance entre milhões.
E tudo se torna tão simples,
tão parecido mesmo sendo tão diferente,
mesmo você sendo da roça e eu de uma zona urbana,
mesmo você com sua mistura de sutaques e eu só falando carioquês,
mesmo sendo tão diferentes assim,
as coisas se tornam simples,
simples ao querer conversar um pouco mais,
simples ao querer pedir pra você ficar um pouco mais,
porque por mais que sejam poucos instantes...
com você...
já deixam saudade,
saudade das coisas que não viveremos,
saudade dos sonhos que se completam, mas não se realizam,
mas em mim vai doer a saudade de ainda não ter te conhecido.

sábado, 17 de abril de 2010

Livre, leve, solta (O mundo sorridente das pessoas vazias)


O gosto amargo da sua boca,
revive erros de uma vida tola,
seus olhos que brilham,
e seu sorriso que é lindo,
escondem o vício de viver uma vida à toa.

O mundo sorridente,
das pessoas vazias,
a felicidade em um copo,
a vida como um sopro,
uma noite perdida,
por um dia melhor,
mil pessoas ao lado,
pra não se sentir só.

A dose quente que te deixa louca,
desperta seu momento livre, leve, solta,
seus pedaços separados,
que desfiguram o inteiro,
de uma pessoa que perdeu as escolhas.

E você era um diamante,
age como uma concha sem valor.
Você tinha o controle,
nem sabe como em casa chegou.
Você se perde, querendo se achar,
mas desse jeito nunca vai se encontrar.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Cansei


Acho que estou cansado,
cansado dos preconceitos,
dos muitos direitos,
das pessoas falsas,
e se seu jogo de interesses.
Acho que estou cansado,
de me preocupar com o que vão pensar,
na ação e reação,
quero fugir e vender coco na praia,
comer peixe todo dia,
ver o mar azul e meu cachorro brincando com minha filha.
Acho que estou cansado,
dessa gente que só pensa em dinheiro,
que deixa de dar comida aos filhos,
pra comprar um maço de cigarros,
e ainda pede emprestado a quem tiver, um isqueiro.
Acho que estou cansado,
dessa história que se repete,
que se olha o geral,
e apaga o indivíduo,
e o que você tem determina o que você é,
e o que você é não diz nada sobre você.
Acho que estou cansado,
dessa minha vida inútil,
cheio de futilidade,
enquanto crianças ainda comem comida do lixo,
matamos homossexuais como se fossem bichos,
e empurramos o amor do mais alto precipício.
Estou cansado dos meus discursos,
de ver políticos ficando ricos,
e meus amigos procurando emprego,
contando as moedas pra comprar pão,
dormindo tarde e acordando cedo,
olhando para o futuro e mesmo sem querer,
sentindo medo.
Acho que estou cansado,
de amar alguém que ama outro alguém,
e de alguém me amar enquanto eu amo outro alguém,
é uma corrente viciosa de valores,
que unem todos os nossos sentimentos,
e fazem deles apenas um desperdício.
Estou cansado das promessas não cumpridas,
da igreja prostituta,
dos que tem a bíblia na mão, mas vivem um erro,
dessa nação gigante e forte presa a uma corrente,
que não prenderia nem um esquilo.
Acho que estou cansado de precisar de alguém que me indique,
de conversar com pessoas que vêem o mundo real,
e simplesmente se acostumam com isso,
que não cedem o lugar para um idoso,
e escondem a bolsa quando vêem um negro.
Estou cansado desse mundo podre que criamos,
cansado de ver as prostitutas com seu sorriso maquiado,
esperando o próximo que ira usar seu corpo,
pagar e ainda pedir desconto,
como se fôssemos um produto,
se é histórico, comum, ou antropologicamente aceitável,
eu não sei, sei apenas que é triste,
triste ver que somos apenas isso,
um humanidade cansada, aborrecida, enganada,
e falsamente ludibriada com vícios, propagandas,
e algum resquício do que fomos um dia,
seres que acreditavam em um novo dia,
sem mentiras, sem cera, sem máscaras, o real pelo real,
o amor que vem primeiro,
sem qualidades abarrotando nosso lixo.
Eu acho que simplesmente cansei de tudo isso.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Esquema pop


Mais uma dose para o mundo girar,
cantaremos frases de amor,
e o mundo todo vai nos adorar,
beijos e amores impossíveis de encontrar,
é o esquema pop é a vergonha do rock.

Mas roubam nosso dinheiro,
mesmo assim dormimos tarde,
e acordamos cedo,
sustentando um governo,
que mais parece um puteiro.
Trabalhamos como escravos,
durante o ano inteiro,
mas é cômico esquecer de tudo isso,
no mês de fevereiro.

Mais uma dose pra que eu possa acreditar,
iludiremos a juventude,
pra que não tenham forças pra mudar,
todos iguais rasgando o fato de ser indivíduo,
é o esquema pop é a vergonha do rock.

É só?


Apague o cigarro e baixe a voz,
vamos conversar de igual para igual,
deixar as armas no chão,
esquecer o faz de conta,
e achar uma solução.
Deixe de lado frases decoradas,
vamos conversar como irmãos,
sem sangue pelo chão,
esquecer o beijo,
que precede a traição.

Queremos construir,
castelos de areia,
com segredos explosivos.
Queremos fingir,
que somos vítimas,
acendendo a fogueira,
do lixo que é tudo isso.

Não me invente e olhe nos meus olhos,
todas as chances em suas mãos,
deixaremos de falar o necessário,
pra jogar palavras em tom superficial?

É só o que seremos?
Uma mente de paçoca,
figurinha repetida na história?
É só o que seremos?
A hipocresia humana,
vivendo uma vida foda?

domingo, 4 de abril de 2010

O dia de hoje


O dia de hoje foi feito,
pra eu que eu pudesse te dizer,
as mil coisas não ensaiadas,
o exagero do sentimento,
que você não acreditava que pudesse existir.
O dia de hoje foi feito,
pra mim e pra você,
e eu não me importo se ele vai durar muito ou não,
desde que eu esteja aqui com você,
olhando seus olhos desenharem os meus,
e suas mãos cachearem meu cabelo,
por não saber o que dizer,
quando te digo palavras,
que nem eu sabia que existiam pra dizer.
O dia de hoje foi feito,
pra ficar deitado no seu colo,
enquanto na tv passa algum programa chato,
e nós ficarmos rindo das roupas fúteis dos apresentadores,
e planejando viver uma vida simples,
sem muitos "porques" e "poréns".
O dia de hoje foi feito,
pra revermos nossas fotografias,
na praia, no sítio, comendo a comida ruim dos seus tios,
e falando besteiras misturada com a filosofia,
daqueles que se apaixonam todo dia pela mesma pessoa.
O dia de hoje foi feito,
pra que a gente não se sinta tão sozinho,
sem relógio, sem compromissos,
só nossos corações batendo.
O dia de hoje foi feito,
como se faz as coisas mais perfeitas,
o céu mais estrelado, o primeiro sorriso de uma criança,
o Sol que se põe e deixa o mar dourado,
o dia de hoje foi feito com o mesmo material,
que se faz o amor,
e esse dia foi feito pra mim e pra você,
pra durar até que não existam palavras,
e só nos restem os sinais,
de quem se ama daqui até o que é eterno.
O dia de hoje foi feito,
sem pretensões, sem destino certo,
só a certeza de que me perder ao te encontrar se torna correto,
como um beijo com gosto de mar,
e nossos nomes escritos na areia,
igual criança boba fazendo besteira.
O dia de hoje foi feito,
para o sossego, a quietude, seu abraço, meu abrigo,
nossos sonhos afastando os pesadelos,
esses pequenos instantes,
que farão parte do que vemos como algo inteiro.
O dia de hoje foi feito,
pra te dizer que as palavras somem quando penso em você,
que ficaria te olhando e guardaria esse olhar como um segredo,
é que eu trocaria uma vida imortal,
só pra tocar esse momento,
e viver esse dia como se fosse o último,
porque de alguma forma eu sei,
que esse dia foi simplesmente feito,
pra mim e pra você

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Eu sou o mais feliz do mundo


Das coisas que valem a pena falar, digo que Cristo é o melhor de mim,
e de todas as outras mil coisas que eu poderia inventar digo que sem Cristo, não resta nada em mim.
Ele define meus dias, faz meu coração bater,
é o amor pra minha vida inteira,
é meu abraço ao dormir, meu bom dia ao acordar,
é o que me motiva a ser melhor.
Mil textos com inúmeras palavras serão insuficientes,
todas as canções do mundo sejam elas depressivas ou contentes,
também serão insuficientes.
Quem eu sou se define dependentemente de tudo que Ele vê quando me olha,
e às vezes quando olha vê uma criança querendo pilotar um avião,
um mudo querendo discursar para uma multidão,
um cego que tenta guiar outros na escuridão,
Ele vê meus defeitos, minha ressaca e ainda assim me trata como não mereço,
me dando momentos que nunca se repetirão.
Não olhar pra trás, ou fingir que não me importo com o que dizem é a maior besteira,
sou humano, erro, me preocupo e me sinto só, mesmo quando tenho muitos ao redor.
Mas me flagro revendo as situações difíceis, as palavras duras que me disseram e as que eu já disse, e vejo que em tudo isso não me limito ao me definir, não me limito quando me defino como filho do criador do universo, do criador do meu mundo, do criador dos meus sonhos, do criador de todas as expectativas que não quebrarão.
Quem eu sou?
Sou aquele que não vive mais, que com todos os conceitos errados e certos,
consegue ser amado,
consegue ver num futuro incerto a esperança da eternidade ao lado de quem sempre me amou, e é isso que sou o pior do mundo, cheio de defeitos, um risco certo na bolsa de valores, a falência das escolhas, mas alguém que reconheceu que só Jesus é o Senhor e isso tem sido suficiente pra dizer que até aqui me ajudou o Senhor
Quem eu sou?
O mais feliz do mundo

quarta-feira, 31 de março de 2010

Palhaçada


O circo está pegando fogo,
mas e daí não gosto de palhaço,
não te fiz promessas,
sei bem as coisas que faço,
não me culpo por saber dançar.
e errar o passo.

Não, eu não sou herói,
não carrego o mundo,
que pesa sobre nós.
Não, eu não sou o melhor,
sou apenas o que sou,
não preciso provar nada pra você.

O mundo está indo de mal a pior,
mas e daí ninguém faz sua parte,
não te grito segredos,
sei bem quando tudo vai para o espaço,
essa história de ser perfeito,
me enche o saco.

Não desça do salto, fique no alto,
não suje sua roupa, essa é sua escolha,
não cuspa seus conceitos, faz parte dos seus defeitos,
e eu sou apenas o que sou.