quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O invisível é real (Sentidos de um coração apaixonado)

Das coisas que são reais dou valor ao que é invisível,
dou valor ao que seus olhos dizem sem você perceber,
e eles me dizem o quanto foi bom eu ter encontrado você,
eles dizem que pra você o essencial é invisível,
e nossos sonhos se unem como não poderia deixar de ser.
E posso dizer que é real sentir falta de você todas as noites,
querer seu carinho a todo instante,
te ligar e dizer que não aceito não como resposta,
ir até sua casa pra ouvir sua história,
ir e não querer ir embora.
Posso dizer que é real a vontade de te abraçar,
como se vivesse um último segundo,
como seu abraço fizesse parar o mundo,
e minha vida tivesse sentido ao te sentir.
Posso dizer que é real a vontade de te fazer feliz,
de conseguir dizer tantas palavras,
que não dizem nada do que quero dizer,
dizer que não te conheço bem,
mas pelos pequenos detalhes que conheço,
já tenho aprendido a amar você.
Posso dizer que é real o coração que arde,
ficar sentado numa praça,
vendo você se distrair com uma flor,
enquanto eu falo do que quero, quem eu sou,
enquanto os carros passam com faróis acesos,
deixando mais claros o castanho,
e me lembrando que não me apaixonar por você seria estranho.
Posso dizer que é real a sinceridade do que sinto,
como o sentimento de um menino bobo,
que não sabe bem o que fazer,
quando vê em sua frente o amor da sua vida,
mas não tem toda a certeza que existe pra poder dizer,
quem sabe um "eu te amo",
quem sabe um "eu esperei minha vida toda por você".
Posso dizer que é real mesmo que só pra mim,
mesmo que só nos meus pensamentos,
e eu sei que pra você também foi real,
nem que por alguns momentos,
foi real o beijo roubado,
minhas mãos em seu cabelo,
todas as palavras ditas com o olhar,
que não caberiam em mil textos.
Posso dizer que é real,
mesmo que tudo que eu sinta seja invisível,
invisível como os incomuns,
como tudo que falamos quando ninguém pode ouvir,
como as comidas que não gosto e você ama de paixão,
como nossas histórias tristes,
como nossos sonhos dando as mãos,
como o essencial de ser você e eu,
como o essencial de sentir o que sinto quando penso em você,
e tentar fazer isso tudo ser real pra você.

Um comentário:

Julie disse...

Atento aos detalhes!