sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Impossivelmente

Eu poderia ficar triste,
desacreditar no amor,
mas sou forte demais pra isso,
sou alguém como ninguém mais.
Foi com poeira nos olhos que me levantei,
seria apenas um faz de conta fracassado,
que me faria adormecer?
Existe ainda um céu azul,
mesmo atrás das nuvens cinzas,
e meu corpo ainda tem o calor,
de um amor pra vida inteira,
sem a besteira de convencer,
viver a vida como se deve viver.
Eles que estavam certo,
eu que errei,
o mundo dando voltas,
e minha âncora presa em que?
Na neblina que aparece quando quer?
Não cheguei até aqui choramingando atenção,
não sou lá grande coisa,
mas mereço mais do que você pode oferecer,
não estou na promoção,
nem quero mais ser comprado por você,
sai do estoque,
maduro demais pra cair em armadilhas,
criança demais pra ficar sentido dor,
por alguém que não é como eu.
Agora sim posso ter a certeza de dizer,
quem não quer sou eu,
quem não faz escolhas não merece escolher.
Já fui longe demais,
sei onde encontro minha paz,
e agora já não lhe daria nem por mil tesouros,
meu coração que tanto se importou.
Feliz aqui, feliz ai,
caminha a humanidade,
em passos finitos,
em atitudes pra mais tarde,
só sei que não sou como você,
e alguém como eu vive mais do que fala,
e sendo essa nossa maior diferença,
impossivelmente você conseguiria não olhar pra trás.

Nenhum comentário: