domingo, 8 de novembro de 2009

Entendo (O fascínio de desistir sem tentar)

Entendo seus medos,
mas será que eu nunca poderia ter sido o abraço,
que te acalma quando tem trovões?
Entendo que não queira respostas,
mas como deixar partir,
o que se sente sem querer,
o amor que vem na maré cheia e esquece de descer?
Entendo suas palavras,
mas não me peça pra nada dizer,
porque dentre mil defeitos,
desistir sem tentar não é um dos meus,
então não direi pensamentos,
e filosofias que dizem o que não sinto,
mas faço de minhas palavras,
o depósito de tudo que sinto,
porque não posso fingir que não me importo,
afinal com você dias em tom de sépia,
não cobrem o litoral,
e com você tudo combinar é normal,
então não me peça para agir como pessoas,
que se despedem sem dar tchau.
Entendo os detalhes,
faço de mim parte da arte,
e de você os retoques que faltavam,
só não diga que sente falta das partes que faltam,
porque você em algum momento,
preferiu deixar de pintar,
trocou as cores de lugar,
e quis apenas fechar o livro da nossa história,
mas não farei perguntas,
respeitarei seu gosto pela facilidade,
de simplesmente falar sem querer ouvir,
seu gosto pelo medo de perder o que nunca ganhou.
Entendo suas explicações,
racionais ou não,
parece pouco importar,
já que o que mais importa é deixar pra lá,
é a velha história de priorizar os que nos tratam como opção,
mas se não houve erros,
e já não posso estar em seus sonhos,
de que vale então estar em sua vida?
Se a vida é feita de sonhos,
sonhos de algum dia podermos estar juntos,
sem ter mais nada pra falar,
rindo das piadas sem graça que eu fazia pra você gargalhar.
Entendo os segredos,
e de todos o maior deles,
foi você nunca ter me contado,
que o amor desiste por ter medo de amar,
me deixando assim com a saudade de sentir saudades de você,
entendo mesmo,
os segredos e as explicações,
os medos e as decepções,
os detalhes e as palavras,
as respostas e seu pedido pra deixar como está,
mas como te disse não sou dos que desistem sem tentar,
e já que a vida é feita de sonhos e saudades,
saudades das coisas vividas, das coisas que nunca viveremos,
saudades da companhia, do que poderíamos ter dito,
e sonhos de quem sabe um dia,
não precisarmos sentir mais saudades,
porque estaremos vivendo os melhores dias,
juntos,
se você não tivesse desistido.

Nenhum comentário: