quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Desta vez

Desta vez faltam palavras e eu nem sei o que dizer,
dizer como é bom te conhecer,
ver seu sorriso bobo,
seu jeito de dançar sem graça,
e ter que acreditar que o que tem que ser, será.
Desta vez nem tenho tempo pra tentar convencer,
dos incomuns, das diferenças,
dos motivos e razões que nos fariam ficar juntos,
em silêncio olhando um nos olhos do outro.
Desta vez rendo-me sem tentar,
vou me contentar com os poucos momentos,
com a saudade das coisas que não vivi,
da Lua que não vimos juntos,
das risadas que você daria ao me ouvir dizer,
que não sei como pude viver tanto tempo sem você.
Desta vez tudo vai fazer parte das coisas que penso antes de domir,
parte desta vida que parece um labirinto,
que me leva até você e me deixa perdido,
perdido sem saber o que dizer,
sem ter palavras suficientes pra te convencer,
que eu daria todos os meus momentos,
pra com você viver,
pra deitar no seu colo e ver o vento desenhar seus cabelos,
pra ficar fazendo carinho até você adormecer em meu peito.
Desta vez vou ser um desenho não desenhado em seus cadernos,
e você um poema não escrito em meus versos,
mas de alguma forma poderemos sempre sonhar,
com a cor do nosso quarto, com as pegadas na areia da praia,
com nossos nomes escritos e mais nada.
Desta vez acaba assim meio sem começo, meio sem final,
acaba com sua sugestão de deixar tudo como está.

Nenhum comentário: