terça-feira, 25 de agosto de 2009

Garotas geladas dão dor na garganta

Antes de me matar,
diga ao menos que foi real,
que não foi tudo loucura minha.
Que antes do dia amanhecer,
tudo fez sentido pra você,
tanto os incomuns quanto as diferenças.
Você tem a arma apontada para meu peito,
sua descrença no que poderia ser,
te faz prisioneira do que você tem medo de viver.
Eu sou aquele cara que entende tudo errado,
que na pele sente que bonzinho só se fode,
mas só não pense que por isso você pode,
achar que todos somos iguais,
cheio de mentiras, palavras vazias e ilusões.
Cabe a você acreditar no que quer,
cabe a mim ser o que sou,
sem pretensão de te convencer,
ser apenas o cara que vai te ouvir,
e ser sincero em todas as palavras,
mesmo que isso nunca faça parte desse seu mundo distante.
Acabe logo com isso,
diga que eu vivo pisando em nunvens,
quando estou com você,
e que você é impaciente demais,
pra não jogar com cartas marcadas,
afinal sempre é feita a sua vontade,
e no seu jogo só ganham aqueles que já tem as cartas marcadas,
e eu sou aquele iniciante bobinho com coração de menino,
que não precisa se aproveitar por já ter teu carinho.
Tudo para o ventilador,
afinal é assim que deve ser,
já que são palavras para uma criança ler,
e quem mais sábio que uma criança,
pra ensinar aos corações bobos,
que princesas só existem em histórias,
e é em uma dessas que pensei te encontrar,
mas princesas acreditam em finais felizes,
e você parece em nada acreditar.
Agora que vejo a arma em sua mão,
fica mais fácil enxergar,
que você age assim porque ainda não descubriu,
o que é o amor,
o que é aquele pensamento ao amanhecer,
a falta de dormir ao anoitecer,
o escrever coisas pra ninguém ler,
o sonhar de mãos dadas,
o esquecer de si mesmo,
por te a certeza que o outro ira cuidar,
sendo assim faz sentido,
você apontar essa arma pra mim,
já que as feridas estão todas em você.

Um comentário:

Ana disse...

serah q eu provoco dor de garganta?