quarta-feira, 10 de junho de 2009

Introdução - Cristianismo no lixo

Estou voltando pra casa, depois de um longo dia,
é a mesma rotina de buscar o dia em que não farei parte da rotina,
a mesma rotina de coisas que não consigo entender.
Confesso-me culpado de fingir não olhar para o lado,
de fingir não me importar,
mas isso me deixa tão cansado, tão sem vontade de viver,
é como se cada dia em que busco meu futuro eu me perca em meu passado,
como se tudo que considero certo estivesse errado.
Estou frustrado com minha capacidade de ser tão egoísta,
hoje que já não preciso fingir ser forte, revejo minhas atitudes de alguém tão fraco,
de alguém que não consegue mais viver por viver,
deve existir uma razão, deve existir algo que esconderam de mim,
algo que jogaram fora e ainda não se arrependeram.
Sim, eu creio em Deus, mas Ele parece tão diferente do que dizem por aí,
tão saturado de filhos que só pensam em si,
de filhos que só sabem pedir,
filhos obesos de bençãos, unções e poder.
Não sei bem o que acontece, nosso deus parece ter cara de umbigo,
nosso rei parece estar dentro de nossa barriga,
e o sangue derramado parece tão azul,
eu só sei que também sou assim,
mas se existe mesmo algo que deixaram de me contar,
sobre a verdade que liberta,
sobre o Rei que veio pra servir,
sobre uma nação santa que se colocou num pedestal,
se esquecendo que só seríamos conhecidos através do amor,
o amor que nos denuncia ser filhos de Deus,
então procurarei onde as pessoas costumam jogar o que não serve,
o que não gostam, o que preferem não se lembrar,
vou procurar no lixo, esse cristianismo que deixaram pra la.

Nenhum comentário: