terça-feira, 31 de março de 2009

Perdas e ganhos

Perdemos e ganhamos e em tudo achamos o tom para cantarmos,
cantarmos nossos planos em cacos, nossos dias nublados,
nossas vitórias fantasiadas de fracasso.
Os médicos feridos sabem melhor a dor de seus pacientes,
o difícil é ter que sentir na pele,
que nem tudo é que como os filmes de final feliz,
mas você sabe melhor que eu,
que o muro do fim guarda do outro lado o recomeço.
Não vou contar sobre suas lágrimas no travesseiro,
cabe a você seus segredos,
anseios e medos.
Só peço que deixe o dia durar mais um pouco,
afinal não nos vemos a tanto tempo,
e meus conselhos desafinados descompassam,
nessa canção de mais um coração delacerado,
esperando ser achado em meio a todas as palavras que não foram ditas,
em algum canto, em algum rabisco,
como prova de tudo aquilo que um dia fez sentido.
Reparei na vastidão do mar e vi tudo isso em seu olhar,
que vislumbra vagamente razões,
motivos que justificam a situação,
mas quem precisa mais pedir ajuda,
dos que os que tentam se convencer?
Grite essa canção que se perde em tantas notas dentro de você,
tenha a certeza de que nada disso é em vão,
folhas caídas se amontoam pelo chão,
mas até cair aproveitam o vento como diversão.
Nós perdemos e ganhamos,
deixamos matemáticos sem postura,
afinal de zero a dez não deixa de existir um,
mesmo que não tenhamos contado,
ele simplesmente está la,
é uma questão de acreditar,
acreditar que em meio a tudo isso,
peças perdidas de um quebra-cabeça empoeirado,
irão se encaixar.

Nenhum comentário: