quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Um padrão mais alto que o de Deus

Não é de admirar que o número de pessoas que se "desviaram" é proporcional ao número de pessoas que continuam vivendo uma vida com Deus, isso é, se acreditarmos que todos que frequentam uma igreja possuem uma vida com Deus, o que é uma grande mentira, mas vamos seguir um padrão estatístico para apurarmos alguns fatos.
Os fariseus modernos ou como alguns preferem ser chamados "santos" como pode uma palavra perder tanto seu real sentido? Como pode o ser humano ser tão sábio a ponto de achar que pode alcançar a santificação por sí só? Incrível nossa capacidade de falar mais que ouvir, talvez por isso a igreja tenha perdido tanto desde a reforma luterana, não que os padrões tenham baixado é que não existe mais igreja.
Duro ler isso? Talvez nós cristãos achamos tal declaração um absurdo, mas verifique pelo atos se a maioria das "igrejas" não se parecem mais com empresas, que demitem, admitem, investem e até mesmo falem.
Não quero nesse texto ser tachativo, nem injusto ao dizer que todas as igrejas se perderam, não é isso, conheço muitas igrejas que buscam viver segundo tudo que desde o princípio foi estipulado, acho que alguns já ouviram falar em "igreja primitiva".
Um novo padrão bem mais alto que o de Deus está sendo cobrado a muitos de nós que agora com olhos abertos enxergamos a diferença entre o que é certo e o errado, talvez pra manter uma certa ordem e não deixar os membros se perderem no pecado, mas se pensarmos assim estamos fadados a negligenciar toda a reforma protestante, afinal Lutero e seus contemporaneos não lutaram para que a palavra de Deus pudesse ser de comum acesso, não só ao clero? Logo estamos presos em um fato simples, tantas regras inventadas que nos proibem de pensar e de ter próprias conclusões, talvez seja mais comodo ter alguém dizendo do altar o que se deve fazer e apenas seguir passos pisados, mas arde em meu coração o agradecimento a homens e mulheres que fizeram diferente, pois se fosse nossa geração na época da expansão do cristianismo, hoje seríamos do tamanho de um clube, não me refiro a nenhuma igreja específica, qualquer semelhança é mera coincidência.
Gostaria de descorrer sobre esse assunto, mas quero a apenas te levar a pensar sobre como estamos mudando rapidamente, somos tão capitalistas como qualquer empresa, e tão imparciais como qualquer fundação que decide ajudar um grupo específico de pessoas.
A grande questão é se temos livre acesso ao Pai, livre acesso a palavra de Deus, por que nos submetemos a um padrão tão alto de santidade?
A provavel grande resposta é que um padrão mais alto que o correto faz com que as pessoas se esforcem mais para alcança-lo sendo assim elas acabam ultrapassando o padrão de Deus e mesmo não alcançando o padrão imposto por muitas "igrejas" os membros acabam vivendo dentro do padrão de Deus, uma grande jogada de marketing, porém o número de frustrados por não conseguirem alcançar o padrão imposto pelas "igrejas" aumenta, fazendo com que o número de pessoas que desistem de ser cristão seja proporcional ao número de pessoas que seguem em busca desse padrão santíssimo e intocável.
Dói saber que o Deus todo-poderoso continua sendo simples, santo e consciente da nossa fragilidade e fraqueza humana, afinal não foi por isso que Jesus veio a Terra? Não veio para sentir o que sentimos e mesmo assim vencer e tirar o pecado do mundo?
Um padrão mais alto que o de Deus, um Deus na caixa de sapato e detentores da verdade por todos os lados.

Nenhum comentário: