quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Não tão diferente de você

Não sou tão estranho assim,
e nem tão diferente de você,
é que não sou dos que levantam o vencedor,
mas o apóio até vencer,
é que não sou dos que jogam com cartas marcadas,
mas não jogo pra perder.


Eu acho que é injusto,
mas nem me importo,
sentir dor é sinal,
que existe algo errado.
Eu acho que é impuro,
mas não me calo,
se sentir sozinho,
vai além de ter alguém ao lado.


Não sou a sua maneira,
nem tão perfeito como você,
é que não sou o último no campo de batalha,
mas retorno pra resgatar os que ficaram.
é que não sou dos que sorriem esfaquiando,
mas me faço de idiota pra você não entender,
que pra você meu sorriso é de desprezo.

Nenhum comentário: