sábado, 6 de dezembro de 2008

Carta ao amigo caído

Antes de mais nada sinto saudade,
saudade do tempo em que as coisas faziam sentido,
e a maior definição que existia era de que tudo vai dar certo no final,
mas acho que o tempo passou rápido demais,
e as coisas mudaram como um prédio que desaba, uma cidade que desmorona.
Eu continuo aqui em cima colocando a culpa nos atos alheios,
até tem sido fácil, tenho visto como somos fortes,
e já nem te olho como alguém que escolheu estar onde está,
deve ser difícil ter que convencer o mundo inteiro,
de uma dor que só você sente e mais ninguém,
não que eu consiga te entender,
de onde estou fica difícil até imaginar uma queda tão grande,
é que você sabe melhor que eu,
como temos que manter uma aparência.
Antes que você pergunte,
já vou adiantar como estão as coisas por aqui,
como sempre continuo com a idéia fixa de que sou super herói,
não que eu queira, mas é preciso manter as asas abertas,
aqui em cima temos sempre que mostrar para todos que podemos voar.
Sem falar nos erros, vou contar um segredo,
as vezes acho que não vou aguentar,
nunca fui muito bom em interpretar,
e viver uma vida de quem não pode cometer erros me faz repensar,
se estou realmente aqui em cima ou cada vez mais perto de você.
As pessoas por aqui ainda continuam idealizando um alguém que não existe,
elas pensam que posso carregar o peso do mundo,
mal sabem elas que nem estou me aguentando,
mas não conte a ninguém, isto é, se houver alguém ai embaixo com você,
coisa que por sinal acho impossível,
não que você seja tão fraco, mas também não existem tantas pessoas como você,
porém gostaria de saber as notícias dessa cidade perdida,
dessa vida sobrevivida,
se ai embaixo é tão escuro e frio como dizem os que voltaram,
se a água do poço é doce ou amarga,
porque aqui em cima eu continuo disfarçando,
mesmo quando as coisas não vão bem,
estou cheio de sapo na garganta,
mas reclamar não faz parte das atitudes dos que vivem aqui em cima,
se é que você se lembra,
meu pé está cheio de calos, estou separando os dias para que fique mais organizado,
na hora de pisarem,
estou fechando os olhos quando vejo alguma coisa errada,
afinal aqui em cima ninguém erra ou melhor fazemos com que acreditem nisso.
Pra finalizar meu caro amigo, espero notícias suas,
na verdade não sentimos muito a sua falta,
sentimos uma repulsa misturada com dó por você não ter aguentado,
afinal muitos são chamado e poucos escolhidos,
e por falar nisso ainda uso a camisa que você me deu,
com o dizer "cuide para que não caia".

Nenhum comentário: