sexta-feira, 7 de novembro de 2008

O Sol vai dormir em outro lugar

Faróis apontam a direção,
tempestades no copo d' água,
só alertam que mesmo fora da rota,
existem fatos que justificam os fins.
A fidelidade trocada,
pela liberdade,
de ter um pedaço de cada um,
tentando formar alguém inteiro.


Seguem assim os dias,
dos que diziam mudar o mundo,
mas agora tudo é tanto faz,
seja no começo, meio ou fim.


O Sol vai dormir em outro lugar,
e eu amarro o cadaço do seu sapato,
mas o meu eu não sei amarrar.
Eu também vou dormir fora,
dando conselhos que não vou seguir.
Minha oniciência pede conselho,
tateando no escuro,
de pensar saber tudo,
e pra cada pérola um absurdo,
só tenho respostas das perguntas que não fiz.

Nenhum comentário: