sábado, 30 de agosto de 2008

Apenas ficar quieto

Hoje nem pretendo ostentar minha capa de super herói,
na verdade nem quero que ninguém me entenda,
não quero dar explicações,
quero apenas ficar só, com meus pensamentos.
Hoje esqueci de tomar meu remédio,
não quero mais a dose diária,
das suas teorias que me chamam de infantil,
e sempre me deixam no chão,
se era a espada que me fazia te acompanhar por obrigação,
se era a cruz que me fazia te acompanhar por opção,
agora fraco o bastante pra ver como as montanhas são altas,
eu consigo ter forças o bastante pra não precisar mais de você,
e de todos seus ensinamentos inúteis.
Não me faça promessas deixe que eu quebre a cara sozinho,
ao menos assim não vou precisar dizer que já sabia que isso tudo ia acontecer,
já que no final das contas, são contas demais tanto pra mim quanto pra você.
Se foram como um sonho ao despertar,
e meu castelo de cubo de gelo no deserto,
já não vai poder ser meu lar,
e se me agarro nas lembranças não me culpo,
se me agarro nos momentos já não penso em lamentar,
tudo que eu planejei simplesmente desapareceu.
Antes de me abraçar deixe seu sorriso falso no armário,
eu sei que o punhal está na sua mão direita e as moedas no seu bolso,
por que tentar fingir ser a vítima quando se o algoz?
Sempre vai estar tudo bem no mundo das cartas marcadas,
valeria mesmo a pena você me ouvir,
se a sentença já foi dada mesmo antes de você saber que seria o juíz?
Já temos os heróis, os vilões e os que precisam ser salvos,
então só me deixe quieto, só não preste atenção em mim,
não quero ser quem você pensa que devo ser,
ou o que o olhar em alta escala quer ver,
quero ser apenas alguém que pode errar como qualquer um,
que aprendendo a voar também leva tombos e se machuca,
então não deixe de conferir antes de cicatrizar,
a cor do sangue que escorre das minhas mãos é igual ao de qualquer um.
Mas nisso tudo é possível acreditar mesmo quando é inacreditável,
mesmo quando tudo ao redor desaba,
mesmo quando a morte já não é mais uma piada sem graça,
quando um relacionamento acaba,
quando um sonho se vai como o fogo queima um papel de carta.
É possível acreditar que já não somos tão heróis como aqueles que aparecem na tv,
e como um replay a história se repete sem precisar ter o mesmo final.
É possível acreditar que estou cansado demais pra prestar atenção nas bobeiras alheias,
no compromisso com horários, normas e regras pra não ser chamado atenção,
se eu pudesse dar apenas meu silêncio,
como forma de agradecimento por nunca ninguém realmente querer entender alguém,
seria o suficiente pra desenhar nuvens no céu do meu quarto sem janelas.
Mas é possível acreditar em alguém que em meio a tudo isso,
nunca deixa a desejar e ouve mesmo quando não estou a falar,
que por não precisar lembrar, nunca esquece.
É possível acreditar nas suas mãos que me levantam e lipam a poeira no meu corpo,
e me diz pra tentar de novo porque chegará um dia que vou conseguir,
conseguir não me questionar quanto aos que devem e não fazem,
aos que fazem e não devem,
ao mundo escuro que era pra ser azul.
É possível acreditar que antes do fim não vai ficar nenhuma peça fora do lugar,
mas enquanto isso só me deixe quieto.

Nenhum comentário: