quinta-feira, 12 de junho de 2008

Minha Cura (Redação do seminário)

Nenhum médico pode explicar um milagre, afinal o ser humano por mais que tente só pode viver o miilagre e não explica-lo com seus métodos e conceitos.
Dada tal circunstância, vivi um milagre quando tinha apenas cinco anos de idade, ainda era uma criança sem muito entendimento, sem saber ao certo o que é Deus ou o que não é, sendo assim não poderia eu ter fé para acreditar em curas, mas foi exatamente o que aconteceu.
Uma febre muito alta tomou conta do meu corpo, em uma noite muito fria, lembro vagamente dos acontecidos naquela semana, mas lembro claramente do desespero da minha mãe ao reparar que minha febre não cessava, lembro também de temer algo que pudesse acontecer já que minha mãe era enfermeira e não estava tão segura em relação a essa febre que só aumentava.
Meus olhos se fecharam quando caminhávamos para algum lugar, desmaiei, e só me lembro então de estar pulando no banco da igreja no momento final do culto, ao som de um louvor, não sei realmente o que aconteceu, apenas sei que estava enfermo e havia sido curado, que meus olhos se fecharam talvez querendo até mesmo não mais abrir, mas agora estavam abertos.
O que vemos então ao nosso redor senão curas e milagres, pessoas que antes não andavam e hoje correm, seria então mais um motivo para acreditarmos que Deus não mudou e se não mudou, nossa fé diminuiu.

Nenhum comentário: