sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Flor


Eu odeio despedidas,
mãos frias aquecendo mãos frias,
não gosto de deixar portas encostadas,
eu sou ventania,
sou Sol que dissipa a neblina,
então querida me leia como uma carta de amor
quando o fogo se for,
afinal somos o hoje fantasiado de eternidade,
somos o que "é" planejando como deveria ser.
Eu odeio palavras repetidas,
minhas promessas quebradas me fazendo companhia,
eu sou parte do seu sorriso ou desse seu dia triste?
Vou continuar te achando linda,
como uma tatuagem por toda vida,
me preocupar com sua chegada,
desejar os abraços perdidos,
os beijos não dados,
no meu silêncio de noite mal dormida.
Minha querida da próxima vez que me ler,
saiba que a sinceridade de ser leal ao que se sente
ainda é uma das obras de artes mais lindas,
assim como um jardim de flores não regadas,
morrendo lentamente.
Faça dos meus olhos seu espelho,
se veja através do que eu vejo
e admire a sintonia que temos,
os mundos que se encontram,
e nunca mais repita que realmente existe um tempo certo
e que por capricho do destino sempre estamos no pretérito imperfeito.
Minha querida eu fui sua lista de defeitos descritos em um dia,
uma carta de amor esquecida,
o convite recusado, as risadas de alegria,
o ciúme de brincadeira,
as palavras verdadeiras,
os dias que não voltam,
o botão que desliga o autocontrole,
a intensidade que disfarça esse cinza da monotonia.
Eu odeio despedidas,
as frases que deixamos para depois,
os dias que vão chegar e nunca chegam,
então minha querida leia-me como livro em promoção
ao lado de revistas sobre o que comer, como decorar,
enquanto aguarda na fila pra pagar o pão,
afinal a vida é feita de momentos como este
com palavras bonitas colorindo o começo, o meio e o fim.



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Sobre pandas


Não existe um jeito mais fácil de te dizer isso,
eu não paro de pensar em você,
não acredito nas horas que passam quando estou longe de você,
nos segundos lentos que não me trazem seu sorriso.
Você é Legião eu Charlie Brown,
você é opinião eu sou tanto faz,
você é depois eu sou agora,
você é universo eu sou meteoro,
você é uma sinfonia,
eu sou apenas uma estrofe esquecida.
Não consigo disfarçar a vontade de borrar seu batom,
seu jeito doce me dá água na boca,
e mesmo se eu não for o seu amor,
esses momentos serão o mais próximo que chegarei do paraíso.
Eu sou cão ela é gato,
eu sou bacon ela alface,
ela é o mapa mundi,
eu sou apenas asfalto.
Sabe aquelas histórias sobre gênios?
Eu não acredito.
Sabe aquelas histórias sobre três pedidos?
Eu não acredito.
Mas se por algum motivo qualquer fosse verdade,
se eu pudesse pedir qualquer coisa,
eu resumiria todos os pedidos em um só,
e pediria que o mundo inteiro
fosse apaixonante como você.
Que o pôr do Sol tivesse o brilho dos seus olhos
quando me vê.
Afinal você é frio eu sou praia,
você corre eu odeio escadas,
você é rock eu sou a música que toca,
você é ponto final eu sou vírgula,
eu sou um bom dia,
você é a maior surpresa da minha vida.

domingo, 6 de agosto de 2017

Quietude


Eu acordo com a quietude da manhã
soprando em meu rosto a falta que você me faz,
eu já não me lembro mais
como é viver sem teu beijo de bom dia,
sem teu sorriso de paz,
sem cobrar um abraço de mil segundos
que você sempre deixa pra lá.

Mesmo que tudo ao redor esteja estranho,
e existam motivos para não acreditar,
eu quero ser seu par.
Mesmo que tudo ao redor se resuma no que será.
e existam motivos para não acreditar,
eu quero ser seu par.

Eu acordo com seu cheiro de flor
disfarçando a vontade de me agarrar,
eu já não me lembro mais
como é viver sem teu beijo de bom dia,
sem teu sorriso de paz,
sem cobrar um abraço de mil segundos
que você sempre deixa pra lá.

Vou guardar em mim
por todas as voltas que mundo dá.
Esconder de mim
por todas as voltas que o mundo dá
essa vontade de ser seu par.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Filhote

Que sua maior conquista seja conseguir subir no sofá,
não se importe com os dias frios enquanto existir
seu abrigo embaixo da cama,
aquecedores, abraços e cobertas.
Você vai ouvir por aí que o mundo não é tão bom assim,
e não vou mentir,
existem pessoas que te ferem o peito, te roubam a alma,
destroem a vontade viver.
Ainda não entendo essa sua vontade de chamar minha atenção,
não percebeu meu mal-humor matutino?
Tudo bem, mesmo assim te faço mil carinhos,
te beijo e te mordo,
afinal o mundo seria lindo se fosse essa bola de neve
que brinca e come meu chinelo como se fosse um infinito particular,
cheio de histórias e felicidades
que não se pode contar.
Que em seus dias de doença exista meu braço pra você descansar,
meu cuidado para te cuidar,
esse meu jeito retardado de falar,
e a eterna saudade que sinto quando você não está.
A vida é tão simples quando se diz eu te amo,
quando não se importa com o que vão pensar,
quando você mija fora do lugar,
ops...
Eu odeio quando você faz isso, então vamos mudar.
Não...
Não adianta me dar a patinha, odeio quando você consegue me conquistar.
E sim eu acho super idiota esse jeito que você corre a casa inteira,
come todas as etiquetas, roda-pé e tudo que vê pela frente,
e o jeito que você dorme me olhando como se eu fosse significante de alguma maneira.
Meu filhote,
eu espero que você cresça com a sabedoria de quem aproveita um dia de Sol
deitado com a barriga pra cima,
como se fosse um faraó,
e não conte pra ninguém o que você tem de melhor,
não estrague a surpresa de encantar o mundo com seu jeito peculiar,
e não fale muito sobre tudo que pode fazer,
esse mundo que você ainda não conhece já é repleto de decepções.
Não coma os cantos da mesa,
e deixe de ser esse cão autolimpante,
e nunca mais se faça de desentendido quando digo que te amo,
afinal o mundo precisa de uma sinceridade brutal
e não uma falsidade elegante.
Pra finalizar guarde em seu coração acelerado um segredo raro,
eu amo seu jeito irritante de me arranhar enquanto escrevo,
de lamber meu pé,
de ficar me olhando como se eu fosse um gigante insensível
que não joga sua bolinha infinitamente.
Meu filhote o mundo vive dias de solidão,
por isso peço a Deus que nunca te falte abraços,
simplicidade e amor,
que nunca falte carinho em sua barriga,
brincadeiras e corridas.
que de todas essas coisas que você não vai entender,
você apenas saiba que se existe um paraíso
você está do lado certo,
e que se eu pudesse te pedir um favor
te pediria para ensinar ao mundo a simplicidade do amor
e que nunca mais coma minha havaianas do Star Wars novamente.


Espetáculo (o inacreditável mundo real)

Eu odeio esses seus olhos transbordando tristeza,
odeio ter que segurar em suas mãos quando faltam as palavras,
me rasga o peito esse mundo sem cor,
de pessoas apressadas,
pessoas sem amor,
flores pisadas,
pessoas presas em furacões de liquidificador.
Eu sou um grito preso nessa garganta covarde,
eu sou a insônia desses dias maus,
um pessimista escrevendo cartões de natal.
Quem não tem esperança de encontrar nunca procura,
não existe céu de chumbo quando se tem fé pra continuar,
eu tenho outros mil conselhos escritos em minha mente,
esperando apenas mudar o mundo do meu sofá,
e não há espelho que reflita as besteiras que digo
enquanto construo meus castelos de teoria,
nem opinião que esteja correta quando se opõe à minha.
Qualquer gentileza faz nascer um rio
que adoça o mar das lembranças esquecidas,
de um tempo onde éramos cura,
e não causador de feridas.
Vem comigo...
Em que posso te ajudar?
Me afoga cada lágrima escorrida,
cada vez que você se desculpa,
quando te olho e me vejo,
frágil como qualquer outro ser,
sem abrigos, sem máscaras para se esconder,
eu sou você,
eu sou a chave que abre seu mundo de vontades realizadas,
o vento que ameniza o calor,
então sinto sua dor,
e mesmo que sempre existam juízes,
separando vítimas e culpados,
deixe me entregar tudo que sou nesse instante,
como jardineiro quando cuida de uma flor,
deixe me segurar suas mãos enquanto furacões destroem nosso lar,
deixe ser vírgula as dores que te machucam,
e faça dos momentos de paz um ponto final.


sexta-feira, 28 de julho de 2017

Palavras não ditas

"Nunca se esqueça que as palavras mais lindas
serão sempre as que não precisam ser ditas."
Não acredite no que dizem por aí,
eu não fico encantado com seu jeito de falar,
com seu jeito estranho de quem põe açúcar e depois o café,
não amo o cheiro dos seus cabelos,
o jeito doce de se importar com as coisas simples,
o me conhecer a mil anos
como se realmente existissem outras vidas.
Não acredite quando digo que você é apaixonante,
é sério, não me importo quando nossos olhos se encontram,
quando nossas mãos se tocam,
quando dizemos mil coisas sem precisar de palavras.
Não acredite se eu disser que gostaria de ver o Sol se pondo enquanto você adormece em meu peito,
e por mais que seja provável que eu te diga olhando em teus olhos
o quanto você é linda,
eu peço a Deus que não acredite em nenhuma das palavras que eu possa dizer.
Se eu pegar em sua mão e te pedir pra ficar mais, ao amanhecer,
se eu te der uma estrela que será só nossa,
se eu for o motivo do seu sorriso quando ninguém vê,
se eu tiver que acordar mais cedo
e sair correndo do seu apartamento pra ninguém ver,
e se eu fizer tudo valer a pena,
fotos bobas na Europa,
torcer contra seu time,
aceitar sua falta de proteínas,
e acabar com qualquer medo que você tenha de ficar sozinha,
ser sua companhia em sábados frios,
respeitar seus momentos de ventania,
solidão ou companhia,
se eu te prometer com qualquer palavra que exista,
por favor não acredite.
Não acredite em meus olhos que te arrancam as roupas com os dentes,
e duvide de cada palavra dita enquanto mordo sua orelha,
suspeite dos meus beijos desde o estacionamento até o elevador,
não se deixe levar pela falta que te faço quando você não me vê,
afinal a vida só faz sentido quando se pode acreditar,
e o que sinto é uma flecha mirando seu inalcançável coração,
quem poderia acreditar?
O que sinto é como o Sol acima das nuvens,
te aquece, mas não se pode ver.
O que sinto é como correnteza do mar,
te arrasta, mas não se pode ver.
O que sinto são como palavras não ditas,
te tocam, mas não se pode ver.
Por isso não acredite em mim,
afinal já não dizia um pequeno príncipe
que o essencial é invisível ao que os olhos podem ver?
Então apenas acredite quando te digo que
as palavras mais lindas serão sempre as que não precisam ser ditas.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Águas rasas

Ainda acredito que não existe poesia mais linda que seus olhos quietos,
e se for sonho me deixe dormir por mais algumas eternidades,
afinal quando você morde os lábios Deus começa a sorrir,
e inspirado dá nome a todas as flores que possam existir.
Eu me sinto tão bobo ao escrever rimas assim,
que começam te despindo mentalmente,
e acabam encabuladas em sua frente.
Que olhos lindos você tem...
Você me diz que são castanhos e tão normais,
mas normal é a palavra que usamos pra definir o que o espelho reflete e não o que eu consigo ver.
E eu vejo algumas caixas bagunçadas,
como casa de janela aberta depois do temporal,
algumas roupas velhas prontas para serem doadas,
assim como amores que já não cabem mais.
Então por favor olhe em meus olhos,
e veja o doce vento de um verão aquecendo suas noites frias,
veja em mim o reflexo de tudo como poderia ser,
e me beije como café quente,
até porque o melhor da vida não é molhar os pés em águas rasas,
é mergulhar enquanto as ondas apagam os nomes na areia.
Por favor não me entenda mal,
sei que soa infantil como crianças rabiscando corações no papel,
e amores...
Amores são difíceis, quase tão difícil como dividir um chiclete com alguém,
como escolher um lugar para morar,
arrumar os dias que ficam para trás,
difíceis como acreditar que outras mãos vão se unir
enquanto andam pelas ruas da cidade.
Mas se você olhar bem em meus olhos e desacreditar no que o espelho diz,
a única bagagem que terá nas mãos é o hoje, é o aqui,
é a vida que acontece enquanto relógios sem freios
colidem por aí.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Antes de dormir

Faltam apenas dez minutos para um novo dia,
o mesmo Sol vai nascer no mesmo lugar,
já nem sei se será uma manhã fria, quente ou chuvosa,
e isso no final das contas pouco importa
quando se tem seu sorriso como bom dia,
a doce descoberta diária da sua companhia.
Faltam apenas nove minutos para um novo dia,
e em mim existem mil mundos nascendo de possibilidades mínimas,
como se nada mais fizesse qualquer sentido e ao mesmo tempo
encontrasse o jeito que você mexe nos cabelos
colorindo o céu de um novo nascer com cores infinitas.
Eu sei que são palavras de boa noite
acanhadamente educadas e não comprometidas,
mas o abstrato ainda é uma das frases mais lindas.
Faltam três minutos para um novo dia,
e logo acordarei desse desvaneio que me faz tão feliz,
minhas mãos tocando seu corpo,
te olhando disfarçadamente,
amando o som da sua risada sincera entregue e completa,
do tipo lágrimas nos olhos, o famoso chorar de tanto rir.
E sim defeituosamente percebo todos os detalhes,
inclusive as mil vezes em que a alma passeava de mãos dadas
com a tela brilhante.
Um coração distante é nítido como balões em direção ao céu
sem se importar se chove ou faz Sol,
simplesmente seguindo uma direção,
apenas interrompido por mil perguntas sobre o que foi,
sobre como é e sobre como será,
sim, corações distantes não tocam o que poderia ser.
Lá se vão quatro minutos nesse novo dia que já chegou,
e eu que vivi por toda minha vida no frio da sua ausência
desejando apenas morrer em seu abraço quente me flagro apenas
escrevendo alguns livros enquanto decifro as frases do seu olhar.
Eu sei que erradamente crio céus e universos lembrando do dia em que te conheci,
tatuo a eternidade onde habitam apenas sentimentos passageiros,
e como o Sol que beija seu rosto sou seu bom dia nos dias maus.
Dez minutos nesse novo dia,
as pessoas vão dormir revisando suas vidas,
eu recrio seu sorriso até que não exista mais nenhuma possibilidade de repetir,
e continuo te olhando como quem segue em uma estrada rumo ao desconhecido,
sem medo de curvas ou qualquer precipício,
como criança que odeia águas rasas e se aventura na profundidade de um abismo,
e que quase sem querer deseja não a repetição de uma segunda-feira,
mas o dia após dia que constroem uma vida inteira.
Mas já se foram dezessete minutos,
ou como você mesmo diz falta apenas um dia
e enfim tudo será como realmente é,
sem céus pintados de qualquer cor,
apenas dias rabiscando calendários,
dias sem te ver,
até que enfim chegue a segunda-feira,
e então...
E só então...
Tudo volta a ser como deve ser.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Ela (parte 2)

Vamos tomar um café?
Te espero hoje às 17:00 no mesmo lugar de antigamente.
Nada mais, só isso, nenhuma eternidade implícita?
Sério?
É cafonice, mas nenhum eu te amo?
O que esperar desse allstar branco, jeans rasgado e tatuagem no braço,
desse sorriso de quem sabe tudo,
todas as respostas,
todas as perguntas,
e as imperfeições de todo um mundo em uma pessoa só.
Vamos viajar o mundo?
Largar tudo, emprego, planos,
aposentadoria, essas pessoas que só pensam em si,
tirar foto das estátuas historicamente tombadas
fazendo poses sensuais,
fazer amizades com árabes, indianos e afins.
Visitar todas as praias,
conhecer nosso país,
falar com sotaque diferente,
imitar os ricos sentados na mesa ao lado,
conversar sobre nossos fracassos
amorosos, profissionais e colocar tudo em um saco.
Vamos deitar quietos?
Ver filmes chatos, séries sem sentido,
comer pipoca, ficar cobertos como se todo dia fosse sábado...
Sem sua opinião sobre meus gostos,
afinal, ei só você não gosta de "os gonnies",
e nem venha com esse discurso que você não é todo mundo,
e nem venha com esses beijos em meu pescoço,
é sério, ficaríamos quietos, lembra?
Eu amo tanto esse seu beijo,
nervoso, forte, indecente,
essa sua mania de não se preocupar com os vizinhos,
de falar putaria enquanto morde minha orelha,
de odiar script, de me olhar enquanto puxo seus cabelos,
sem nem lembrar o nome de filme, se tem filme, a tv está ligada?
Vamos mudar o mundo?
Dedicar nosso tempo aos outros,
alimentar indiretamente nosso ego,
falar sobre o amor que vence a guerra,
sentar com os mendigos,
cortar seus cabelos, ouvir suas histórias,
ajuda-los a procurar empregos,
ei vamos viver disso,
de ajudar ao próximo,
de ser uma luz na escuridão,
de ser realização e não promessa,
vamos xingar o governo e fazer nós mesmo?
Ser cordial com quem nos fere a gentileza,
mandar se fuder quem nos fecha no trânsito,
ok... Desculpe... Estamos no momento sobre amor ao próximo.
Mas de todas as opções você me convida pra tomar um café
no lugar de antigamente,
você gasta todo batom,
chama minha atenção,
me dá um beijo de bom dia,
deixa no ar seu perfume de baunilha,
e escreve um bilhete lido e relido mil vezes,
tentando encontrar algum " hoje não dá",
"hoje não posso", "hoje tenho curso de make".
Apenas um bilhete,
me encarando, me desafiando,
me convidando a acreditar
que você vai estar lá,
com seu batom de morango,
seu allstar branco, jeans rasgado
e vontade de me beijar.
Eu saio mais cedo do trabalho,
com a blusa que você mais gosta,
o perfume de dez anos,
coloco bem alto uma das músicas velhas dos meus trinta e poucos anos,
à saber uma das que você mais odeia,
desculpe, me lembra você.
Peço um café preto, odeio café com leite,
defeito de carioca você sempre diz,
faltam cinco minutos para seu atraso,
passam dez minutos do seu atraso,
passam trinta minutos do seu atraso,
passam algumas mensagens do seu atraso.
Continua...

quinta-feira, 16 de março de 2017

A vida é um instante

Me fascinam os dias normais,
o acordar mau humorado nosso de cada dia,
a apatia se faz Sol, se está frio.
Banho gelado afinal é verão,
perfumes, bom dias, técnicas teatrais de convívio,
a matrix uma vez descoberta se torna insuportável,
até que um clique, uma senha transforma o dia.
Lá vem ele,
um estranho andando devagar,
sorrindo como se trouxesse mais que uma demanda,
trouxesse uma história,
alguma eternidade compartilhada por alguns minutos.
Boa tarde eu digo,
já me desculpando pela demora,
ele me olha e com o mesmo sorriso
me pergunta se pode deixar a bengala apoiada na outra cadeira.
E antes que eu respondesse,
ele já começa a derrubar o muro invisível,
eu jogava bola há poucos anos atrás,
e hoje sem essa bengala eu caio.
Tenho uma doença degenerativa,
não tem cura,
por isso não precisa me pedir desculpas pela demora,
não tenho pressa, até os minutos em uma fila podem ser valiosos.
Ainda sorrindo pergunta minha idade,
disse a ele que eu era de 86,
bom ano, um lindo ano,
dias que eu tinha pressa,
a juventude sempre tem pressa.
Fiz algumas perguntas sobre o que tinha lhe acontecido,
como aconteceu, quando e um questionário de uma curiosidade absurda,
afinal quem era o senhor fascinado por combinações numéricas,
sonhos e jogos de azar.
Dizia ele que por pouco não acertou os seis números em um jogo de milhões,
disse que errou um número e que só errou porque não soube interpretar um sonho,
me confidenciou suas táticas de jogos,
seus desafios, como subir os degraus do ônibus,
seus tombos, como quando caiu das escadas do cartório,
seus medos, como tomar banho e escorregar no banheiro.
A vida é um instante e uma inevitável estrada para o fim,
eu aprendi isso quando me faltou forças para abraçar meus filhos,
filhos que carreguei em meus braços por tantos anos,
aprendi isso quando chorei quieto antes de dormir
pensando que não poderei mais andar de bicicleta com meu neto.
Eu olho para o meu braço e nada mudou,
olho para minha perna e ela continua lá,
mas minha cabeça insiste em dizer que não estão, consome toda força que eu tinha
e o que me resta meu jovem é me medicar pra retardar esse processo.
Eu chamei um senha sem nenhuma pretensão,
monotonia diária, perguntas e buscas, sim e não,
volte amanhã, traga cópias,
palavras cinzentas,
mas a vida é um instante,
e talvez por isso me fascina tanto esses dias normais,
dias em que nenhum otimismo pode mudar o final da história,
dias reais,
dias em que alguém se dispõe a te entregar um mundo inteiro em apenas um instante.
Com o mesmo sorriso no rosto se levanta lentamente assim como se sentou,
pega sua bengala e me agradece pelo atendimento,
desculpe tomar seu tempo e de tudo que conversamos só não esqueça
das táticas pra conseguir acertar aqueles seis números,
afinal a vida é um instante e não as baboseiras ditas por um velho.