domingo, 15 de outubro de 2017

Mordidas


Espere um instante,
a vida vai trazer um sorriso em uma segunda qualquer,
espere mais um momento,
acima dos falsos alarmes e amores passageiros,
mora a boca que te morde o corpo,
te prende pelos lábios e entrelaça os dedos ao segurar sua mão.
Não esqueça das viagens marcadas,
mas se valer a pena perca o embarque,
nada se compara aos corpos suados e almas que dançam de rostos colados,
nada se compara dizer no seu ouvido palavras soltas
que formam frases com seus suspiros.
Corações acelerados aumentando o ritmo da respiração,
promessas quebradas sobre mordidas surpresas,
e você só faz isso porque sabe que beija bem,
minha querida estamos sorrindo enquanto o quarto pega fogo.
Não pense que consigo descrever as cores dos seus olhos,
a velocidade exata com que minhas mãos passeiam por suas coxas,
o sabor salgado da sua nuca enquanto puxo seu cabelo,
eu não sei nem ao menos dizer por onde comecei a beijar seu corpo,
a única certeza que tenho é que não consigo parar.
Segure um pouco a respiração,
a vida é uma eterna escolha entre viver o que o destino traz,
ou planejar pela a vida inteira um jeito certo de viver,
então não deixe que nenhuma lágrima deslize por este rosto,
afinal é um grande erro amar alguém que não sabe ser amado,
mas pior erro é deixar de se amar pra ser amado.
Viva! Aos amores que começam e terminam,
vamos brindar ao sofrimento que duram meses ou anos,
para que nossos corações nunca esqueçam
que amores pela metade sofrem por uma vida inteira.
A água quente caindo em suas costas,
nosso corpo embaralhado como cartas que ganham o jogo,
não sei se você que morde minha boca,
ou se sou eu que mordo seu ombro,
eu sou culpado por desejar que esse momento dure pra sempre,
eu tenho pecados demais pra viver a eternidade feliz,
então aproveito cada segundo como se fosse mil anos.
Você me acorda sem medo do meu mal humor,
me beija com gosto de amanhecer de filme,
coloca seu corpo em cima do meu,
eu te puxo pra perto com a força de um mar em ressaca,
te chamo de gostosa enquanto você me beija e sorrir,
você morde novamente meus lábios com a força
de quem quer um souvenir.
Eu quero encontrar palavras que rimem pra chegar ao fim desse texto,
quero concluir com alguma frase que eternize esse momento,
talvez falar sobre lembranças e momentos que ficam,
mas na verdade eu não consigo pensar em nada,
afinal a única coisa que eu quero é que não termine.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Forte e quente


Eu vou te ver no final da tarde,
pedir um café com leite sem notar,
ficar encantado com a beleza do seu olhar,
gostar do jeito que você segura minhas mãos.
Eu acho que poderíamos viver alguns dias que se repetem,
beijar tua boca enquanto você sorrir,
quebrar sua timidez,
cheirar as milhares de flores em seus cabelos.
Acho que sempre sou arrastado
pela correnteza que existe no seu corpo,
pelo jeito que você tem de deixar-me encaixar enquanto seguro sua cintura.
Gosto do acaso,
dos encontros que acontecem sem hora marcada,
sem os esforços absurdos de se moldar pra ter alguém,
de viver como se fosse o último dia de nossas vidas
constrangendo os ponteiros dos relógios.
Afinal existe tanto pra viver,
tantos filmes no cinema,
tantos sustos pra tomar,
e tão poucos segundos ao seu lado
que da forma mais intensa e absurda é o único lugar que gostaria de estar.
Repare na música que começa a tocar quando nossos lábios enfim se encontram,
repare na chuva caindo devagar,
repare em minhas mãos em sua nuca,
e na vontade que a noite tem de congelar esse momento
como uma fotografia que não envelhece,
nem é trocada de lugar.
Eu sei é impossível saber o que vem depois que os destinos colidem
como dois mundos completamente diferentes,
deve ser a gravidade me puxando em direção a sua constelação
de sorrisos sem graça me pedindo pra parar de te olhar,
deve ser parte desse seu defeito de não saber se despedir.
Eu vou te ver no final da tarde,
e dessa vez mesmo encantado com seu olhar,
vou pedir um café preto,
forte e quente como seus beijos,
forte e quente como meu desejo.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Esquecimento


Esquecimento é a cessação de uma memória que se tinha,
é uma ação involuntária que supõe deixar de conservar
uma memória adquirida,
na prática é o auge dos dias que se passam pra nunca mais voltar.
Então essa não é mais uma carta de amor,
é a minha definição sobre o esquecimento,
são as noites que fiquei acordado olhando você cochilar,
as noites em que o que mais desejava era ouvir seu coração batendo
forte e lento ao mesmo tempo,
as noites em que seus olhos transbordavam de uma vontade de gritar,
escorriam pelo seu rosto e desaguavam em meu peito.
O esquecimento é como esperar pra assistir um filme,
minhas mãos procurarem as suas e não encontrarem.
meu olhar mirar o seu e não acertar,
é te dar pipoca na boca aceitando o desafio,
afinal demonstração de afeto em público em dias como os nossos
é mesmo um absurdo.
Esquecimento é deixar para dias intocáveis
o que é real agora,
é deixar que seu corpo quente adormeça no frio de um sofá solitário,
é não deixar que minhas mãos segurem sua nuca enquanto mordo sua orelha.
Esquecimento é a sequela de um trauma, de um dia de dor,
e o que temos são rascunhos de um grande amor,
são beijos surpresas no elevador,
são biscoitos sem derivados de origem animal,
são cookies de chocolate por favor,
o que temos é uma vontade enorme de andar de mãos dadas,
de assistir filmes até de madrugada,
de acordar juntos enquanto beijo sua testa e você reclama que está toda amarrotada.
Esquecimento é como um buquê de flores mortas,
que são lindas como um último suspiro,
lindas como palavras de quem decidiu partir e fechou a porta,
lindas como a fração de tempo que passamos juntos.
Esquecimento é a força que faço pra tentar não lembrar
dos dias com você,
de como é lindo seu olhar, seu sorriso,
seu jeito de pegar minha mão disfarçadamente,
do primeiro beijo que existiu apenas para nos lembrar
do que é feito o nunca mais.
Esquecimento é uma ação involuntária,
e contradiz meu esforço em te apagar da minha memória,
afinal seria impossível deixar de lembrar
dos melhores dias da minha vida
dentro dessa nossa voraz história.

domingo, 1 de outubro de 2017

Champagne


Eu vejo segredos em seus olhos azuis,
vejo cada pedaço de você
e tento ser parte e não o todo,
afinal não vale se perder
entre o que se é e o que deseja ter.
Sim o mundo é fútil,
são bebidas em uma mesa,
músicas que te fazem se sentir bem,
alguns elogios idiotas que todo mundo faz,
mas você consegue tocar a realidade de um dia após o outro?
Eu não sei o que é certo,
talvez uma tatuagem igual seja o melhor do mundo,
talvez alguns ideais,
talvez tudo que exista seja insuficiente,
e por isso as eternidades terminem,
e o que foi deixa de ser.
Pessoas cantam seu desejos mais profundos
com uma voz tão superficial,
somos um rascunho ou um livro completo?
Eu odeio ser dramático,
odeio me apegar ao seu cheiro tão doce,
odeio te olhar como se tivesse achado um tesouro,
odeio seu olhar que me retribui como se eu fosse só mais um.
Já não somos tão jovens,
o tempo passa para todos nós,
eu e você e tantas desilusões,
tantas tentativas, noites e amores que deveriam ser eternos,
e até são enquanto duram.
Me ouça a vida é um beijo,
a vida é o agora tatuando o que vai perdurar durante toda uma vida,
eu sei parece idiotice,
mas o que não é?
Vai me dizer que palavras bonitas duram para sempre,
vai me convencer que um rosto lindo permanece,
que um corpo, que um copo, que uma lembrança do que deveria ser,
consegue incendiar a floresta que é essa vida louca
durante todo tempo.
Eu sei algumas pessoas são o que podem ter,
são bebidas sobre a mesa,
são noites que acabam,
são maquiagens que borram,
sorrisos tristes,
vontades que passam,
mas e nós?
Conseguiremos ir um pouco além?
Conseguiremos viver dias que os sonhos se realizam,
ou tudo não passa de champanhes abertos e sem gás?
Eu sinceramente me perco na cor dos seus olhos,
na covinha no canto esquerdo da sua boca quando você ri,
e sim, isso é tão superficial,
mas quem se importa?
Somos cartas nesse baralho
de cartas marcadas,
cartas repetidas,
cartas sem graça,
cartas que não ganham o jogo.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Ela (parte 4)

Ela é a eletricidade que transpassa meu peito e toca minha alma,
ela é parte das respostas mais inteligentes para as perguntas mais idiotas,
ela sequestrou meus sorrisos,
eu apenas fiz minha parte,
peguei na sorte aquele urso que te dei,
e amei seu olhar desde a primeira vez.
Essa é a parte que eu nunca conto do quanto é bom te conhecer,
é uma fraqueza em meus ossos quando ouço o som da sua voz,
quando você veste minha camisa do capitão américa e faz graça,
tira fotos profissionais fazendo careta,
eu sei, outdoors pela cidade dizem o que já não consigo disfarçar,
mas só seus ouvidos escutam o sussurro das frases que ninguém mais poderia ouvir.
Eu acredito em amores eternos
que terminam e começam a cada amanhecer,
eu perdi minha mente quando você me beijou pela primeira vez,
e só porque sei que o dia de hoje é a única carta que ganha o jogo eu vou confessar,
toda vez que fico te olhando como um tolo
eu estou negociando com o universo
todos os dias da minha vida por mais alguns instantes ao lado seu.
Eu ainda não sei o nome do perfume que você usa,
talvez você realmente seja um flor e não assuma,
talvez eu seja um louco que cria teorias sobre meus sonhos de fim do mundo,
sobre nossos destinos se cruzando sem hora marcada.
Ela é meu dia de Sol, meu suspiro antes de dormir,
a mulher que assopra contra um furacão e consegue vencer,
ela é o bom humor às vezes açucarado,
ela é a mulher que me liga de madrugada e me conta seus pesadelos,
que me diz que eu poderia construir ou destruir um mundo inteiro,
e eu aqui apenas querendo ser o mundo dela,
mordendo o ombro dela
enquanto minha habilidade mutante de desabotoar sutiãs se faz presente,
ela ri e meu mundo amanhece com tantas cores que ainda não demos nomes,
e afinal que escolheu o nome das cores?
Seria alguém que não esperou até ver a cor dos seus olhos
e chamou de castanho a estrela mais linda que já existiu?
E como se fosse ontem eu lembro,
"vamos roubar um estrela?"
Não teríamos onde guardar.
"Então vamos roubar todas as flores desse jardim?"
Já falei não teríamos onde guardar.
"E que tal esconder todas as flores e estrelas no seu sorriso?"
Você ri e me olha como seu eu fosse o mais boboca,
e talvez eu seja,
mas penso nisso tudo enquanto escrevo esse bilhete,
penso que tudo começou com três coisas importantes que queria te dizer.
A primeira é que sim, não te conheço e te achei muito linda por isso quero te conhecer.
A segunda...
(continua)

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Café


Grande parte da vida é feita de dias difíceis
amenizados por momentos bons.
São dores e medos,
sorrisos e sonhos
misturados nesse liquidificador do que é real.
Meus dias resumidamente
são a saudade que sinto do seu corpo quente
e a vontade de esquentar seus pés gelados.
Das dores do mundo
eu levo apenas na bagagem
os dias que não voltam
e as previsões que assustam.
Acho que já são quase três da tarde,
dia de palavras chatas e nublado,
e tudo que preciso é de um momento bom pra enfrentar esse dia difícil.
Eu timidamente preciso de você aqui perto,
do seu sorriso e do seu olhar,
preciso também de um bom copo cheio de café.
Mais alguns minutos lentos se passam,
me contento com o café quente amenizando a falta que você me faz,
acho que não terei nesse dia difícil um momento que seja capaz
de me trazer o melhor da vida como só você me traz

sábado, 2 de setembro de 2017

Princesa

Eu te dou meu abraço forte,
mas receio que algumas estrelas não apareçam
com a luz acessa.
Conto alguma piada que te traga paz,
seco suas lágrimas, beijo sua testa,
eu seria um bom lugar para adormecer,
sonhar com dias bons, longe dos temporais,
mas receio que não existe mapa para encontrar o que você procura.
Então vista seu melhor sorriso,
e se não gosta de dias nublados,
desenhe o Sol, o azul, o mar,
faça valer esses pulmões cheios de ar,
de graça, de força,
seja essa menina em meu colo,
mas quando levantar seja a mulher apaixonante
que retoca a maquiagem borrada,
use seu melhor salto e enfrente o mundo sem olhar pra trás.
Eu vejo no seu céu de chumbo
uma boa chance de aproveitar a chuva e depois ler um bom livro,
vejo em suas decisões uma chance em um milhão
de aprender com os próprios erros e seguir em frente,
mas afinal seja sincera e me diga como nascem os arrependimentos?
É uma vontade esmagadora de querer voltar no tempo ou
um sussurro mentiroso de como tudo poderia ter sido diferente?
Fui furacão quando você quis lar,
tatuei palavras eternas quando você quis silêncio,
fui presente quando você quis solidão,
o que eu tinha era todo amor do mundo e um beijo,
você queria apenas um bom dia e um sorriso,
eu sou fogo e você só queria uma noite fria,
já posso me arrepender ou isso demora mais tempo?
A vida é a mesma em todas as cidades,
alguns tolos eternizando o que acaba e acabando o que era eterno,
alguns destinos se cruzando sem hora marcada,
mas receio que todos nós temos algo em comum,
só arriscamos nossos dias com o que vale a pena
nem que seja por um breve momento,
e por isso sempre me pergunto quanto custa trazer seu sorriso de volta?
Quanto custa pegar suas bagagens e jogar fora?
Quanto custa viver um dia de cada vez?



domingo, 27 de agosto de 2017

Ela (parte 3)

Acordo e visto qualquer roupa,
não tenho motivos para espelhos,
ainda sou dos que não fingem sorrisos verdadeiros,
eu ontem esperei até o último instante,
a última noite de hoje beijando o primeiro minuto de um novo dia,
você simplesmente não apareceu.

Hoje é um daqueles dias nublados,
bebo meu café sozinho,
vejo mil amores embarcando outros mil partindo,
cada íris um mundo diferente,
mundos que colidem por alguns segundos e encantam minha mente,
eu fiz de você um universo de detalhes,
me apaixonei pelo seu cheiro de mulher que nasceu pra ser amada,
você com seu jeito de fagulha dançando de mãos dadas com florestas áridas,
a questão que você faz de ser curva na estrada,
de usar suas blusas com nome de banda estampada,
me falando no ouvido que o diamante mais caro é o tempo que passa.

Hoje vou à pé pra casa,
vou reparar na pressa das pessoas sem paciência,
nas pessoas rindo enquanto submergem em seus mundos de tela hd,
vou me sentir superior à senhora que olha com cara de nojo para uma pessoa que dorme no chão,
vou vencer todas as discussões criadas em minha mente,
farei o que puder para resolver os maiores dilemas do mundo,
apenas para que eu não pense no quanto você fode minha vida,
quando simplesmente é a pessoa mais incrível do mundo
e ao mesmo tempo consegue ser a mais absurda,
eu te tirei de um filme ou você realmente existe?
Você tem dificuldade de amarrar seu adidas ou apenas me faz de bobo?
Você apenas muda de ideia ou é parte do plano me enlouquecer?
Vejo seu carro estacionado,
boas lembranças me vem,
com gosto amargo de quem bebe vodka pura, mas vem.

Sinto cheiro de incenso,
escuto músicas nacionais de gosto duvidoso,
lá está ela dançando frente a tv,
com taça de vinho na mão,
ela só pode ser um anjo,
mas daqueles expulsos do jardim.

Faz cara de emoji do tipo me desculpe,
enche mais uma taça e me oferece,
é um dom peculiar,
ela coloca seus braços ao meu redor, seu nariz em meu pescoço,
o silêncio dela me invade,
somos apenas eu, ela e um infinito tão aleatório,
tão raro, tão nosso.

Ia encher a casa de pétalas, mas você não é do tipo que gosta de fragmentos de flores mortas,
ia cozinhar seu prato favorito, mas fiquei com medo de causar um incêndio,
pensei em te convidar pra jantar,
mas você demorou como que se não quisesse chegar,
então vamos no mc,
ficar no carro enquanto as luzes da cidade se apagam,
os vidros embaçam,
enquanto você borra meu batom,
e eu mordo seu ombro,
e você me perdoa por ter te feito beber café gelado,
ter gasto seu diamante mais caro.

Me surpreende mais o anseio pela resposta
do que a proposta.
Me surpreende a dor causada pelas expectativas frustadas,
dessa vez sou eu que te deixo um bilhete,
e um copo de café pela metade.
Continua...

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Flor


Eu odeio despedidas,
mãos frias aquecendo mãos frias,
não gosto de deixar portas encostadas,
eu sou ventania,
sou Sol que dissipa a neblina,
então querida me leia como uma carta de amor
quando o fogo se for,
afinal somos o hoje fantasiado de eternidade,
somos o que "é" planejando como deveria ser.
Eu odeio palavras repetidas,
minhas promessas quebradas me fazendo companhia,
eu sou parte do seu sorriso ou desse seu dia triste?
Vou continuar te achando linda,
como uma tatuagem por toda vida,
me preocupar com sua chegada,
desejar os abraços perdidos,
os beijos não dados,
no meu silêncio de noite mal dormida.
Minha querida da próxima vez que me ler,
saiba que a sinceridade de ser leal ao que se sente
ainda é uma das obras de artes mais lindas,
assim como um jardim de flores não regadas,
morrendo lentamente.
Faça dos meus olhos seu espelho,
se veja através do que eu vejo
e admire a sintonia que temos,
os mundos que se encontram,
e nunca mais repita que realmente existe um tempo certo
e que por capricho do destino sempre estamos no pretérito imperfeito.
Minha querida eu fui sua lista de defeitos descritos em um dia,
uma carta de amor esquecida,
o convite recusado, as risadas de alegria,
o ciúme de brincadeira,
as palavras verdadeiras,
os dias que não voltam,
o botão que desliga o autocontrole,
a intensidade que disfarça esse cinza da monotonia.
Eu odeio despedidas,
as frases que deixamos para depois,
os dias que vão chegar e nunca chegam,
então minha querida leia-me como livro em promoção
ao lado de revistas sobre o que comer, como decorar,
enquanto aguarda na fila pra pagar o pão,
afinal a vida é feita de momentos como este
com palavras bonitas colorindo o começo, o meio e o fim.



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Sobre pandas


Não existe um jeito mais fácil de te dizer isso,
eu não paro de pensar em você,
não acredito nas horas que passam quando estou longe de você,
nos segundos lentos que não me trazem seu sorriso.
Você é Legião eu Charlie Brown,
você é opinião eu sou tanto faz,
você é depois eu sou agora,
você é universo eu sou meteoro,
você é uma sinfonia,
eu sou apenas uma estrofe esquecida.
Não consigo disfarçar a vontade de borrar seu batom,
seu jeito doce me dá água na boca,
e mesmo se eu não for o seu amor,
esses momentos serão o mais próximo que chegarei do paraíso.
Eu sou cão ela é gato,
eu sou bacon ela alface,
ela é o mapa mundi,
eu sou apenas asfalto.
Sabe aquelas histórias sobre gênios?
Eu não acredito.
Sabe aquelas histórias sobre três pedidos?
Eu não acredito.
Mas se por algum motivo qualquer fosse verdade,
se eu pudesse pedir qualquer coisa,
eu resumiria todos os pedidos em um só,
e pediria que o mundo inteiro
fosse apaixonante como você.
Que o pôr do Sol tivesse o brilho dos seus olhos
quando me vê.
Afinal você é frio eu sou praia,
você corre eu odeio escadas,
você é rock eu sou a música que toca,
você é ponto final eu sou vírgula,
eu sou um bom dia,
você é a maior surpresa da minha vida.