segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Sobre o vento


Ei moça não quero ser o vento que bagunça seus cabelos,
me encantei com seu sorriso,
esse é meu pecado confesso,
me perdi na cor dos seus olhos de outono,
mas é seu coração que fez com que meu coração
orbitasse em seu universo.
A vida é rápida para os que observam,
tem gosto de tanto faz para os distraídos,
mas não importa qual espelho sussurre seu reflexo,
somos parte dos dias que não voltam mais,
e se você não for a mulher mais amada desse mundo,
se veja com meus olhos,
veja o que vejo em você,
uma sensação de mil vidas atrás.
Ei moça não quero ser o vento que bagunça seus cabelos,
me encantei com a constelação desenhada em seu corpo,
e é tão errado quanto difícil
não querer ser parte do que te completa por inteiro.
Começa com minhas mãos nas suas,
seu cheiro no meu travesseiro,
nós dois conhecendo mundo afora,
eu amando o jeito que você faz careta enquanto tira foto,
e antes que chegue o fim,
eu esqueço que tudo precisa de um final.
Ei moça não quero ser o vento que bagunça seus cabelos,
quero ser seu beijo de bom dia,
o abraço que adormece o choro,
o motivo do sorriso distraído,
já pensou se entre tantos bilhões,
nosso eu se faz nós,
e a gente acorda com uma saudade de tudo que a gente nem viveu,
e a gente resolve viver tudo de uma vez sem deixar nada pra depois.
Ei moça não quero ser o vento que bagunça seus cabelos,
me encanta seu jeito de dar valor as coisas simples,
e me desculpo pelo meu jeito tolo e intenso de ser,
é que entre tantos bilhões,
é o seu sorriso que me encanta,
seu coração que me apaixona,
e por isso eu não quero ser como o vento que passa,
eu quero ser o amor que fica,
que faz lar nesse coração de flores,
que mora no castanho desse seu olhar,
e se tiver que bagunçar esses cabelos que seja de tanto te amar.


segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Namastê


Não sou bom em calcular as coisas boas que vivo,
tenho a eterna mania de levar comigo o que poderia ter sido,
ela descendo do salto e me dando um beijo,
eu falando baixo em seu ouvido que amei seu perfume,
eu tentando descobrir quantos deuses desenharam seu sorriso.
Ela ri de todas as minhas piadas,
come todos os kiwis afogados no saquê,
ela nem percebe que enquanto ela está distraída,
eu reparo que a boca dela foi feita pra mim.
Eu invento os nomes dos filhos que não temos,
mas quem poderia cometer erros assim?
Afinal não é a primeira vez que meus olhos te veem?
Eu nunca fui o cara certo para um primeiro encontro,
eu sou clichê e ansioso,
eu falo palavrões e conto meus desastres,
e se deixar a porta aberta eu deito no sofá,
me aconchego em seu colo e peço cafuné,
eu sou o manual prático do que não se deve fazer.
É que meu peito é um lar feito pra você,
é um refúgio para seus dias de frio,
dias de solidão que esmaga o ânimo,
dias em que segurar sua mão e te abraçar forte basta.
Eu sei você tem teorias sobre ser uma casa bagunçada
e eu prometi que aquelas seriam as últimas palavras,
mas eu sou o amor entrando pela janela
como vento que ao tocar seus cabelos
se esquece de ser vento e quer ficar.
Então que sentido existe em se importar com a bagunça,
quando na verdade o que mais importa
é que mais uma vez a casa resistiu ao temporal.
Então quem poderia em sã consciência garantir
que as palavras que caem como chuva serão as últimas,
se na verdade toda vez que te vejo escrevo mil livros sem
dizer nenhuma frase.
Então quem poderia culpar o vento que ao tocar seus cabelos
resolveu fazer morada,
soprando pra longe as solidões e amores partidos,
sem se agarrar a nenhuma expectativa que o fizesse desistir de ficar.
Acho que ainda tenho alguns segredos em minha mente,
eles são seus,
afinal essas palavras destiladas são destinadas a você,
feitas só para que você saiba
que desde que te conheci eu não paro de imaginar
seu corpo suado em cima do meu,
as marcas que você deixa em minhas costas,
os beijos que duram a maior fração da eternidade.
Acho que estou te contando muitos segredos,
mas meu deus é feito de uma sinceridade absurda,
e o seu se compadece de mim por saber que te quero mas tenho que esquecer,
sendo assim o deus que habita em meu coração
saúda o deus que habita no seu.



quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Diamante


Eu sou um desastre explorando a perfeição,
você me viu dançando sozinho no meio da multidão,
e com seu olhar tatuou uma eternidade em meu coração,
segurou com força minha mão,
sorriu quando disse em seu ouvido que eu seria seu
até que se esvaísse todo o ar de meus pulmões.
Sua boca planejada para ser par da minha
durante os dias que se passam,
sua gargalhada dando sentido às minhas piadas.
Eu sou apenas uma pedra na calçada,
você é o diamante mais precioso já encontrado,
eu queria te amar como os livros não conseguiram
ainda inventar,
seria um amor de olhares, silêncios,
amores durante toda a madrugada,
odiando seu jeito de dormir no meio dos filmes,
sem medo de tocar a felicidade de viver.
Espero que você não perceba meu jeito clichê
de elogiar seu sorriso, o jeito que você dança,
ou seu gosto musical.
Espero que eu seja o amor que não estava em seus planos,
mas que você se rendeu à amar,
como a música que você mais gosta tocando em uma rádio qualquer,
a sorte não existe para quem decide não acreditar.
Eu ficarei perdido no gosto de uva verde dos seus lábios,
ficarei te querendo por perto,
desejarei ser teu abrigo nos dias de temporal,
não falharei em te querer com todo desejo que existe,
acordarei sentindo saudade dos anos que vivi sem te conhecer.
Envelheci alguns muitos anos,
aprendi a não gastar segundo qualquer
com amores não correspondidos,
existe vida longa,
mas pra nós foi destinado apenas o tempo que não volta,
os dias que se passam,
o amor que dura uma vida inteira.
Mas como falei sou um desastre,
sou a parte que te beija de olhos fechados,
que atura seus dias de solidão e mau humor,
eu sou o cara que estava dançando sozinho,
cantando músicas em inglês duvidoso,
até que você chegou,
chegou como alguém que só queria dançar,
como alguém sem planos de ficar,
e hoje é parte do que é e quem me dera do que será,
afinal eu sou uma pedra na calçada andando de mãos dadas
com o diamante mais raro de encontrar.




domingo, 15 de outubro de 2017

Mordidas


Espere um instante,
a vida vai trazer um sorriso em uma segunda qualquer,
espere mais um momento,
acima dos falsos alarmes e amores passageiros,
mora a boca que te morde o corpo,
te prende pelos lábios e entrelaça os dedos ao segurar sua mão.
Não esqueça das viagens marcadas,
mas se valer a pena perca o embarque,
nada se compara aos corpos suados e almas que dançam de rostos colados,
nada se compara dizer no seu ouvido palavras soltas
que formam frases com seus suspiros.
Corações acelerados aumentando o ritmo da respiração,
promessas quebradas sobre mordidas surpresas,
e você só faz isso porque sabe que beija bem,
minha querida estamos sorrindo enquanto o quarto pega fogo.
Não pense que consigo descrever as cores dos seus olhos,
a velocidade exata com que minhas mãos passeiam por suas coxas,
o sabor salgado da sua nuca enquanto puxo seu cabelo,
eu não sei nem ao menos dizer por onde comecei a beijar seu corpo,
a única certeza que tenho é que não consigo parar.
Segure um pouco a respiração,
a vida é uma eterna escolha entre viver o que o destino traz,
ou planejar pela a vida inteira um jeito certo de viver,
então não deixe que nenhuma lágrima deslize por este rosto,
afinal é um grande erro amar alguém que não sabe ser amado,
mas pior erro é deixar de se amar pra ser amado.
Viva! Aos amores que começam e terminam,
vamos brindar ao sofrimento que duram meses ou anos,
para que nossos corações nunca esqueçam
que amores pela metade sofrem por uma vida inteira.
A água quente caindo em suas costas,
nosso corpo embaralhado como cartas que ganham o jogo,
não sei se você que morde minha boca,
ou se sou eu que mordo seu ombro,
eu sou culpado por desejar que esse momento dure pra sempre,
eu tenho pecados demais pra viver a eternidade feliz,
então aproveito cada segundo como se fosse mil anos.
Você me acorda sem medo do meu mal humor,
me beija com gosto de amanhecer de filme,
coloca seu corpo em cima do meu,
eu te puxo pra perto com a força de um mar em ressaca,
te chamo de gostosa enquanto você me beija e sorrir,
você morde novamente meus lábios com a força
de quem quer um souvenir.
Eu quero encontrar palavras que rimem pra chegar ao fim desse texto,
quero concluir com alguma frase que eternize esse momento,
talvez falar sobre lembranças e momentos que ficam,
mas na verdade eu não consigo pensar em nada,
afinal a única coisa que eu quero é que não termine.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Forte e quente


Eu vou te ver no final da tarde,
pedir um café com leite sem notar,
ficar encantado com a beleza do seu olhar,
gostar do jeito que você segura minhas mãos.
Eu acho que poderíamos viver alguns dias que se repetem,
beijar tua boca enquanto você sorrir,
quebrar sua timidez,
cheirar as milhares de flores em seus cabelos.
Acho que sempre sou arrastado
pela correnteza que existe no seu corpo,
pelo jeito que você tem de deixar-me encaixar enquanto seguro sua cintura.
Gosto do acaso,
dos encontros que acontecem sem hora marcada,
sem os esforços absurdos de se moldar pra ter alguém,
de viver como se fosse o último dia de nossas vidas
constrangendo os ponteiros dos relógios.
Afinal existe tanto pra viver,
tantos filmes no cinema,
tantos sustos pra tomar,
e tão poucos segundos ao seu lado
que da forma mais intensa e absurda é o único lugar que gostaria de estar.
Repare na música que começa a tocar quando nossos lábios enfim se encontram,
repare na chuva caindo devagar,
repare em minhas mãos em sua nuca,
e na vontade que a noite tem de congelar esse momento
como uma fotografia que não envelhece,
nem é trocada de lugar.
Eu sei é impossível saber o que vem depois que os destinos colidem
como dois mundos completamente diferentes,
deve ser a gravidade me puxando em direção a sua constelação
de sorrisos sem graça me pedindo pra parar de te olhar,
deve ser parte desse seu defeito de não saber se despedir.
Eu vou te ver no final da tarde,
e dessa vez mesmo encantado com seu olhar,
vou pedir um café preto,
forte e quente como seus beijos,
forte e quente como meu desejo.

domingo, 1 de outubro de 2017

Champagne


Eu vejo segredos em seus olhos azuis,
vejo cada pedaço de você
e tento ser parte e não o todo,
afinal não vale se perder
entre o que se é e o que deseja ter.
Sim o mundo é fútil,
são bebidas em uma mesa,
músicas que te fazem se sentir bem,
alguns elogios idiotas que todo mundo faz,
mas você consegue tocar a realidade de um dia após o outro?
Eu não sei o que é certo,
talvez uma tatuagem igual seja o melhor do mundo,
talvez alguns ideais,
talvez tudo que exista seja insuficiente,
e por isso as eternidades terminem,
e o que foi deixa de ser.
Pessoas cantam seu desejos mais profundos
com uma voz tão superficial,
somos um rascunho ou um livro completo?
Eu odeio ser dramático,
odeio me apegar ao seu cheiro tão doce,
odeio te olhar como se tivesse achado um tesouro,
odeio seu olhar que me retribui como se eu fosse só mais um.
Já não somos tão jovens,
o tempo passa para todos nós,
eu e você e tantas desilusões,
tantas tentativas, noites e amores que deveriam ser eternos,
e até são enquanto duram.
Me ouça a vida é um beijo,
a vida é o agora tatuando o que vai perdurar durante toda uma vida,
eu sei parece idiotice,
mas o que não é?
Vai me dizer que palavras bonitas duram para sempre,
vai me convencer que um rosto lindo permanece,
que um corpo, que um copo, que uma lembrança do que deveria ser,
consegue incendiar a floresta que é essa vida louca
durante todo tempo.
Eu sei algumas pessoas são o que podem ter,
são bebidas sobre a mesa,
são noites que acabam,
são maquiagens que borram,
sorrisos tristes,
vontades que passam,
mas e nós?
Conseguiremos ir um pouco além?
Conseguiremos viver dias que os sonhos se realizam,
ou tudo não passa de champanhes abertos e sem gás?
Eu sinceramente me perco na cor dos seus olhos,
na covinha no canto esquerdo da sua boca quando você ri,
e sim, isso é tão superficial,
mas quem se importa?
Somos cartas nesse baralho
de cartas marcadas,
cartas repetidas,
cartas sem graça,
cartas que não ganham o jogo.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Ela (parte 4)


Ela é a eletricidade que transpassa meu peito e toca minha alma,
ela é parte das respostas mais inteligentes para as perguntas mais idiotas,
ela sequestrou meus sorrisos,
eu apenas fiz minha parte,
peguei na sorte aquele urso que te dei,
e amei seu olhar desde a primeira vez.
Essa é a parte que eu nunca conto do quanto é bom te conhecer,
é uma fraqueza em meus ossos quando ouço o som da sua voz,
quando você veste minha camisa do capitão américa e faz graça,
tira fotos profissionais fazendo careta,
eu sei, outdoors pela cidade dizem o que já não consigo disfarçar,
mas só seus ouvidos escutam o sussurro das frases que ninguém mais poderia ouvir.
Eu acredito em amores eternos
que terminam e começam a cada amanhecer,
eu perdi minha mente quando você me beijou pela primeira vez,
e só porque sei que o dia de hoje é a única carta que ganha o jogo eu vou confessar,
toda vez que fico te olhando como um tolo
eu estou negociando com o universo
todos os dias da minha vida por mais alguns instantes ao lado seu.
Eu ainda não sei o nome do perfume que você usa,
talvez você realmente seja um flor e não assuma,
talvez eu seja um louco que cria teorias sobre meus sonhos de fim do mundo,
sobre nossos destinos se cruzando sem hora marcada.
Ela é meu dia de Sol, meu suspiro antes de dormir,
a mulher que assopra contra um furacão e consegue vencer,
ela é o bom humor às vezes açucarado,
ela é a mulher que me liga de madrugada e me conta seus pesadelos,
que me diz que eu poderia construir ou destruir um mundo inteiro,
e eu aqui apenas querendo ser o mundo dela,
mordendo o ombro dela
enquanto minha habilidade mutante de desabotoar sutiãs se faz presente,
ela ri e meu mundo amanhece com tantas cores que ainda não demos nomes,
e afinal quem escolheu o nome das cores?
Seria alguém que não esperou até ver a cor dos seus olhos
e chamou de castanho a estrela mais linda que já existiu?
E como se fosse ontem eu lembro,
"vamos roubar um estrela?"
Não teríamos onde guardar, você dizia.
"Então vamos roubar todas as flores desse jardim?"
Já falei não teríamos onde guardar.
"E que tal esconder todas as flores e estrelas no seu sorriso?"
Você ri e me olha como seu eu fosse o mais boboca,
e talvez eu seja,
mas penso nisso tudo enquanto escrevo esse bilhete,
penso que tudo começou com três coisas importantes que queria te dizer.
A primeira é que sim, não te conheço e te achei muito linda por isso quero te conhecer.
A segunda...
(continua)

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Café


Grande parte da vida é feita de dias difíceis
amenizados por momentos bons.
São dores e medos,
sorrisos e sonhos
misturados nesse liquidificador do que é real.
Meus dias resumidamente
são a saudade que sinto do seu corpo quente
e a vontade de esquentar seus pés gelados.
Das dores do mundo
eu levo apenas na bagagem
os dias que não voltam
e as previsões que assustam.
Acho que já são quase três da tarde,
dia de palavras chatas e nublado,
e tudo que preciso é de um momento bom pra enfrentar esse dia difícil.
Eu timidamente preciso de você aqui perto,
do seu sorriso e do seu olhar,
preciso também de um bom copo cheio de café.
Mais alguns minutos lentos se passam,
me contento com o café quente amenizando a falta que você me faz,
acho que não terei nesse dia difícil um momento que seja capaz
de me trazer o melhor da vida como só você me traz

domingo, 27 de agosto de 2017

Ela (parte 3)


Acordo e visto qualquer roupa,
não tenho motivos para espelhos,
ainda sou dos que não fingem sorrisos verdadeiros,
eu ontem esperei até o último instante,
a última noite de hoje beijando o primeiro minuto de um novo dia,
você simplesmente não apareceu.

Hoje é um daqueles dias nublados,
bebo meu café sozinho,
vejo mil amores embarcando outros mil partindo,
cada íris um mundo diferente,
mundos que colidem por alguns segundos e encantam minha mente,
eu fiz de você um universo de detalhes,
me apaixonei pelo seu cheiro de mulher que nasceu pra ser amada,
você com seu jeito de fagulha dançando de mãos dadas com florestas áridas,
a questão que você faz de ser curva na estrada,
de usar suas blusas com nome de banda estampada,
me falando no ouvido que o diamante mais caro é o tempo que passa.

Hoje vou à pé pra casa,
vou reparar na pressa das pessoas sem paciência,
nas pessoas rindo enquanto submergem em seus mundos de tela hd,
vou me sentir superior à senhora que olha com cara de nojo para uma pessoa que dorme no chão,
vou vencer todas as discussões criadas em minha mente,
farei o que puder para resolver os maiores dilemas do mundo,
apenas para que eu não pense no quanto você fode minha vida,
quando simplesmente é a pessoa mais incrível do mundo
e ao mesmo tempo consegue ser a mais absurda,
eu te tirei de um filme ou você realmente existe?
Você tem dificuldade de amarrar seu adidas ou apenas me faz de bobo?
Você apenas muda de ideia ou é parte do plano me enlouquecer?
Vejo seu carro estacionado,
boas lembranças me vem,
com gosto amargo de quem bebe vodka pura, mas vem.

Sinto cheiro de incenso,
escuto músicas nacionais de gosto duvidoso,
lá está ela dançando frente a tv,
com taça de vinho na mão,
ela só pode ser um anjo,
mas daqueles expulsos do jardim.

Faz cara de emoji do tipo me desculpe,
enche mais uma taça e me oferece,
é um dom peculiar,
ela coloca seus braços ao meu redor, seu nariz em meu pescoço,
o silêncio dela me invade,
somos apenas eu, ela e um infinito tão aleatório,
tão raro, tão nosso.

Ia encher a casa de pétalas ela diz, mas você não é do tipo que gosta de fragmentos de flores mortas,
ia cozinhar seu prato favorito, mas fiquei com medo de causar um incêndio,
pensei em te convidar pra jantar,
mas você demorou como se não quisesse chegar,
então vamos no mc,
ficar no carro enquanto as luzes da cidade se apagam,
os vidros embaçam,
enquanto você borra meu batom,
e eu mordo seu ombro,
e você me perdoa por ter te feito beber café gelado,
ter gasto seu diamante mais caro.

Me surpreende mais o anseio pela resposta
do que a proposta.
Me surpreende a dor causada pelas expectativas frustadas,
dessa vez sou eu que te deixo um bilhete,
e um copo de café pela metade.
Continua...

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Filhote

Que sua maior conquista seja conseguir subir no sofá,
não se importe com os dias frios enquanto existir
seu abrigo embaixo da cama,
aquecedores, abraços e cobertas.
Você vai ouvir por aí que o mundo não é tão bom assim,
e não vou mentir,
existem pessoas que te ferem o peito, te roubam a alma,
destroem a vontade viver.
Ainda não entendo essa sua vontade de chamar minha atenção,
não percebeu meu mal-humor matutino?
Tudo bem, mesmo assim te faço mil carinhos,
te beijo e te mordo,
afinal o mundo seria lindo se fosse essa bola de neve
que brinca e come meu chinelo como se fosse um infinito particular,
cheio de histórias e felicidades
que não se pode contar.
Que em seus dias de doença exista meu braço pra você descansar,
meu cuidado para te cuidar,
esse meu jeito retardado de falar,
e a eterna saudade que sinto quando você não está.
A vida é tão simples quando se diz eu te amo,
quando não se importa com o que vão pensar,
quando você mija fora do lugar,
ops...
Eu odeio quando você faz isso, então vamos mudar.
Não...
Não adianta me dar a patinha, odeio quando você consegue me conquistar.
E sim eu acho super idiota esse jeito que você corre a casa inteira,
come todas as etiquetas, roda-pé e tudo que vê pela frente,
e o jeito que você dorme me olhando como se eu fosse significante de alguma maneira.
Meu filhote,
eu espero que você cresça com a sabedoria de quem aproveita um dia de Sol
deitado com a barriga pra cima,
como se fosse um faraó,
e não conte pra ninguém o que você tem de melhor,
não estrague a surpresa de encantar o mundo com seu jeito peculiar,
e não fale muito sobre tudo que pode fazer,
esse mundo que você ainda não conhece já é repleto de decepções.
Não coma os cantos da mesa,
e deixe de ser esse cão autolimpante,
e nunca mais se faça de desentendido quando digo que te amo,
afinal o mundo precisa de uma sinceridade brutal
e não uma falsidade elegante.
Pra finalizar guarde em seu coração acelerado um segredo raro,
eu amo seu jeito irritante de me arranhar enquanto escrevo,
de lamber meu pé,
de ficar me olhando como se eu fosse um gigante insensível
que não joga sua bolinha infinitamente.
Meu filhote o mundo vive dias de solidão,
por isso peço a Deus que nunca te falte abraços,
simplicidade e amor,
que nunca falte carinho em sua barriga,
brincadeiras e corridas.
que de todas essas coisas que você não vai entender,
você apenas saiba que se existe um paraíso
você está do lado certo,
e que se eu pudesse te pedir um favor
te pediria para ensinar ao mundo a simplicidade do amor
e que nunca mais coma minha havaianas do Star Wars novamente.